Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Muricy Ramalho’

O clássico ‘Majestoso’ entre Corinthians e São Paulo era muito importante para as aspirações das equipes no campeonato estadual. Ambos vinham de derrota no meio da semana e só a vitória interessava para os alvinegros, enquanto os são paulinos precisavam vencer para praticamente garantir uma vaga entre os semifinalistas. Em um jogo eletrizante, marcado por erros dos goleiros, o Corinthians venceu por 4 a 3 com um gol nos acréscimos e continua com chances no Paulistão.

O jogo começou com o São Paulo bem postado e chegando ao ataque, mas em poucos minutos os donos da casa colocaram as coisas no lugar e passaram a dominar a partida. Esse domínio foi traduzido em gol, aliás, em gols. A primeira grande chance do Corinthians aconteceu aos 15 minutos. Em um lance incrível, Paulo André cabeceou na trave, no rebote Dentinho mandou no outro poste e na terceira tentativa Rogério Ceni fez grande defesa, salvando o Tricolor. Porém, três minutos depois, o Corinthians abriu o placar, após boa jogada de Danilo, passe de Ronaldo e conclusão de Elias. O jogo ficou quente e não demorou para o alvinegro ampliar a contagem. Miranda não conseguiu interceptar a bola dentro da área e o ex-são paulino Danilo, de direita, mandou uma bomba para marcar o segundo. Um minuto depois o clima esquentou. Washington e Dentinho dividiram a bola, o corintiano agrediu, tomou um empurrão do são paulino e agrediu novamente. O árbitro expulsou os dois e colocou panos quentes na situação.

O jogo parecia perdido para o São Paulo, quando Dagoberto fez boa jogada pela esquerda e rolou para trás, encontrando Jean livre para diminuir o placar. Um gol que renovou as esperanças do time do Morumbi. Na volta do intervalo, Ricardo Gomes tirou o apagado Léo Lima e colocou o atacante Fernandinho. Mas, aos sete minutos, o Corinthians ampliou novamente. Roberto Carlos cobrou falta de longe e Rogério Ceni aceitou. O Timão melhorou na partida de novo e poderia ter feito o quarto e até o quinto gol. Porém, o São Paulo que parecia morto, reviveu e buscou o empate. Primeiro, Hernanes cobrou falta, o goleiro Rafael bateu roupa e Rodrigo Souto aproveitou para marcar o segundo gol. Um pouco depois, Cicinho ergueu a bola na área e, em nova falha do arqueiro corintiano, o volante são paulino aproveitou de novo, marcou seu segundo gol e o terceiro do São Paulo. Com 3 a 3 no placar, Ricardo Gomes sentiu que poderia vencer o clássico e colocou Marlos em campo no lugar de Dagoberto. Mano Menezes, por sua vez, colocou Iarley para tentar a vitória. E o treinador corintiano foi mais feliz. Nos acréscimos, Iarley chutou forte para o meio da área e o zagueiro Alex Silva marcou contra.

O Corinthians mereceu a vitória por 4 a 3, pois foi superior em grande parte do jogo e teve mais raça para decidir. Porém, mesmo com um jogo aberto e bem disputado, as duas equipes ainda não mostraram tudo que se espera delas na temporada. Pelo lado corintiano, Danilo e Roberto Carlos fizeram ótima partida. Elias também jogou bem e, estranhamente, foi substituído no segundo tempo. O treinador errou ao tirá-lo de campo (depois que ele saiu o São Paulo marcou os dois gols que empataram o jogo), já que como de costume, Elias marcava com eficiência e se apresentava muito bem ao ataque. De qualquer forma, Mano Menezes contou com a sorte de ter lançado Iarley nos minutos finais e o atacante decidiu o jogo para os alvinegros.

Pelo lado do São Paulo, Ricardo Gomes parece não ter o controle do grupo. Um elenco qualificado que, em três meses, ainda não fez nenhuma grande partida, não tem sequência e joga um futebol burocrático. Muitos dizem que o atual time são paulino tem a cara do treinador, sem raça, sem vibração. E, de fato, isso está acontecendo mesmo. O São Paulo não vibra durante as partidas, parece estar sempre satisfeito, independente se esteja ganhando ou perdendo. Isso pode prejudicar ainda mais a equipe. Outro fator é a questão do Cicinho. Desde a época de Muricy Ramalho o elenco tricolor carece de um lateral direito de ofício. Por esse motivo, Muricy e Ricardo Gomes sempre improvisaram outros jogadores na posição. A diretoria do São Paulo lutou muito e conseguiu repatriar o Cicinho. Porém, após alguns jogos sem brilho, o lateral foi para a reserva e Jean voltou a ser improvisado. Ora, Cicinho só terá ritmo de jogo disputando as partidas. No banco isso não acontecerá. E perder um jogador no meio de campo como o Jean para colocá-lo numa função que não é a dele, é muito prejudicial para o São Paulo.

Com o resultado, o São Paulo caiu para a quarta colocação e o Corinthians está na cola, em quinto, com um ponto a menos que o rival. Faltando duas rodadas para o final da primeira fase, ambos ainda tem chances reais de avançar às semifinais do Campeonato Paulista.

Read Full Post »

O Corinthians se prepara para 2010 desde julho do ano passado. Fez um grande planejamento, manteve o treinador e, principalmente, o fenômeno Ronaldo, contratou o lateral Roberto Carlos e mais uma grande leva de jogadores. Além, é claro, de aumentar consideravelmente o valor dos patrocínios e lucrar de toda forma com o centenário. Tudo isso foi feito para brindar os cem anos do clube com jogos inesquecíveis e conquistas, principalmente a Copa Libertadores, sonho de consumo de dez em dez torcedores alvinegros.

Porém, o que se viu até agora em nada se parece com todo o planejamento da diretoria, da comissão técnica e até dos jogadores. Por incrível que pareça, o Corinthians está com um time inferior ao do ano passado, quando se sagrou campeão paulista invicto e venceu a Copa do Brasil. Quase tudo mudou de lá para cá. Mesmo Mano Menezes sendo um bom treinador, em 2010 nada se viu do Timão. No Campeonato Paulista, o Corinthians está na sexta colocação e não convenceu em nenhuma partida ainda. Na estreia da Libertadores, sofreu para vencer um fraquíssimo oponente no Pacaembu.

Essa falta de sintonia é traduzida dentro de campo com o goleiro Felipe colecionando falhas, a dupla de zaga desentrosada e dispersa, Roberto Carlos não provou a que veio e, inclusive, já foi expulso duas vezes, Tcheco continua um jogador com pouca mobilidade, coisa que irrita o torcedor e até mesmo Ronaldo não se apresenta como no ano passado. Até o momento, o craque fez apenas um gol na temporada. Pouca coisa para um dos maiores jogadores de futebol que o planeta já viu. Entretanto, Jorge Henrique e Elias parecem destoar positivamente do resto do elenco e mantiveram o mesmo padrão da temporada passada.

No São Paulo, a história é semelhante. Com partidas pífias no campeonato estadual, o Tricolor está no G4, mais por falta de capacidade dos rivais do que por méritos são paulinos. Com um grande e qualificado plantel montado pela diretoria, era para o time estar rendendo muito mais. Isso deve-se, em grande parte, a insistência do treinador Ricardo Gomes em mesclar a equipe jogo a jogo. Essa tática de ‘rodízio’ vem atrapalhando muito o andamento das coisas no Morumbi. Não há sequência de jogos e consequentemente não existe entrosamento. O time parece um bando em campo com um emaranhado de jogadores no meio campo. Na Libertadores o São Paulo venceu a primeira partida e perdeu a segunda, fora de casa, contra o Once Caldas. Até o momento normal em se tratando de Libertadores. Mas anormal mesmo é a falta de ritmo de jogo do Tricolor.

Até o momento, Cicinho, Cléber Santana, Rodrigo Souto, Léo Lima e Marcelinho Paraíba não justificaram suas contratações. Jorge Wagner anda perdido e sonolento, assim como Hernanes, que deveria ser o cérebro da equipe. Na frente, Dagoberto até que começou o ano bem, mas uma contusão interrompeu sua ascensão. Já Washington, esse é inadmissível como continue sendo titular. Ele acumula gols e mais gols perdidos, que fazem muita falta no final das partidas e, mesmo assim, o treinador o mantém na equipe. Com a evolução de Fernandinho, creio que Washington irá para o banco de reservas.

Essas são as análises de momento das duas equipes paulistas que participam da Libertadores em 2010. É óbvio que tanto Corinthians como São Paulo melhorarão seu futebol, ao menos é isso que se espera. Mas é preciso que essas mudanças apareçam rapidamente, pois como diria o desempregado treinador Muricy Ramalho: “A bola pune”.

Read Full Post »

Essa é a pergunta que todos os palmeirenses gostariam de fazer para o presidente palestrino.

O ano de 2009 começou muito bom para o Verdão. Empolgado, os torcedores vislumbravam um ano perfeito com o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo no comando do clube e o técnico Vanderlei Luxemburgo, comandando o time. A grande esperança era o jovem Keirrison e através de seus gols, a equipe terminou o Paulistão na primeira colocação e como favorita a conquista do título. Porém, com duas derrotas para o Santos na semifinal, o sonho do título terminou e gerou pequenos protestos, mas o importante, à época, era a Copa Libertadores. Entretanto, a equipe do Palestra Itália também foi eliminado da competição sul-americana e a chance de redenção seria o Campeonato Brasileiro.

Luxemburgo brigou com a torcida e com o presidente e foi embora. Belluzzo buscou o tricampeão Muricy Ramalho para levar a equipe ao fim do jejum no campeonato nacional – não vence desde 1994. Tudo parecia perfeito e, logo, o Palmeiras se encaixou, Diego Souza e Cleiton Xavier comandavam o time, Marcos era a segurança defensiva e no ataque, Obina e o ex-ídolo na campanha da série B, em 2003, Vagner Love, garantiam os gols. Após a metade da competição, o Verdão era apontado como o grande favorito para conquistar o título, depois de ficar 19 rodadas na liderança. Mas aos poucos, começou a perder pontos para equipes fracas e que figuravam na zona de rebaixamento do campeonato. Logo, a liderança foi perdida, assim como o título e, principalmente, o mais dolorido para todos no Palestra Itália, a vaga na Copa Libertadores desse ano. Como isso pode ter acontecido?

Muricy Ramalho não foi o mesmo treinador que era no São Paulo. Não teve o grupo nas mãos, não tinha peças de reposição para suprir as contusões e os atletas em má fase e, principalmente, não tinha uma zaga sólida como no Tricolor. Esses fatores fizeram o Palmeiras perder um título quase ganho. Mas o ano de 2010 prometia ser melhor. E até agora, não foi.

Logo no começo da temporada, Vagner Love, eleito como o ‘culpado’ pela derrocada no ano passado pela torcida organizada, foi agredido, pegou sua mala e partiu para o Flamengo. Enquanto isso, a diretoria tentava, tentava, tentava e não contratava ninguém, ao tempo que todos os rivais iam reforçando seus elencos. O Verdão ficou pra trás, perdeu o timing do mercado e ficou com o elenco praticamente igual o da temporada anterior.

Gilberto Cipullo queria a saída de Muricy há muito tempo, mas Belluzzo ainda confiava em seu treinador. Porém, com a derrota vexatória para o São Caetano em casa pelo Paulistão, a situação se tornou insustentável e o treinador foi demitido. A crise interna no Palmeiras aumenta a cada dia. Belluzzo parece não ter conseguido comandar a equipe do seu coração. Há muitas críticas e acusações da oposição e, por mais que negue, isso o balança. Outro fator que o incomoda é a enorme pressão da torcida organizada, que protesta muito, cobra sempre e as vezes age até com violência quando os resultados não aparecem. O que Belluzzo poderia fazer para tirar o Palmeiras dessa crise? Ele também não sabe e, após a demissão do antigo treinador, contratou o novato e inexperiente técnico Antônio Carlos Zago.

Logo na primeira partida dele no comando, a equipe venceu o clássico contra o São Paulo e colocou panos quentes na insatisfação da torcida. Ganhou do fraquíssimo Flamengo-PI e avançou na Copa do Brasil. Porém, no último domingo, mesmo sem condições de jogo, o Verdão foi derrotado pelo Rio Claro, até então lanterna do Paulistão. E tudo voltou à tona novamente. A torcida questiona se Antônio Carlos realmente é o técnico ideal, porque Diego Souza sumiu nos últimos meses e tantas outras coisas que enlouquecem o culto presidente.

O Palmeiras corre sérios riscos de não conseguir se classificar para as semifinais do campeonato estadual e terá concorrentes fortíssimos nas próximas fases da Copa do Brasil. O mercado se fechou e o Verdão quase não se reforçou. Qual seria a fórmula para sair dessa situação? Belluzzo deveria ser mais autoritário em suas decisões, chamar a responsabilidade para si, além de conversar com o elenco e pedir comprometimento dos jogadores. Outro problema será resolver o entrave com a parceira Traffic, que não aposta mais no Palmeiras depois das seguidas desilusões. E na janela do meio do ano, tratar de trazer reforços com mais qualidade para não fazer feio no Campeonato Brasileiro novamente. A situação é complicada, mas dá para resolver. Basta Belluzzo ter pulso firme e usar sua inteligência. O Palmeiras não está morto, mas precisa se cuidar para não ter o mesmo final melancólico do ano passado.

Read Full Post »

Pessoal, primeiramente gostaria de agradecer aos comentários e ao apoio de sempre ao MFC. Aliás, preciso me explicar para vocês. Há 11 dias não atualizo o blog. O motivo por essa ausência é o meu TCC. Como a grande maioria sabe, estou no último ano da faculdade e a correria com o TCC aumentou muito nos últimos meses. Como tirei férias do trabalho por duas semanas, aproveitei para dar uma boa agilizada no trabalho e, por esse motivo, deixei o blog um pouco de lado. Peço desculpas aos meus assíduos leitores e peço um pouco de compreensão, já que ainda ficarei um pouco distante nas próximas semanas. Acredito e sei da importância do blog e dessa interação com vocês, mas no momento estou totalmente focado em meu trabalho de conclusão de curso. O meu futuro também depende desse trabalho. De qualquer forma, tentarei não ficar tão distante como nessa última semana, farei o possível. Afinal, já estava com saudades de escrever aqui.

O futebol realmente é mágico. Quando escrevi meu último post aqui, o planeta bola estava de um jeito e hoje, apenas 11 dias depois, muitas coisas já mudaram. No Brasil, Muricy Ramalho foi contratado pelo Palmeiras e depois da longa novela, o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo novamente deu a ‘notícia’ pelo Twitter. Vanderlei Luxemburgo foi pela quarta vez para o Santos e, para variar, já criou polêmica. Como ele gosta de aparecer né? Precisava ter agido daquela maneira com o Roberto Brum? Enquanto isso, o contestado Tite continua no cargo no Internacional. O polêmico Leão já saiu do Sport e até o discreto Sérgio Guedes deixou o Santo André. Cuca, depois de colocar a cara a tapas e ser humilhado pela diretoria rubro-negra, enfim, pegou seu boné e saiu do Flamengo.

Jogadores também foram notícia nos últimos dias. O Corinthians iniciou um desmanche que ainda não tem prazo para terminar. André Santos e Cristian foram para o Fenerbahçe. Douglas foi vendido para o desconhecido Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos. A maior promessa corintiana da década saiu pelas portas do fundo. Lulinha foi emprestado por dez meses para o Estoril, de Portugal. Otacílio Neto foi para o Barueri. Wellington Saci para o Atlético-MG. Felipe, Elias e Chicão ainda podem sair. No meu último post aqui, o Corinthians estava na melhor das fases, mas o desmanche, a contusão de Ronaldo – ficará fora por pelo menos um mês – e, principalmente, a derrota para o Palmeiras, já mudaram o clima no Parque São Jorge.

Enquanto isso, Obina curte a boa fase. Chegou como piada no Palmeiras e bastaram os três gols contra o rival, para o atacante cair nas graças da torcida. Até quando esse amor durará? O Palmeiras subiu muito na tabela e já divide a liderança com o Galo. Será que Muricy conseguirá seu tetracampeonato nacional? Há 11 dias, o São Paulo vivia seu pior momento nos últimos seis ou sete anos. A crise instaurada depois da eliminação na Libertadores, aliada a demissão do treinador e ao péssimo futebol, deixavam os torcedores desacreditados. Com o dinamismo do futebol, isso já mudou um pouco. E agora, os mesmo torcedores, até em título já falam. Como pode acontecer isso? Ah, o Santos repatriou o volante Émerson, o mesmo que disputou duas Copas do Mundo pelo Brasil, em 1998 e 2006. Boa contratação. O Guarani perdeu a invencibilidade na série B do Brasileirão e vêm de três resultados ruins.

Fora do Estado de São Paulo, as coisas mudaram muito também. O mágico time do Internacional de dois meses atrás, já evaporou. Além de estar caindo na tabela, Tite parece ter perdido o comando do grupo. D’Alessandro e Taison viraram reservas. O primeiro, inclusive, está afastado por deficiência na parte física. Nilmar foi para o Villareal. O Atlético-MG perdeu em casa para o Goiás e já começaram as incertezas sobre a qualidade do elenco e, principalmente, do técnico Celso Roth. O Cruzeiro está tentando se reerguer depois da Libertadores e para isso contratou o lateral esquerdo Gilberto e o equatoriano Guerrón. O Vitória continua somando seus pontinhos e se mantém no G4. Fluminense, Náutico, Sport, Botafogo e Atlético-PR estão ainda mais ameaçados e demonstram não terem forças para saírem da parte debaixo da tabela.

No exterior, os milhões de euros continuam passando por cima da crise financeira. Samuel Eto’o deixou o Barcelona e foi para a Inter de Milão. O sueco Ibrahimovic fez o caminho inverso. Keirrison foi emprestado para o Benfica e deverá jogar a temporada inteira no futebol português. Os times europeus, diferente dos brasileiros, continuam fazendo suas pré-temporadas. Mesmo que os torneios disputados não valham nada, o treinamento é importante.

Resumindo, citei apenas as coisas que lembrei no momento, mas vocês já viram como o futebol é dinâmico né? Em pouco mais de uma semana, tudo pode mudar. Jogadores e treinadores trocam de clubes como trocam de roupas. O termo ‘crise’ no futebol não é uma coisa para ser levada tão a sério também. Hoje um time está em crise. Amanhã não está mais e vice-versa. Como é fantástico esse Planeta Bola. Mesmo com tantas coisas erradas, consigo me apaixonar cada vez mais pelo esporte.

Um grande abraço a todos!
Continuem sempre acessando o MFC.
Até logo!

Read Full Post »

Mancini, Bittencourt e Parreira: demitidos após a 10ª rodada

Ano a ano a rotineira mudança de treinadores no futebol brasileiro aumenta consideravelmente. No Campeonato Brasileiro de 2009, em apenas dez rodadas disputadas, nada menos do que oito clubes já trocaram seus comandantes. Destaque para o Náutico, que somente nesse período, já está com seu terceiro treinador diferente.

Atlético-PR (Waldemar Lemos no lugar de Geninho), Fluminense (Vinicius Eutrópio ‘interino’ no lugar de Carlos Alberto Parreira), Grêmio (Paulo Autuori no lugar do ‘interino’ Marcelo Rospide), Náutico (Márcio Bittencourt no lugar de Waldemar Lemos e Geninho no lugar de Márcio Bittencourt), Palmeiras (Jorginho ‘interino’ no lugar de Vanderlei Luxemburgo), São Paulo (Ricardo Gomes no lugar de Muricy Ramalho) e Sport (Leão no lugar de Nelsinho Baptista) são os times que deram início a dança dos técnicos no Brasileirão-09. Isso sem contar o Santos, que demitiu Vagner Mancini e ainda não definiu seu substituto. Vale ressaltar que desses oito clubes que mudaram a comissão técnica, somente o Palmeiras figura entre os quatro primeiros do campeonato. Alguma coincidência?

A 10ª rodada foi determinante para o aumento desses números. O Náutico foi goleado pelo Palmeiras em São Paulo e Márcio Bittencourt foi demitido. A diretoria do Timbu agiu rapidamente e confirmou  Geninho como o terceiro técnico do clube na competição. A goleada sofrida pelo Santos na Bahia custou o cargo de Vagner Mancini. As desavenças no grupo e sina de procurar o ‘cagueta’ dentro do clube contribuíram para a demissão. E o experiente Carlos Alberto Parreira foi o outro treinador demitido nessa rodada. A derrota para o Santo André no Rio de Janeiro, a horrível 18ª colocação e a pressão da torcida do Fluminense tornaram a situação insustentável.

O problema dessa constante troca de treinadores é maior do que os dirigentes imaginam. Assim como em todas as profissões, existem profissionais mais e menos capacitados. Mas como diz o ditado futebolístico: “Futebol é resultado”, e esse realmente é o pensamento da grande parte dos cartolas. A bomba sempre estoura nas mãos dos treinadores, mas os dirigentes se esquecem de avaliar um fator muito importante antes das demissões. Os elencos fracos que eles mesmos deram para os treinadores fazerem milagres. Não estou defendendo a categoria dos treinadores de futebol, mas isso fica cada vez mais implícito. E a mudança constante não soma nada na evolução de uma equipe, ao contrário do que os cartolas pensam.

Muricy Ramalho e Vanderlei Luxemburgo estão disponíveis no mercado e figuram como ‘a bola da vez’. Possivelmente ainda treinarão alguma equipe nesse Campeonato Brasileiro. Resta deixar as especulações de lado e saber qual será o paradeiro deles. Vagner Mancini corre por fora, mas é um nome que agrada a grande maioria dos dirigentes. Vamos esperar os próximos capítulos e, obviamente, as próximas demissões.

E você torcedor, o que pensa sobre o ritmo acelerado de demissões de treinadores no futebol brasileiro? É a melhor opção?  Ou só atrapalha o planejamento das equipes? Opine!

Read Full Post »

Rogério Ceni em fase de recuperação

Ele é um mito para a torcida tricolor. Considerado por muitos como o maior ídolo da história do São Paulo, Rogério Ceni é tão poderoso dentro do clube que até nas questões da diretoria ele interfere e opina. É, sem dúvida nenhuma, o jogador mais respeitado e o único com poder de decisão na alta cúpula são paulina. Nos 19 anos de São Paulo, o dia 13 de abril ficará marcado para sempre para Rogério Ceni. Mas diferente de suas conquistas, o capitão lembrará negativamente dessa data.

Em mais um de seus inúmeros treinos com a camisa do Tricolor, Rogério Ceni sofreu a sua maior e única séria contusão na carreira. O problema foi uma grave fratura no tornozelo esquerdo, o que o custou uma cirurgia e um longo período fora dos gramados. Conhecido por sua força de vontade e seriedade no trabalho, o goleiro está surpreendendo os médicos e possivelmente voltará aos gramados no começo do próximo mês. E qual é a novidade de tudo isso? A novidade é um sinal alarmante que ronda o Morumbi. A ausência do capitão e maior líder da equipe deu início a uma crise que há muito tempo não se via no Tricolor.

Realmente o ano de 2009 não vinha sendo bom para Rogério Ceni. Falhas e pequenas contusões marcaram o começo do ano. Querendo ou não, isso abalou o grupo no primeiro trimestre e não fez os jogadores renderem o esperado. O futebol feio e sem garra foram fatores determinantes para o insucesso no início da temporada. Alguma relação com a instabilidade do líder? É bem provável que sim. E depois de seu afastamento dos gramados, as coisas pioraram radicalmente. O São Paulo foi eliminado do Paulistão e da Libertadores dentro do Morumbi. Perdeu para os rivais Corinthians e Cruzeiro sem a gana da vitória, costumeira nos últimos quatro anos. Apático dentro de campo e com inúmeras discórdias dentro do elenco, nem o técnico Muricy Ramalho conseguiu mudar esse panorama e foi demitido.

Mas o que Rogério Ceni tem a ver com isso? Claro que ele não é culpado da má fase e de um time desorganizado e sem espírito. Mas sua ausência comprometeu e muito para que essa situação piorasse. Pode parecer bobagem, mas um jogador experiente, que instrui os mais jovens e é respeitado pelos mais velhos, com mais liderança dentro de campo até mesmo que o treinador, faz falta. Caso Rogério estivesse atuante nas concentrações e treinamentos e, principalmente, dentro das quatro linhas, possivelmente as intrigas entre os atacantes e Muricy não teria ocorrido. Independente se estivesse jogando bem ou mal. Não estou dizendo que o São Paulo não seria eliminado das duas competições, mas pelo menos teria mais vontade e sairia derrotado de cabeça erguida, como prega o capitão são paulino.

Mas não é isso que está acontecendo. Os jogadores não se entendem dentro de campo. Parece que um terremoto devastou a qualidade, a tática e a técnica do time. Creio que o efeito Rogério Ceni seja a mais pura realidade. Seja uma ‘explicação’ para uma equipe desfigurada e sem poder de reação. Ainda faltam muitas rodadas para o final do Brasileirão e com toda certeza o São Paulo pode reagir. Mas creio que isso só acontecerá depois do retorno do goleiro-artilheiro. Ricardo Gomes deve estar muito preocupado com o que viu nas duas primeiras partidas no comando. O treinador precisará trabalhar muito para resgatar a confiança de jogadores como Hernanes e Jorge Wagner. Rogério será um aliado nessa empreitada. Por enquanto, não há perspectivas de melhora. O futebol não encaixa e o capitão faz falta, muita falta. Resta saber o que será do São Paulo daqui dois anos, quando Rogério Ceni possivelmente se aposentará e não poderá vivenciar o dia-a-dia do clube para unir o grupo e exercer sua liderança perante seus companheiros. O São Paulo que já vá ficando menos dependente de seu ídolo.

E você torcedor, o que pensa sobre esse assunto? Rogério Ceni realmente faz falta no grupo são paulino? Ou isso soa como ‘desculpa’ pela má fase da equipe? Qual a importância do goleiro na equipe? Opine!

Read Full Post »

Washington reclamando. Novidade?

Em 2006 foi o Internacional. Em 2007 o Grêmio. Em 2008 foi a vez do Fluminense. E em 2009 o algoz são paulino na Taça Libertadores da América foi o Cruzeiro. Em todos esses casos o São Paulo sofreu e foi eliminado por rivais brasileiros na competição sul-americana. Ontem, num Morumbi lotado com 52.809 torcedores, o São Paulo decepcionou sua torcida e foi facilmente batido pelo Cruzeiro por 2X0. Com a vitória, a equipe Celeste chega às semifinais da Libertadores e fará outro confronto caseiro, agora contra o Grêmio.

Não analisarei o jogo, mas sim a equipe paulista. O que aconteceu com o Tricolor Paulista? Vamos aos fatos. A diretoria do São Paulo investiu e contratou seis jogadores no começo dessa temporada, visando principalmente a conquista da Libertadores. Wagner Diniz veio do Vasco, jogou pouco, não agradou e já está no Santos. Júnior César teve algumas chances na equipe titular, não comprometeu, mas também não mostrou o futebol eficiente da época do Fluminense. Renato Silva talvez seja o único que se encaixou no São Paulo. O zagueiro foi o que mais atuou e demonstrou segurança, mas ainda muito longe dos titulares André Dias e Miranda. Eduardo Costa chegou e ficou um bom tempo no estaleiro se recuperando de uma lesão. Jogou poucas vezes e não comprometeu também, mas sua expulsão na partida de ontem foi decisiva para a eliminação são paulina. Arouca, erroneamente, foi pouco aproveitado por Muricy Ramalho e quando entrou em campo, na maioria das vezes, jogou fora de sua posição. O grande foco desse texto e da temporada são paulina até agora é Washington. A contratação mais badalada e com o segundo maior salário do elenco (R$220 mil/mês), o atacante sempre foi titular e o treinador o blindou no grupo. Sempre a dupla de ataque foi formada por ele e mais um. Insubstituível. Fez 16 gols até agora, mas foi a maior decepção.

Washington é acusado nos bastidores de ser o grande responsável pelo ‘racha’ no grupo do São Paulo. E eu acredito. Basta vê-lo em campo. Ele não ganha uma dividida no alto, mesmo sendo grande e forte. Não consegue dominar uma bola. Erras muitos passes. Erra muitos gols. E mesmo assim em todo lance que algum companheiro erra um cruzamento, um passe ou uma finalização, ele explode. Abre os braços, gesticula, grita. Reclama de seus companheiros, cobra muito, mas erra mais que eles. Isso não é baseado apenas na partida de ontem. Essa é uma ação que acontece desde o começo do ano. Tudo bem que Borges, Dagoberto, o próprio Washington e até – pasmem – André Lima já cobraram titularidade publicamente e mostraram indignação com o banco de reservas. Mas Washington além de desestabilizar o grupo com tantas cobranças dentro de campo, na partida contra o Avaí, pelo Campeonato Brasileiro, saiu de campo xingando Muricy e todos, num ato impensado e ridículo para um atleta profissional. Ontem não foi diferente. Nada fez no jogo inteiro. Perdeu todas as divididas pelo alto e por baixo. Não deu um chute no gol. Acertou poucos passes. E quando Muricy colocou Dagoberto no intervalo, Washington mostrou total descomprometimento com a equipe foi embora do Morumbi, antes mesmo do jogo acabar.

Ele parece ser uma pessoa boa, de bom coração. Mas nada justifica seus atos. Se jogasse metade do que acha que joga, se cobrasse menos e tivesse autocrítica, talvez não atrapalhasse tanto sua equipe. É evidente que ele não é culpado pela eliminação são paulina no Paulistão e na Libertadores. Todos são responsáveis, mas Washington demonstrou não ter capacidade para jogar no São Paulo. A cobrança da torcida já começou. Ontem no final da partida, em meio aos gritos de apoio ao técnico Muricy Ramalho, o atacante e Hernanes foram hostilizados pelos são paulinos.

Hernanes continua em má fase, mas isso é passageiro. Já demonstrou que é um grande jogador e não deveria ser xingado ou apontado como culpado pela eliminação, até porque Muricy tem deixado o volante/meia no banco de reservas nas últimas partidas. Ontem foi assim também. A imprensa, de forma maciça, aponta que o casamento de sucesso entre Muricy Ramalho e São Paulo deve acabar. O desgaste é evidente. Mas não creio que o treinador seja o problema. Ele, além de ser competente, tem um diferencial em relação a outros treinadores. Ele gosta de trabalhar no Tricolor. Ganha muito bem por isso é verdade. É teimoso e se tornou alvo de críticas por improvisar demais. Concordo com isso. Mas creio que o maior problema é outro. Muricy tinha o grupo nas mãos e sabia como ninguém domar os egos de seus jogadores. Até Washington aparecer e acabar com o seu sossego. Na minha opinião Muricy não deve ser demitido. Juvenal Juvêncio deve fazer uma reestruturação na equipe. Richarlyson, André Lima e Washington não podem continuar no grupo.  Os três não têm clima para permanecer e já estão sendo hostilizados pelos torcedores.

O restante dos jogadores tem totais condições de continuarem no Tricolor. Depois de muito tempo, uma crise volta a assombrar o Morumbi. Vamos aguardar os próximos capítulos. Mas uma coisa deve ser ressaltada. Não foi só o São Paulo que perdeu. O Cruzeiro jogou muito melhor que o Tricolor nas duas partidas e conquistou a vaga na bola, sendo eficiente e merecedor da classificação. Do mesmo modo que o Corinthians também teve total mérito quando eliminou o São Paulo do Paulistão. Uma nuvem negra pairou em cima do Morumbi e não tem data para o sol reaparecer. Será que dessa vez o São Paulo conseguirá buscar forças e ganhar mais um Brasileirão? Acho bem difícil.

E você torcedor, o que pensa? Muricy Ramalho é culpado pela má fase do time? Ele deve ser demitido? E sobre o Washington? Você concorda? Opine!

ATUALIZAÇÃO: Na noite desta sexta-feira, a diretoria do São Paulo demitiu o técnico Muricy Ramalho, que estava no comando da equipe desde março de 2006.

Read Full Post »

– Devido as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, a 5ª rodada do Campeonato Brasileiro foi desmembrada e começou na quinta-feira. Santo André e Santos fizeram um jogo eletrizante e empataram em 3X3, no Estádio Bruno José Daniel. O empate teve sabor de derrota para o alvinegro praiano, já que a equipe do técnico Vagner Mancini cedeu o empate por três vezes aos donos da casa. Os destaques positivos da partida foram os bonitos gols do Santos. Kléber Pereira fez o primeiro após driblar o goleiro Neneca, Madson fez um bonito gol de primeira e Fabão encheu o pé em cobrança de falta para fazer o terceiro. Pelo lado do Santo André, Nunes foi o destaque com dois gols. Porém, como acontece constantemente, Fábio Costa foi o destaque negativo do jogo. O goleiro santista, que em muitas vezes é maldoso nas divididas com os atacantes adversários, manteve a escrita e repetiu a ação em dose dupla. Primeiro deu uma entrada criminosa em Gustavo Nery, que saiu de campo de maca e foi direto para o hospital, será operado e desfalcará a equipe por três meses. Na segunda vez, a vítima de Fábio Costa foi o atacante Nunes. Lamentável.

– O Grêmio conquistou sua segunda vitória no certame nacional também na quinta-feira, após vencer o Náutico por 3X0, no Estádio Olímpico. Destaque para Souza e Maxi Lopez, que na semana passada se desentenderam e criaram um clima ruim no grupo gremista, mas deram a volta por cima e marcaram os gols da vitória. Souza fez dois e o argentino completou o marcador.

– No sábado, em partida isolada, o Corinthians venceu o Coritiba e deixou os paranaenses em situação delicada na tabela. Destaque para a boa partida de Douglas, que começou a jogada do primeiro gol e marcou o segundo. Souza, enfim, fez um gol com a bola em jogo e agora soma míseros três gols em 27 jogos com a camisa alvinegra. Pouco, muito pouco para um atacante de uma equipe grande e que ganha um salário que não condiz com suas atuações. Outro fato que merece destaque foi a postura de Jucilei em campo. Muito rápido e habilidoso, o volante aos poucos vem ganhando espaço e pode se tornar titular nos próximos jogos. O Coritiba continua com um ponto em 15 disputados e Renê Simões já se vê ameaçado no comando da equipe.

– No domingo a rodada teve os outros sete jogos. No Palestra Itália, o Palmeiras sofreu, tomou sufoco e mesmo assim conseguiu sair com a vitória graças a um gol de cabeça de Maurício Ramos, nos acréscimos da partida. O placar de 2X1 não mostrou o que realmente foi visto em campo. O Vitória criou as principais chances de gols e ainda teve um gol não validado pela arbitragem. Apodi levantou a bola na área, Roger cabeceou e Marcos fez mais um de seus milagres, mas a bola já tinha passado da linha, porém a arbitragem mandou o jogo seguir, o que causou indignação por parte dos jogadores e da diretoria do clube baiano. O Palmeiras anda meio perdido em campo e a pressão da torcida em cima de Keirrison e, principalmente, de Vanderlei Luxemburgo, parece atrapalhar o rendimento de todo o grupo.

– O São Paulo bem que tentou, mas não conseguiu tirar o zero do placar na partida contra o Avaí, na Ressacada, em Florianópolis. Sem Eduardo Costa, machucado e Miranda, servindo a Seleção Brasileira, Muricy mudou o esquema e voltou para o 4-4-2, com o estreante Jean Rolt na zaga ao lado de André Dias e Hernanes, Richarlyson, Jean e Marlos no meio campo. Porém, a tarde foi dos goleiros, principalmente de Eduardo Martini, que fez pelo menos quatro defesas difíceis e importantes em investidas são paulinas. Denis também foi bem e começa se firmar na meta Tricolor. Mas num contexto geral, o São Paulo não mostrou o mesmo futebol da partida contra o Cruzeiro, teve muitas dificuldades no meio e no ataque e não agradou a torcida. Dois destaques negativos no jogo. Hernanes continua em péssima fase e ontem deu provas disso novamente. E o Washington, que há duas semanas auxiliou o companheiro Borges, fez o mesmo. Não conseguiu dominar uma bola, não levou nenhum perigo à meta adversária e ainda saiu esbravejando quando foi substituído por Dagoberto. Muricy Ramalho terá mais trabalho para domar os egos de seus jogadores.

– Nos outros jogos, citarei apenas as principais considerações. Grande partida do Sport na estreia de Émerson Leão no comando da equipe. Em oito minutos, os pernambucanos viraram o jogo contra o Flamengo com três gols de Weldon e um de Durval. O Atlético-MG confirmou o bom começo no Brasileirão-09 e atropelou o apático Atlético-PR dentro da Arena da Baixada, com destaque para Diego Tardelli e Eder Luis. O Fluminense venceu o rival Botafogo na bacia das almas, no finalzinho do jogo, gol um bonito gol de Fred. O jogo mais esperado da rodada entre Cruzeiro e Inter terminou empatado e foi marcado por mais uma confusão envolvendo o atacante Kléber, que foi expulso com justiça após empurrar Marcelo Cordeiro. A mesma justiça foi feita na expulsão do goleiro Lauro, que tomou as dores do companheiro e chutou Kléber.

Resultado e a classificação após a 5ª rodada do Brasileirão-09:

Santo André (14°) 3X3 (4°) Santos
Grêmio (8°) 3X0 (5°) Náutico
Corinthians (9°) 2X0 (19°) Coritiba
Palmeiras (6°) 2X1 (3°) Vitória
Sport (15°) 4X2 (11°) Flamengo
Avaí (17°) 0X0 (12°) São Paulo
Goiás (13°) 2X2 (16°) Barueri
Cruzeiro (10°) 1X1 (1°) Internacional
Atlético-PR (20°) 0X4 (2°) Atlético-MG
Fluminense (7°) 1X0 (18°) Botafogo

E você torcedor, o que achou da 5° rodada do Brasileirão? Opine!

Read Full Post »

– Santos e Corinthians entraram em campo neste domingo com pretensões distintas. O alvinegro praiano buscava consolidar o bom começo no Campeonato Brasileiro, enquanto o alvinegro da capital está totalmente focado na Copa do Brasil. Por esse motivo, o técnico Mano Menezes mandou a campo uma equipe apenas com reservas para poupar todos os titulares para o confronto contra o Vasco, na próxima quarta-feira, pelas semifinais da Copa do Brasil 2009. O Santos que nada tinha a ver com isso, começou o jogo com força máxima e aos 30 minutos do primeiro tempo já vencia por 2X0, com dois gols do talentoso Paulo Henrique ‘Ganso’. Parecia que seria uma goleada santista, mas o Timão conseguiu pôr ordem no jogo e equilibrou o confronto. Na segunda etapa o Corinthians diminuiu o placar com gol do zagueiro Renato, após mais uma falha do goleiro Fábio Costa. No final da partida, Madson fez bonita jogada pela direita, Germano invadiu a área e chutou cruzado para Madson completar para as redes e fechar o placar. Com o resultado, o Peixe chegou aos oito pontos na competição e subiu três posições (agora está em 3° lugar). Já o Corinthians estacionou com quatro pontos e perdeu cinco posições na rodada, despencando para o 14° lugar.

– Enfim, o São Paulo estreou na temporada 2009. Após quatro meses apresentando um futebol apático e sem estilo nenhum, com muitas improvisações, contusões e reclamações de alguns jogadores, o técnico Muricy Ramalho percebeu que era a hora de mudar as coisas. E ele mudou, agradou a torcida e o Tricolor venceu e principalmente, convenceu. Com a vitória por 3X0 (Washington, Borges e Dagoberto), o São Paulo voltou a mostrar sua força quando atua no Morumbi, anulou os principais jogadores cruzeirenses e apresentou grande poder defensivo. O jovem Marlos estreou e teve uma ótima atuação. Deu ótimos passes, finalizou, carregou a bola no meio campo, cobrou escanteios, faltas e mostrou que pode ser muito útil na posição mais carente no elenco. O Tricolor venceu sua primeira partida no Campeonato Brasileiro 2009, chegou aos cinco pontos, subiu sete posições na tabela e ocupa o 8° lugar. O Cruzeiro, com seis pontos, está na 7ª posição.

– Os atacantes foram os grandes destaques do jogo entre Barueri X Palmeiras, na Arena Barueri. Pelo lado palmeirense, Obina e Keirrison marcaram e saíram de um longo jejum sem balançar as redes. Pelo lado do Barueri nada de novo. O sempre artilheiro e decisivo Pedrão fez os dois gols para a equipe da casa. Com o empate, o Barueri continua sem vencer na competição nacional. Agora soma três empates e uma derrota, ocupando a 16ª colocação na tabela. O Verdão está com cinco pontos na 11ª posição.

– E o Imperador voltou. Depois de mais uma fase conturbada na carreira, Adriano voltou ao seu time de coração e logo na estreia marcou o gol que deu a vitória ao Flamengo sobre o Atlético-PR: 2X1. O exército rubro-negro lotou o Maracanã para ver o retorno do ídolo e os mais de 70 mil torcedores saíram empolgados com o que viram. Com a vitória, o Mengão chegou aos sete pontos e se manteve na 6ª posição. O Furacão tem apenas um ponto no campeonato e está na 19ª posição.

– O Internacional continua sobrando no Campeonato Brasileiro. Com 100% de aproveitamento, o Colorado ganhou a 4ª partida e novamente atuou com o time reserva. Os gols foram marcados por Talles Cunha e Alecsandro. Mesmo sem os badalados titulares, o Inter vai somando pontos importantes no começo da competição e já tem 11 pontos a mais que os paranaenses Atlético-PR e Coritiba, os dois últimos colocados.

Outros resultados e classificação após a 4ª rodada:

Coritiba (20°) 1X1 (9°) Goiás
Atlético-MG (5°) 0X0 (10°) Santo André
Botafogo (17°) 2X2 (18°) Sport
Flamengo (6°) 2X1 (19°) Atlético-PR
São Paulo (8°) 3X0 (7°) Cruzeiro
Santos (3°) 3X1 (14°) Corinthians
Náutico (4°) 1X1 (12°) Fluminense
Vitória (2°) 1X0 (13°) Grêmio
Barueri (16°) 2X2 (11°) Palmeiras
Internacional (1°) 2X1 (15°) Avaí

E você torcedor, o que achou da 4ª rodada do Brasileirão-09? Quais foram os pontos positivos? E os negativos? Opine!

Read Full Post »

Caros leitores, primeiramente peço desculpas por não ter escrito no MFC ontem. O motivo por essa ‘ausência’ virtual foi meramente universitário. De qualquer forma, também não consegui acompanhar totalmente os grandes jogos de quarta e quinta-feira pelo mundo. Vi apenas os gols e poucos lances e, por este motivo, não conseguiria fazer uma análise mais detalhada. Sendo assim, farei alguns breves comentários:

– Barcelona campeão da Champions League. Alguma novidade? Para mim não! Mesmo que o Manchester United seja um grande time e esteja entre os três principais clubes do mundo, o futebol apresentado pela equipe de Pep Guardiola durante toda a temporada já previa que o título ficaria na Espanha. Mesmo não assistindo a partida, pelo pouco que vi e li, minha previsão se confirmou. O Barcelona conquistou o tricampeonato da Champions League sem dificuldades.

– O Cruzeiro venceu o São Paulo na primeira partida da Taça Libertadores da América. Resultado normal pelo bom time cruzeirense, pela importante pressão da torcida e pelo apático time do São Paulo. Muricy Ramalho continua insistindo com Richarlyson, Hernanes e Jorge Wagner. Muricy continua vetando Borges e colocando-o no banco. São ações que podem prejudicar uma temporada inteira e neste caso, poderá até custar o cargo do treinador em caso de eliminação. De qualquer maneira, com todos estes aspectos negativos, o Tricolor continua vivo na Libertadores e além de perder ‘apenas’ por um gol, ter feito gol fora de casa pode ajudar o São Paulo no jogo da volta.

– Como o MFC já havia destacado o Grêmio não teria vida fácil contra o Caracas, na Venezuela. E não teve. Saiu perdendo, empatou e deixou os venezuelanos acreditando que é possível vencer o Tricolor Gaúcho no Brasil na partida de volta. Continuo apostando na classificação gremista, até com certa facilidade. Mas o experiente Paulo Autuori precisará deixar seus jogadores ligados, pois uma surpresa em uma competição como a Libertadores, não seria nada espantoso.

– O Coritiba saiu ganhando do Internacional em pleno Beira-Rio. Um susto para os jogadores, para o técnico Tite e principalmente para a torcida colorada. Mas a fase é tão boa e o conjunto com diversos jogadores decisivos é tão importante, que sem dificuldades o Inter virou o jogo e fez seu dever de casa. O time Coxa Branca ainda acredita que possa reverter o resultado, mas creio que será muito complicado. Se o técnico Renê Simões colocar o time para frente para buscar os dois gols que precisa, será um risco enorme contra um time rápido e habilidoso como o Inter. Vejo o Colorado na final da Copa do Brasil.

– O Corinthians é outro que mesmo jogando fora de casa conquistou um ótimo resultado. Poderia ser melhor, se Elias não tivesse perdido um gol feito na cara do goleiro vascaíno, mas também poderia ser pior, se Felipe não operasse pelo menos três milagres nas investidas do Vasco. O empate fora de casa com gols é bom negócio em competições com regulamentos como a Copa do Brasil. No jogo da volta as equipes estarão reforçadas de seus principais jogadores (Carlos Alberto no Vasco e Ronaldo no Corinthians) e, portanto, creio que o jogo seja melhor tecnicamente. Continuo acreditando que o Timão consiga a vaga na final.

– Vanderlei Luxemburgo é um caso a parte no futebol. Inegavelmente é um ótimo técnico, muito vitorioso e importante para diversas equipes no passado. Mas também é inegável que ele nunca assuma seus erros. Ontem isso aconteceu mais uma vez. Atuando dentro de casa, contra um adversário forte e tradicional, mas nada assustador e que certamente viria mais para se defender do que para atacar, Luxemburgo ‘inovou’ e começou o jogo com três zagueiros e com o fraquíssimo Fabinho Capixaba na lateral direita. Logo viu que os uruguaios começaram a gostar do jogo e promoveu a entrada de Obina e Marquinhos. Mas porque ele não começou com essa formação? Coisas de Luxemburgo, o treinador que quando ganha ele é o diferencial e quando perde a culpa é a da imprensa, da arbitragem, etc. O empate foi ruim para o Palmeiras e o jogo de volta na casa do Nacional será bastante complicado. Apostei que o Verdão passaria de fase, mas depois do resultado de ontem, vejo o Nacional com mais chances. De qualquer forma, ainda acredito que Vanderlei Luxemburgo e sua equipe possam surpreender fora de casa novamente, assim como foi contra o Colo Colo e Sport.

Read Full Post »

« Newer Posts - Older Posts »