Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Thiago Ribeiro’

O sonho de conquistar a Copa Libertadores da América de 2010 acabou para o Corinthians. Depois de se planejar desde 2009 para alcançar o sonho no ano do centenário, o Timão venceu o Flamengo por 2 a 1, no Pacaembu, mas não foi suficiente para avançar na competição.

A partida teve dois tempos distintos. Na primeira etapa, o Corinthians mandou no jogo, se impôs e buscou o resultado. Mesmo não mostrando um futebol brilhante, os alvinegros foram eficientes e prenderam o Flamengo no campo de defesa. Isso era evidente, tanto que o Mengão chegou ao campo adversário apenas duas vezes na primeira etapa, ambas sem perigo.

O Timão precisava do resultado e com o apoio da torcida foi para cima. As primeiras tentativas corintianas pararam nas defesas do goleiro Bruno. Porém, aos 27 minutos, depois de muito pressionar, o gol saiu. Danilo cruzou a bola para a área, o zagueiro David tentou cortar e mandou a bola para a rede. O Pacaembu explodiu em festa. O resultado momentâneo levava a decisão para os pênaltis. Mas o Corinthians queria mais.

Roberto Carlos quase marcou o segundo em cobrança de falta, mas Bruno fez outra boa defesa. Se Jorge Henrique pouco produzia por um lado do campo, do outro Dentinho partia para cima com dribles insinuantes e, em uma dessas investidas, o jovem atacante cruzou para a área e a bola foi na cabeça de Ronaldo, que marcou o segundo tento alvinegro.  Era uma vitória merecida. Dois gols no primeiro tempo contra um Flamengo tímido e recuado. Faltavam apenas 45 minutos para o Corinthians conquistar o objetivo e seguir forte rumo ao título.

Mas o técnico Rogério Lourenço, sabedor da qualidade do time da Gávea, tratou de cobrá-los no intervalo e até promoveu uma alteração. Tirou Vinicius Pacheco e colocou Kleberson em campo. Os 15 minutos de descanso foram positivos para o Flamengo, pois o time voltou totalmente diferente para a segunda etapa. Saiu de trás e começou a se arriscar mais. Logo aos quatro minutos, Kleberson deu um precioso passe para Vagner Love marcar o gol rubro-negro. O gol fora de casa dava a classificação para os cariocas.

Alheio a vantagem obtida logo no começo, o Flamengo pôs a bola no chão e dominou o adversário. Com uma postura completamente diferente da primeira etapa, o Mengão melhorou seu setor defensivo e usava seus rápidos laterais para puxar os contragolpes. Vagner Love era o melhor jogador da partida. Além de voltar para ajudar na marcação, o atacante conduzia a bola e cadenciava o jogo. O Corinthians sentiu o baque do gol.

Enquanto o Timão tentava se organizar novamente, o Flamengo chegava com perigo constantemente. Teve, ao menos, umas quatro chances para empatar o jogo e selar de vez a classificação. Kleberson perdeu gol incrível. Adriano fez o mesmo. O tempo foi passando e o Corinthians não conseguia levar perigo. Mano Menezes promoveu três alterações na segunda etapa. Sacou o apagado Jorge Henrique e deu lugar para Iarley que também pouco pegou na bola. Tirou o bom volante Elias, estranhamente, diga-se de passagem, e colocou Jucilei. A outra substituição foi a saída de Alessandro e a entrada do novato Paulinho. Tudo em vão. O Corinthians parecia não ter forças para retomar o controle do jogo.

Nos minutos finais a equipe alvinegra ensaiou uma pressão e partiu para o tudo ou nada. A única chance real aconteceu somente aos 47 minutos, quando Chicão cobrou com maestria uma falta e o goleiro Bruno fez uma defesa espetacular, evitando o gol e consolidando de vez a classificação flamenguista.

O jogo foi muito bom, teve bastante movimentação e luta das duas partes. O Corinthians venceu, mas quem se classificou foi o Flamengo. O primeiro colocado geral na primeira fase da Libertadores foi eliminado pelo último, coisas que acontecem no futebol. A torcida corintiana reconheceu o empenho do time e aplaudiu ao final do jogo. É óbvio que a eliminação precoce foi um grande baque, tendo em vista todo o projeto realizado pela diretoria, as contratações de peso e a grande esperança do torcedor. Mas o futebol é assim mesmo. O Flamengo foi melhor hoje e conseguiu a classificação. Não é o fim do mundo ser eliminado da competição sul-americana.

O Rubro Negro aguarda o confronto entre Universidad do Chile e Alianza Lima para conhecer o adversário das quartas-de-final. No jogo de ida, os chilenos venceram o duelo fora de casa por 1 a 0.

CRUZEIRO E ESTUDIANTES AVANÇAM
As duas equipes que disputaram o título da Libertadores no ano passado continuam firmes no torneio em 2010. O Cruzeiro foi até Montevidéu, não tomou conhecimento do Nacional e venceu por 3 a 0 com gols Thiago Ribeiro, Diego Renan e Gilberto. Com a vitória, os mineiros vão enfrentar o São Paulo nas quartas-de-final, repetindo o confronto do ano passado.

O Estudiantes, atual campeão, venceu o fraco San Luís por 3 a 1 e também carimbou vaga nas quartas-de-final. Os argentinos encaram na próxima fase o vencedor do confronto entre Internacional e Banfield. Os gols do jogo foram anotados por González e Benitez (2) para o Estudiantes, enquanto De La Torre descontou para os mexicanos.

Read Full Post »

La Brujita: Verón liderou Estudiantes no título da Libertadores-09

Foi sofrido. Foi heróico. Foi histórico. Foi do jeito mais argentino de ser. Na raça, na garra, na determinação. Com um Mineirão abarrotado de cruzeirenses (64.800 torcedores)  esperançosos pelo possível tricampeonato da Taça Libertadores da América, o Estudiantes jogou como um time vencedor durante toda a partida e venceu o Cruzeiro de virada por 2X1. A vitória significou o quarto título dos argentinos na competição sul-americana e acabou com um jejum de 38 anos.

Depois de um empate suado na Argentina, com méritos totais para a bela atuação do goleiro Fábio, o Cruzeiro acreditava que poderia resolver as coisas na partida de volta. E, de fato, não estava errado. Após as indiscutíveis vitórias contra São Paulo e Grêmio nas fases anteriores, a equipe mineira se fortaleceu e com o bom grupo formado pelo técnico Adílson Batista, com toda certeza o título poderia ficar na Toca da Raposa.

Mas o futebol está aí para nos provar sua mágica todos os dias. De todo o elenco cruzeirense que chegou à decisão, apenas o lateral esquerdo Sorín já havia conquistado o torneio mais importante das Américas. O restante do grupo, muito jovem, se desesperou muito cedo e com a pressão elevada, digna de uma decisão de Libertadores, sentiram o baque e não conseguiram demonstrar o futebol apresentado nos últimos jogos. Os jogadores mais importantes do elenco estiveram sumidos na partida. Ramires, Wagner e Kléber não souberam se desvencilhar da catimba argentina, demonstrando a falta de experiência em jogos desse tipo. Enquanto isso, o Estudiantes foi levando o jogo, catimbando e, acima de tudo, mostrando a apurada técnica argentina de sempre. Um time orquestrado pelo maestro Verón, que comandou, instruiu e falou com seus companheiros durante todo o jogo, como um técnico dentro de campo.

Aos poucos a pressão da torcida cruzeirense desapareceu e o silêncio tomou conta do Mineirão. O time sentia isso dentro de campo. O gol não saía e o Cruzeiro não conseguia criar chances reais para abrir o placar. O jogo foi para o intervalo e Adílson Batista sabia da importância de abrir o placar na segunda etapa para acalmar os ânimos do time, da torcida e do próprio adversário. E isso realmente aconteceu. O Cruzeiro voltou diferente no segundo tempo, com mais vontade nas jogadas e começou a marcar sob pressão a saída de bola do Estudiantes. Logo, aos seis minutos, Henrique arriscou um chute forte de fora da área, a bola desviou no zagueiro Desábato e traiu o goleiro Andújar. 1X0 no placar, festa no Mineirão e o sonho do tricampeonato mais próximo. Mas ainda faltavam 40 minutos para o final da partida e nunca é bom dar equipes argentinas como derrotadas antes da hora.

E não deu outra. O Estudiantes não se abalou com o gol. Ergueu a cabeça, saiu para o jogo e não se deu como batido. A batuta do mestre Juan Sebástian Verón apareceu aos 12 minutos. Verón deu uma linda invertida no jogo e a bola chegou aos pés de Cellay. O lateral direito cruzou a bola para a área, o atacante Fernández escorou e empatou o jogo. Um duro golpe na jovem equipe cruzeirense que precisaria sair novamente para o jogo em busca do segundo gol. O Estudiantes, por sua vez, sentiu que era o momento e passou a dominar a partida. O toque de bola quase perfeito dos argentinos envolviam os brasileiros e aos 27 minutos o Mineirão se calou novamente. Verón, sempre ele, bateu escanteio da direita e o atacante Boselli subiu mais que a zaga mineira para virar a partida. Foi o oitavo gol de Boselli na competição e o gol que, além de valer o título para o Estudiantes, o consagrou como artilheiro da Libertadores-09.

Desesperado, o Cruzeiro não teve forças para reagir. Thiago Ribeiro teve as duas chances finais. Na primeira oportunidade o goleiro Andújar contou com a sorte e a bola explodiu no travessão. Na segunda chance, o atacante isolou a bola na frente da meta argentina. De qualquer forma, o Cruzeiro demonstrou ter um bom time, mas que visivelmente precisa conquistar maturidade. Não é a hora e nem a ocasião para se achar culpados. Mas acho que o treinador Adilson Batista poderia ter mexido na equipe no intervalo. O meia Wagner pouco apareceu no jogo e na saída, ao término do primeiro tempo, revelou que estava machucado. Adilson deveria ter voltado com Athirson em seu lugar. Quando a troca foi efetuada, aos 25 minutos, já era tarde. Fora isso, nada de errado. Diretoria e comissão técnica trabalharam muito bem. Fábio e Kléber foram os grandes destaques cruzeirenses na competição e, inclusive, ambos merecem serem testados na Seleção Brasileira. Ramires, mesmo não jogando bem na decisão, já mostrou sua capacidade e tem uma carreira inteira pela frente. Os três são jovens e se continuarem na mesma caminhada nos próximos anos, continuarão provando pelos gramados do mundo a capacidade demonstrada com a camisa Celeste.

Ao Estudiantes, qualquer elogio é pouco. Um time comum, mas com um jogador totalmente diferenciado na liderança. Verón, revelado pelo clube Pincharrata em 1993, desfilou sua habilidade na Europa e conforme havia prometido, voltou para seu clube de coração para fazer história. La Brujita comandou a equipe e mesmo sem as totais condições físicas, mostrou seu talento. E outro fato que deve ser ressaltado é um caso inédito no futebol mundial. Verón liderou a conquista do quarto título, enquanto seu pai, Juan Ramón Verón, no final dos anos 60, fez história e liderou o Estudiantes nas conquistas de 1968, 1969 e 1970. Pai e filho são os maiores ídolos do clube.

Um título totalmente merecido e que, mais uma vez, evidenciou a determinação como maior virtude de equipes argentinas. No quesito seleções o Brasil não pode e não deve ser comparado aos hermanos. Já quando o assunto são os clubes, não restam dúvidas. Nos 50 anos em que a Libertadores foi disputada, em 12 vezes brasileiros e argentinos disputaram a final. Com o título do Estudiantes, a Argentina soma nove conquistas contra apenas três do Brasil. Parabéns ao Estudiantes de La Plata, aos jogadores e a toda comissão técnica.  

E você torcedor, o que achou do título argentino? Concorda que o Estudiantes não foi brilhante, mas a eficiência foi determinante para a conquista? Opine!

Read Full Post »

– O São Paulo está com sérios problemas no setor defensivo. Não que os jogadores estejam em má fase, mas o problema principal são as contusões. Rodrigo está fora por um bom tempo. Aislan se machucou e ainda segue em tratamento. Renato Silva e André Dias também estiveram no departamento médico nos últimos dias e acabaram de retornar. O único que não sofreu lesão foi Miranda. Porém, o zagueiro foi convocado para a Seleção Brasileira e desfalcará o Tricolor nos próximos 20 dias. A saída da diretoria são paulina foi contratar um novo zagueiro. O São Paulo confirmou na noite desta segunda-feira o acordo com Jean, que estava na Ponte Preta. Com 28 anos, o jogador se destacou no último Campeonato Paulista por ser acusado pela diretoria da Portuguesa de ter contribuído para a classificação do Santos na última rodada. A negociação rendeu R$70 mil aos cofres da Macaca.

– Mais uma vez o Corinthians esteve em pauta no STJD. Depois de Cristian, Dentinho e Ronaldo, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva julgou e absolveu o clube nesta segunda-feira. O foco do julgamento foi a invasão de campo de um torcedor corintiano no jogo das quartas-de-final contra o Fluminense, no Maracanã. Caso fosse punido, o Timão poderia perder o mando de campo de um a dez jogos e teria que arcar com uma multa estipulada em até R$200 mil.

– Depois de perder Ramires para a seleção e possivelmente Wagner e Thiago Ribeiro, ambos contundidos, para o confronto do próximo dia 17 pela Taça Libertadores da América, o Cruzeiro conheceu mais um desfalque para a decisão. O experiente lateral esquerdo Athirson sofreu uma lesão no ligamento colateral medial do joelho esquerdo e desfalcará a equipe Celeste por pelo menos 30 dias. Mais problemas para o técnico Adilson Batista.

– A Portuguesa também sofre com as lesões de seus atletas. O atacante Christian, um dos mais importantes jogadores do elenco, sofreu uma lesão no menisco medial do joelho direito no jogo contra o Bahia, válido pela série B do Campeonato Brasileiro e será operado amanhã em São Paulo. Mesmo não sendo uma lesão tão grave, o experiente jogador ficará fora por pelo menos um mês. A boa notícia é que o meia Edno, que passou por uma cirurgia no joelho esquerdo, já começou a fisioterapia e possivelmente voltará ao time no final de junho.

– O Flamengo parece estar nadando em dinheiro. Depois de repatriar Adriano, contratar o velho Petkovic e demonstrar que pretende renovar o empréstimo de Ibson, a diretoria rubro-negra quer mais reforços. Hoje, o vice-presidente de futebol do clube, Kleber Leite, confirmou interesse nos meias Valdívia, do Al Ain, dos Emirados Árabes e Morais, atualmente jogador do Corinthians. Por enquanto não passa de especulação, mas de qualquer forma, caso esses negócios se confirmem, o Flamengo precisará desembolsar altos valores para contar com os atletas.

– Nelsinho Baptista deixou o Sport no último final de semana e abriu espaço para treinadores ‘desempregados’. Os nomes mais cotados para assumir o comando do Leão da Ilha são os polêmicos Renato Gaúcho e Emerson Leão. Possivelmente a definição aconteça já nesta terça-feira, já que representantes do Sport se reunirão com os dois técnicos na capital pernambucana.

– A onda de repatriar medalhões das equipes brasileiras pode ter mais um capítulo. O nome da vez é do veterano Denílson. Depois de ter uma passagem discreta pelo Palmeiras e jogar pelo Itumbiara-GO no primeiro semestre, o Botafogo pode ser o próximo destino do pentacampeão mundial. A informação foi confirmada pelo vice-presidente de futebol, André Silva, que corre atrás de reforços para o Glorioso.

– O Palmeiras continua atrás do lateral direito Figueroa, do Colo Colo. O jogador se destacou nos confrontos contra o Verdão na primeira fase da Libertadores e o técnico Vanderlei Luxemburgo sugeriu a contratação, já que a equipe está carente nesta posição. Fabinho Capixaba não agrada o treinador e muito menos a torcida e está próximo de deixar o Palmeiras. O diretor de futebol do clube, Genaro Marino, confirmou que a vinda do chileno será definida até o final do mês.

Read Full Post »

Soares

O Cruzeiro fez uma ótima campanha na primeira fase da Taça Libertadores da América e chegou às oitavas-de-final credenciado como favorito. Não deu outra. Jogando em Santiago, no Chile, os cruzeirenses confirmaram o favoritismo e ganharam do Universidad de Chile por 2X1, levando ótima vantagem para o jogo da volta, no Mineirão, na semana que vem.

A equipe de Adilson Batista usou o começo dos dois tempos para definir o jogo. Aos oito minutos do primeiro tempo, o jovem meia Ramires avançou com a bola pela esquerda e cruzou para Soares. O atacante tocou na saída do goleiro e abriu o marcador. Jogando bem e com boa atuação ofensiva, o segundo gol da equipe Celeste era uma questão de tempo. E logo aos seis minutos da etapa final, Thiago Ribeiro deu belo passe para Marquinhos Paraná, que dentro da área dominou e mandou para o gol. Um bonito gol. A vantagem cruzeirense aumentava e parecia que os mineiros conseguiriam sair do Chile com uma goleada na bagagem. Não conseguiram e no final do jogo, aos 40 minutos, Villalobos descontou para os chilenos.

De qualquer forma, foi mais uma boa apresentação do Cruzeiro e a vantagem conquistada dá total segurança para o próximo confronto. Para chegar às quartas-de-final, os mineiros podem empatar e até perder por um gol de diferença no Mineirão. O Cruzeiro, assim como o Grêmio, está com um pé na próxima fase e continua batalhando em busca do tricampeonato da Libertadores.

Read Full Post »