Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Souza’

Fabinho, Wellington Paulista e Gerson Magrão comemoram gol cruzeirense

Porto Alegre viveu um clima de decisão a semana inteira. Inter e Grêmio, os dois principais times do Rio Grande do Sul, não conquistaram seus objetivos em situações idênticas. O Tricolor Gaúcho precisava vencer por dois gols de diferença para chegar à final da Taça Libertadores da América. E o Grêmio conseguiu fazer dois gols, mas também tomou dois do Cruzeiro e está eliminado da competição. A equipe mineira continua sua brilhante campanha em busca do tricampeonato sul-americano e fará a final contra o Estudiantes de La Plata.

Assim como seu rival, o maior temor do Grêmio era tomar gols dentro de casa. Para evitar esse risco, o técnico Paulo Autuori alertou seus atletas, que entenderam o recado. O Tricolor Gaúcho pressionou o Cruzeiro desde o primeiro minuto do jogo e teve pelo menos cinco chances de abrir o placar. Não conseguiu e o pior aconteceu. A equipe Celeste não levava nenhum perigo à meta de Victor, mas em dois lances, em dois minutos, selou a classificação para a final da Libertadores.

Aos 34 minutos, Kléber fez jus ao seu apelido de Gladiador e numa grande jogada deixou Wellington Paulista livre para abrir o marcador. O próprio Wellington Paulista, aos 36, fez seu segundo gol no jogo e acabou com as esperanças gremistas. Ao Grêmio restava lutar em busca de um milagre. E o copeiro time gaúcho não deixou de lutar e ainda conseguiu empatar o jogo no segundo tempo. Réver, aos 12 e Souza, aos 29, honraram a tradicional camisa gremista e assim como o rival Inter, perderam de cabeça erguida. Vale ressaltar o apoio maciço da torcida gremista. Mesmo com a desclassificação, os tricolores cantaram durante todo o jogo e fizeram uma linda festa. Emocionante para os amantes do futebol. 

Ontem rasguei elogios à equipe do Corinthians. Hoje é o Cruzeiro quem merece a exaltação. Adilson Batista já foi muito criticado pela torcida cruzeirense e mostra jogo a jogo que conseguiu encaixar seu time. Fábio demonstra muita segurança, Marquinhos Paraná é incansável e se doa pela equipe, Ramires é o maestro e Kléber se consolida como maior destaque dessa campanha. Inclusive, gostaria de vê-lo na Seleção Brasileira. Sua habilidade, sua raça e seu poder de decidir jogos seriam muito importantes ao Brasil. Espero que Dunga dê uma chance para o atacante mostrar suas qualidades com a camisa amarela.

O adversário na final será o tradicional Estudiantes de La Plata. O primeiro jogo será na Argentina na próxima quarta-feira e a partida final acontecerá no Mineirão, dia 15. O Cruzeiro disputará sua quarta decisão de Libertadores e, caso conquiste o título, igualará o número de conquistas do São Paulo. O tricampeonato é completamente possível e aponto a equipe Celeste como favorita na decisão. Depois de 12 anos, a parte azul das Minas Gerais está em festa e completamente confiante para mais uma conquista continental. 

O Cruzeiro é favorito na decisão da Libertadores? Kléber realmente é o grande destaque do time? O atacante merece uma chance na Seleção Brasileira? Opine!

Anúncios

Read Full Post »

 Wellington Paulista

O Grêmio poderia ter matado o jogo e não foi eficiente. O Cruzeiro foi competente, aproveitou suas chances, mas tomou um gol no final que deu sobrevida aos gaúchos. Em um jogo muito disputado, o Cruzeiro venceu o Grêmio por 3X1, no Mineirão, e abriu boa vantagem na primeira partida da semifinal da Taça Libertadores da América 2009.

Já diria um velho bordão do futebol: ‘quem não faz, toma’. E essa frase poderia resumir o que aconteceu nesta noite em Belo Horizonte. O Tricolor Gaúcho teve tudo para sair praticamente classificado do Mineirão, mas Alex Mineiro e Maxi López desperdiçaram suas chances. Primeiro o atacante argentino lutou e foi à linha de fundo, cruzou a bola para a área e Alex Mineiro furou cara a cara com Fábio. Depois, aos 14 minutos, o mesmo Alex Mineiro, sozinho na área, cabeceou fraco e perdeu mais uma chance. O Cruzeiro não levava perigo no ataque e o Grêmio, ousado, mostrava que nos contra-ataques poderia surpreender. Maxi López teve mais uma grande chance. Aos 22 minutos, o argentino roubou a bola do zagueiro Thiago Heleno, driblou um cruzeirense, escolheu o canto e na frente de Fábio conseguiu fazer o improvável: chutou a bola para fora. Três chances claras e nenhum gol. Jogos de futebol em alto nível como esses não permitem erros em demasia. A bola, realmente, pune. E o Grêmio levou essa punição.

Aos 37 minutos, o Cruzeiro teve sua primeira chance real de gol. A torcida já se irritava com os inúmeros erros de Wellington Paulista, quando ele apareceu. Kléber cruzou a bola da direita e o atacante subiu mais que a zaga gremista para de cabeça abrir o placar e explodir a torcida Celeste. O jogo foi para o intervalo e Souza parecia prever o pior. Disse que desde a época de Pelé e Garrincha, todos no mundo do futebol sabem que gols desperdiçados não são bom sinal. E ele tinha razão.

Logo no primeiro minuto da segunda etapa o Cruzeiro aumentou a vantagem. O meia Wagner chutou forte, a bola desviou em Tcheco e traiu o goleiro Marcelo Grohe. 2X0. Festa na parte azul das Minas Gerais. O Cruzeiro sentia que era o momento de partir para cima e ampliar o placar. O Grêmio sentiu o segundo gol e ficou perdido em campo. O jovem volante Adílson parecia nem estar em campo. Fábio Santos sofria demais com Jonathan. Marquinhos Paraná, talvez a principal peça dessa boa equipe cruzeirense, além de ser polivalente marcando e saindo para o jogo com a mesma eficiência, foi decisivo para o terceiro gol do Cruzeiro. Ele cruzou a bola para a área e o ex-corintiano Fabinho subiu sozinho para marcar mais um.

Estava mais fácil sair o quarto gol do Cruzeiro do que o primeiro do Grêmio, totalmente abatido em campo. Os mais de 50 mil cruzeirenses já gritavam ‘Tricampeão, tricampeão, tricampeão’, enquanto o time Celeste tocava a bola e deixava o tempo passar. Mas o Tricolor Gaúcho, conhecido por sua imortalidade, nunca pode ser dado como morto antes do apito final. Em um toque de mão do atacante Kléber, o juiz anotou falta para os gremistas na entrada da área. O iluminado Souza cobrou com perfeição por cima da barreira e diminuiu, aos 42 minutos.

O jogo acabou e o resultado foi justo. A equipe que mais soube aproveitar as chances venceu. A classificação cruzeirense não está garantida, graças ao gol de Souza, que dá ao Grêmio a possibilidade de vencer por 2X0 para chegar à final da Libertadores. O Cruzeiro pode perder por um gol de diferença e empatar para ir à decisão. Confronto aberto e sem favoritos no próximo dia 2 de julho, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre.

NOTA TRISTE: O fato a se lamentar na partida foi a acusação feita pelo volante Elicarlos, do Cruzeiro, que disse que durante o jogo foi chamado de ‘macaco’ pelo argentino Maxi López. O atacante gremista negou, mas o caso ainda está sendo investigado pela polícia mineira. Se for confirmado, só podemos lamentar mais uma vez um ato racista no esporte. Isso é inadmissível, triste e chateia quem gosta de esporte e de paz e odeia ‘burrices’ com essas.

Read Full Post »

Corinthians

Foi um jogo digno de uma final. Os 37.438 torcedores que estiveram esta noite no Pacaembu viram o melhor jogo do ano no futebol brasileiro. O Corinthians venceu o Internacional por 2X0 na primeira partida decisiva da Copa do Brasil 2009 e está com uma mão na taça.

Os alvinegros entraram em campo sem André Santos, que está servindo a seleção brasileira e Mano Menezes optou por colocar o jovem Marcelo Oliveira na lateral esquerda. Já o clube gaúcho jogou mais fragilizado, sem suas duas principais estrelas – D’Alessandro e Nilmar – e os titulares Bolívar e Kléber. Para quem pensou que o jogo seria mais fraco pelos desfalques das duas equipes, muito se enganou. O Timão venceu merecidamente, mas o Inter provou que realmente é uma grande equipe. Mesmo com os ‘reservas’ Andrezinho e Alecsandro, o Colorado jogou muito bem e poderia até ter vencido o Corinthians, não fosse mais uma bela atuação do goleiro Felipe.

O Corinthians aproveitou a pressão a favor vinda das arquibancadas e logo no primeiro minuto mostrou seu cartão de visitas. Douglas cobrou falta para a área, Lauro saiu errado e Chicão quase abriu o placar, mas Marcelo Cordeiro evitou o gol. Mas após o erro, Lauro se recuperou e fez grande defesa aos 22 minutos, em chute de Ronaldo. Até esse momento Guiñazu, pelo lado Colorado e Elias e Jorge Henrique, pelo Timão, eram os destaques da partida. É impressionante a vitalidade, a força, a vontade e a garra de Guiñazu. O argentino é um leão no meio campo do Inter, mas nem ele conseguiu evitar o gol corintiano. Aos 26 minutos o reserva Marcelo Oliveira fez grande jogada pela esquerda, driblou Danilo Silva, levantou a cabeça e deixou Jorge Henrique na cara do gol. O atacante só completou para as redes e fez o Pacaembu explodir de emoção. 

O primeiro tempo acabou e evidenciou algumas coisas. Além de estar com um grupo muito forte, com jogadores sincronizados na defesa, no meio e no ataque, o Corinthians realmente é um adversário indigesto dentro do Pacaembu. A Fiel Torcida empurra o time e os jogadores sentem o clima. O Inter foi uma equipe guerreira e pouco antes de tomar o gol, por pouco não abriu o placar. Após sofrer o gol, continuou atuando da mesma forma, partindo para cima, buscando o gol como todo grande time deveria fazer. Não foi medroso e não se intimidou.

A segunda etapa prometia mais emoções e não deixou a desejar. Os dois times voltaram com as mesmas equipes. O Corinthians voltou com o intuito de aumentar o placar e o Inter buscando ao menos o empate. Mas logo aos oito minutos as coisas ficaram melhores ainda para os alvinegros. Ele, sempre ele. Gordo e visivelmente fora de forma, Ronaldo é um gênio da bola. Pouco tinha aparecido na partida até então, mas bastou Elias fazer um ótimo lançamento em profundidade pelo lado esquerdo da defesa gaúcha para o Fenômeno disparar em velocidade, dar um drible seco no zagueiro Índio e chutar no canto esquerdo de Lauro. 2X0 no placar. Gol de Ronaldo. Festa no Pacaembu.

O gol certamente desestabilizaria o Inter, mas mais uma vez dando mostras de ser uma ótima equipe, não foi isso que aconteceu. O Colorado cresceu no jogo e foi com tudo pra cima. Daí até o final da partida só deu Inter. Aos 11, Taison levou perigo, mas se desequilibrou na hora H e facilitou as coisas para Felipe. Cinco minutos depois foi a vez de Andrezinho cobrar uma falta e Felipe fazer bela defesa. O Corinthians amenizou seu ímpeto e, dessa forma, chamava o Inter para cima. A principal chance de gol colorada saiu novamente dos pés de Taison. O jovem atacante puxou um contra-ataque com muita velocidade, tabelou com Andrezinho e ficou cara a cara com Felipe. Em ótima fase, o goleiro corintiano fez mais uma importante defesa, mesmo caído. Aos 31 foi a vez de Guiñazu entrar na área e bater cruzado para Felipe espalmar para escanteio. 

Ainda deu tempo de os dois técnicos cometerem seus únicos erros na partida. Tite sacou Alecsandro, que estava sumido em campo e colocou o estranho Leandrão. Não deu outra. No primeiro lance o atacante deu uma entrada criminosa por trás em Cristian e poderia ser expulso, mas o juiz Heber Roberto Lopes o puniu apenas com o cartão amarelo. Na segunda vez que a bola chegou perto de Leandrão, ele deu outra entrada ridícula, digna de quem não conhece nada de futebol e, enfim, foi expulso. Dois lances e dois carrinhos desleais em pouco mais de 10 minutos de ‘apresentação’ de Leandrão. O segundo equívoco foi corintiano. Mano Menezes colocou Souza no lugar de Jorge Henrique. No primeiro segundo em campo, mesmo sem encostar na bola, o atacante conseguiu tomar um cartão amarelo que o deixará fora da decisão no Beira-Rio. A ausência dele é mais reforço do que desfalque para o Timão.

O segundo round dessa grande final acontecerá daqui 15 dias. No dia 1º de julho, o Inter receberá o Corinthians no Beira-Rio e precisará devolver o mesmo placar para levar a decisão para os pênaltis ou ganhar por uma diferença de três gols para conquistar seu segundo título na Copa do Brasil. A situação do Corinthians é confortável, mas não será nada fácil. Todo cuidado é pouco. Além dos reforços de D’Alessandro e Nilmar, a torcida colorada não deixa a desejar e promove uma pressão e uma festa semelhante às ocorridas no Pacaembu. O Timão está com uma mão na taça e, se não vacilar, erguerá seu terceiro troféu da competição nacional. Uma coisa é certa para o próximo jogo. Com certeza veremos outra grande partida, dessas que deixam qualquer amante do futebol emocionado.  

Read Full Post »

Obina

Dizem que em jogos de mata-mata a partida que realmente importa e faz diferença é o jogo de ida. E mais uma vez esse quesito foi decisivo. O Palmeiras teve tudo para vencer pelo menos por dois gols de diferença no dia 28 de maio, quando atuou no Palestra Itália não jogou bem e empatou por 1X1 com o Nacional, do Uruguai. Hoje, no estádio Centenário, em Montevidéu, o Palmeiras foi um pouco melhor que os uruguaios, mas não conseguiu tirar o zero do placar e por ter feito um gol fora de casa, o Nacional está nas semifinais da Taça Libertadores da América depois de 21 anos.

Em um jogo feio e truncado, o Palmeiras levou mais perigo à meta uruguaia. Logo aos oito minutos do primeiro tempo, Cleiton Xavier cobrou escanteio fechado e o goleiro Muñoz espalmou a bola que caprichosamente bateu no travessão. O lance animou a equipe brasileira, que mesmo nervosa em campo, continuava apertando o Nacional em busca do gol. A segunda chance do Verdão na partida saiu dos pés de Keirrison. Após cruzamento rasteiro de Diego Souza, o atacante desviou a bola por cima do goleiro e da trave.

O Palmeiras levava perigo nas investidas de Armero pela esquerda. Em um desses lances, o lateral esquerdo cruzou e a bola bateu no braço do zagueiro Coates. Mesmo com a reclamação alviverde, o juiz Carlos Vera mandou o lance prosseguir e não anotou o pênalti. Sem dúvidas foi um lance difícil, mas creio que houve intenção do uruguaio em tocar na bola, portanto, a penalidade deveria ter sido marcada.

O segundo tempo não foi muito diferente dos 45 minutos iniciais. O Palmeiras caiu um pouco de rendimento e a equipe uruguaia intensificou a catimba. O técnico Vanderley Luxemburgo percebeu que a vaga estava ameaçada e fez três alterações. Entraram Ortigoza, Obina e Souza nos lugares de Willians, Marcão e Wendel, respectivamente. Era a chance do Palmeiras colocar pressão nos uruguaios para furar o bloqueio. Aos 25 minutos Obina teve sua primeira chance. Dominou a bola, girou em cima do adversário e chutou muito mal para fora. O Nacional entendeu o recado que o Verdão partiria para o tudo ou nada e se viu ameaçado. Dessa forma, os uruguaios passaram a tocar mais a bola para deixar o tempo correr.

Mas aos 39 minutos Obina fez a torcida alviverde enlouquecer. Não, ele não fez o gol. Deixou os torcedores enlouquecidos de raiva. Após bom cruzamento de Ortigoza, o atacante sozinho conseguiu cabecear a bola para fora, desperdiçando a melhor chance do jogo e praticamente garantindo a classificação do Nacional. Um minuto depois, em rápido contra-ataque o atacante García entrou na área e tocou no canto de Marcos, mas a bola saiu rente à trave. No desespero, Marcos tentou ser mais santo do que o normal e foi em duas oportunidades até a área do Nacional para tentar fazer o gol. Mas nem ‘São Marcos’ conseguiu salvar o Palmeiras dessa vez e a equipe paulista está eliminada da competição sul-americana.

Ainda não vi as declarações de Luxemburgo após a partida, mas já imagino qual serão as ‘desculpas’. Torcida, gramado ruim e arbitragem com certeza serão usados como explicação. Nada precisa ser explicado. O Palmeiras não atuou bem nos dois jogos. Não conseguiu furar a retranca do time de Gerardo Pelusso, mesmo tendo um time melhor que o Nacional. De qualquer forma, não faltou luta aos palmeirenses, faltou um pouco mais de qualidade e tranquilidade para definir os lances no ataque. Mais uma vez Luxemburgo não conseguirá conquistar o título que mais deseja. Ao Palmeiras resta o Campeonato Brasileiro.

Read Full Post »

– Devido as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, a 5ª rodada do Campeonato Brasileiro foi desmembrada e começou na quinta-feira. Santo André e Santos fizeram um jogo eletrizante e empataram em 3X3, no Estádio Bruno José Daniel. O empate teve sabor de derrota para o alvinegro praiano, já que a equipe do técnico Vagner Mancini cedeu o empate por três vezes aos donos da casa. Os destaques positivos da partida foram os bonitos gols do Santos. Kléber Pereira fez o primeiro após driblar o goleiro Neneca, Madson fez um bonito gol de primeira e Fabão encheu o pé em cobrança de falta para fazer o terceiro. Pelo lado do Santo André, Nunes foi o destaque com dois gols. Porém, como acontece constantemente, Fábio Costa foi o destaque negativo do jogo. O goleiro santista, que em muitas vezes é maldoso nas divididas com os atacantes adversários, manteve a escrita e repetiu a ação em dose dupla. Primeiro deu uma entrada criminosa em Gustavo Nery, que saiu de campo de maca e foi direto para o hospital, será operado e desfalcará a equipe por três meses. Na segunda vez, a vítima de Fábio Costa foi o atacante Nunes. Lamentável.

– O Grêmio conquistou sua segunda vitória no certame nacional também na quinta-feira, após vencer o Náutico por 3X0, no Estádio Olímpico. Destaque para Souza e Maxi Lopez, que na semana passada se desentenderam e criaram um clima ruim no grupo gremista, mas deram a volta por cima e marcaram os gols da vitória. Souza fez dois e o argentino completou o marcador.

– No sábado, em partida isolada, o Corinthians venceu o Coritiba e deixou os paranaenses em situação delicada na tabela. Destaque para a boa partida de Douglas, que começou a jogada do primeiro gol e marcou o segundo. Souza, enfim, fez um gol com a bola em jogo e agora soma míseros três gols em 27 jogos com a camisa alvinegra. Pouco, muito pouco para um atacante de uma equipe grande e que ganha um salário que não condiz com suas atuações. Outro fato que merece destaque foi a postura de Jucilei em campo. Muito rápido e habilidoso, o volante aos poucos vem ganhando espaço e pode se tornar titular nos próximos jogos. O Coritiba continua com um ponto em 15 disputados e Renê Simões já se vê ameaçado no comando da equipe.

– No domingo a rodada teve os outros sete jogos. No Palestra Itália, o Palmeiras sofreu, tomou sufoco e mesmo assim conseguiu sair com a vitória graças a um gol de cabeça de Maurício Ramos, nos acréscimos da partida. O placar de 2X1 não mostrou o que realmente foi visto em campo. O Vitória criou as principais chances de gols e ainda teve um gol não validado pela arbitragem. Apodi levantou a bola na área, Roger cabeceou e Marcos fez mais um de seus milagres, mas a bola já tinha passado da linha, porém a arbitragem mandou o jogo seguir, o que causou indignação por parte dos jogadores e da diretoria do clube baiano. O Palmeiras anda meio perdido em campo e a pressão da torcida em cima de Keirrison e, principalmente, de Vanderlei Luxemburgo, parece atrapalhar o rendimento de todo o grupo.

– O São Paulo bem que tentou, mas não conseguiu tirar o zero do placar na partida contra o Avaí, na Ressacada, em Florianópolis. Sem Eduardo Costa, machucado e Miranda, servindo a Seleção Brasileira, Muricy mudou o esquema e voltou para o 4-4-2, com o estreante Jean Rolt na zaga ao lado de André Dias e Hernanes, Richarlyson, Jean e Marlos no meio campo. Porém, a tarde foi dos goleiros, principalmente de Eduardo Martini, que fez pelo menos quatro defesas difíceis e importantes em investidas são paulinas. Denis também foi bem e começa se firmar na meta Tricolor. Mas num contexto geral, o São Paulo não mostrou o mesmo futebol da partida contra o Cruzeiro, teve muitas dificuldades no meio e no ataque e não agradou a torcida. Dois destaques negativos no jogo. Hernanes continua em péssima fase e ontem deu provas disso novamente. E o Washington, que há duas semanas auxiliou o companheiro Borges, fez o mesmo. Não conseguiu dominar uma bola, não levou nenhum perigo à meta adversária e ainda saiu esbravejando quando foi substituído por Dagoberto. Muricy Ramalho terá mais trabalho para domar os egos de seus jogadores.

– Nos outros jogos, citarei apenas as principais considerações. Grande partida do Sport na estreia de Émerson Leão no comando da equipe. Em oito minutos, os pernambucanos viraram o jogo contra o Flamengo com três gols de Weldon e um de Durval. O Atlético-MG confirmou o bom começo no Brasileirão-09 e atropelou o apático Atlético-PR dentro da Arena da Baixada, com destaque para Diego Tardelli e Eder Luis. O Fluminense venceu o rival Botafogo na bacia das almas, no finalzinho do jogo, gol um bonito gol de Fred. O jogo mais esperado da rodada entre Cruzeiro e Inter terminou empatado e foi marcado por mais uma confusão envolvendo o atacante Kléber, que foi expulso com justiça após empurrar Marcelo Cordeiro. A mesma justiça foi feita na expulsão do goleiro Lauro, que tomou as dores do companheiro e chutou Kléber.

Resultado e a classificação após a 5ª rodada do Brasileirão-09:

Santo André (14°) 3X3 (4°) Santos
Grêmio (8°) 3X0 (5°) Náutico
Corinthians (9°) 2X0 (19°) Coritiba
Palmeiras (6°) 2X1 (3°) Vitória
Sport (15°) 4X2 (11°) Flamengo
Avaí (17°) 0X0 (12°) São Paulo
Goiás (13°) 2X2 (16°) Barueri
Cruzeiro (10°) 1X1 (1°) Internacional
Atlético-PR (20°) 0X4 (2°) Atlético-MG
Fluminense (7°) 1X0 (18°) Botafogo

E você torcedor, o que achou da 5° rodada do Brasileirão? Opine!

Read Full Post »

Denis

Os goleiros foram decisivos na tarde deste domingo no Palestra Itália. Com 35 anos, Marcos não precisa provar nada para ninguém: ídolo do Palmeiras, campeão do mundo pelo Brasil e com uma carreira brilhante. Denis tem 22 anos, foi revelado pela Ponte Preta, disputou apenas a segunda partida com a camisa do São Paulo e é apontado como possível sucessor de Rogério Ceni. O que esses dois goleiros têm em comum? Ambos fizeram uma grande partida hoje, mostraram que a experiência e a juventude podem fazer a diferença no futebol e pelas mãos de Marcos e Denis, o clássico Palmeiras X São Paulo terminou empatado em 0X0.

Alviverdes e tricolores têm como objetivo no primeiro semestre a Taça Libertadores da América e ambos iniciarão as quartas-de-final nesta semana. O primeiro contra o Nacional-URU e o segundo contra o Cruzeiro. Por mais que a prioridade não seja o Campeonato Brasileiro nesse momento, ninguém gosta de perder em clássicos. Por esse motivo, Vanderlei Luxemburgo e Muricy Ramalho mandaram a campo os times titulares para buscarem a vitória e se prepararem para os confrontos decisivos da competição sul-americana.

O clássico foi empatado até mesmo nas oportunidades de cada equipe. Aos 8 minutos da primeira etapa o São Paulo quase abriu o placar. A bola foi levantada para a área e o zagueiro André Dias cabeceou forte, mas Marcos fez seu primeiro grande milagre na partida. Quatro minutos mais tarde, Mozart errou feio na saída de bola, Jorge Wagner roubou a bola e lançou para Dagoberto. O atacante obrigou Marcos a fazer outra importante defesa.

Com a pressão são paulina, o Palmeiras acordou e também quase abriu o placar em duas oportunidades. Primeiro foi a vez de Diego Souza, que arriscou de fora da área e Denis defendeu. Depois foi a vez do goleiro Tricolor fazer seu milagre também. Aos 31 minutos, Wendel cruzou da direita e Keirrison mandou de voleio para o gol. Denis espalmou fazendo uma ótima defesa. Mesmo com o São Paulo melhor na primeira etapa, o Palmeiras cresceu na segunda metade dos 45 minutos iniciais. O jogo foi para o intervalo e os treinadores saíram reclamando do árbitro Rodrigo Braghetto.

Com os ânimos mais calmos, o segundo tempo começou e o Palmeiras voltou com duas mudanças. Luxemburgo colocou o atacante Lenny no lugar do zagueiro Danilo e  Souza na vaga de Mozart, deixando sua equipe mais ofensiva. O primeiro lance interessante do segundo tempo foi o mais polêmico do jogo. Diego Souza driblou Miranda dentro da área e caiu pedindo pênalti. O juiz não marcou a penalidade e causou revolta nos jogadores alviverdes. O lance é discutível e com o recurso da TV, esse blogueiro marcaria o pênalti.

O jogo ficou morno e as equipes não se arriscavam muito. Aos 30 minutos a partida voltou a ter emoção. O zagueiro Maurício Ramos fez falta em Dagoberto e tomou seu segundo cartão amarelo, sendo expulso pelo árbitro. Depois, Dagoberto e Washington tiveram mais duas chances de dar a vitória ao São Paulo. Primeiro Dagoberto invadiu a área palmeirense e chutou forte, mas Marcos defendeu. Aos 46 minutos, W9 teve a melhor chance da partida e por muito pouco não saiu do seu jejum de gols que agora dura sete partidas. O atacante fez bonita jogada, cortou duas vezes o zagueiro Marcão e chutou para o gol, mas ‘São Marcos’ operou outro milagre. Ainda deu tempo de Diego Souza cabecear uma bola no chão e obrigar o jovem goleiro são paulino a fazer outra boa defesa.

O jogo foi muito bom e movimentado. O resultado igual foi justo pelo que as duas equipes produziram e principalmente pelas ótimas atuações de Marcos e Denis. Marcos continua salvando o Palmeiras e é cada vez mais idolatrado pela torcida alviverde. Denis que jogou sua primeira partida inteira como titular do São Paulo, atingiu as expectativas da torcida e de Muricy Ramalho, fazendo boas defesas e se mostrando seguro embaixo da trave. O jovem goleiro tem tudo para ser o sucessor do ídolo Rogério Ceni. Com o empate, o Palmeiras somou seu quarto ponto na competição e terminou a 3ª rodada na 11ª posição. O São Paulo ainda não venceu nesta edição do Campeonato Brasileiro, somou seu segundo ponto e está na 16ª posição. Agora, as duas equipes voltam todas as atenções para a Libertadores.

Read Full Post »

O Tricolor gaúcho terminou a primeira fase da Taça Libertadores da América na primeira colocação e se transformou em um dos grandes favoritos ao título. O adversário de hoje, na partida de ida das oitavas-de-final, era o caçula Universidad San Martín, do Peru. Jogando no Estádio Alejandro Villanueva, em Lima, o Grêmio não tomou conhecimento dos peruanos, venceu por 3X1 e agora só um milagre tira a vaga para as quartas-de-final dos gaúchos. Os gols da partida foram anotados por Souza e Maxi López para o Grêmio e Arzuaga para o San Martín. O próximo jogo acontece na semana que vem no Estádio Olímpico, em Porto Alegre. O Tricolor segue firme em busca do tricampeonato sul-americano.

Read Full Post »

Older Posts »