Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Lampard’

Alemanha 4 X 1 Inglaterra

Alemanha e Inglaterra se enfrentaram na cidade de Bloemfontein, no primeiro duelo de grandes da Copa do Mundo, valendo uma vaga para as quartas de final. O time do técnico Joachim Löw classificou-se em primeiro no grupo D. Já os comandados de Fabio Capello ficaram em segundo no grupo C, atrás dos Estados Unidos.

O jogo começou cadenciado, com as duas equipes tocando a bola e se estudando. O meio campo alemão trocava passes rápidos entre Schweinsteiger, Özil e Müller. Os ingleses se movimentavam bastante com Lampard, Gerrard e Rooney, que voltava para buscar o jogo. Mas nenhum dos times tinha ainda levado perigo ao gol adversário.

A situação mudou aos 20 minutos, quando o goleiro Neuer deu um chutão pra frente. A bola passou por todo o time inglês e chegou até Klose, que protegeu bem e se esticou todo para mandar, com a ponta do pé direito, para o fundo do gol de James. O gol deu confiança aos alemães, que partiram para o ataque. O segundo tento foi questão de tempo. Em uma ótima troca de passes pelo meio, Müller passou para Klose e avançou. O atacante devolveu perfeitamente e Müller cruzou para Podolski na esquerda. Ele ajeitou e bateu rasteiro, sem chances para o goleiro James. A impressão era que a Alemanha iria atropelar os ingleses.

No entanto, os súditos da rainha enfim reagiram. Lampard e Gerrard começaram a participar mais da partida e criavam mais opções de ataque. E aos 37, em cobrança de falta de Gerrard, o goleiro Neuer saiu mal e o zagueiro Upson tocou de cabeça para o gol vazio.

O gol fez bem aos ingleses, que passaram a pressionar. Gerrard avançava pela esquerda e Lampard trocava passes com Johnson pela direita. A Alemanha recuou e esperava o intervalo. Aí veio o lance mais emblemático do Mundial até aqui. Defoe dividiu uma bola na entrada da área e ela sobrou para Lampard que, com categoria, bateu por cima de Neuer e encobriu o goleiro. A bola acertou o travessão e caiu dentro do gol, para sair em seguida. O árbitro uruguaio Jorge Larrionda e o assistente Mauricio Espinosa não marcaram.

Este lance merece destaque devido ao que aconteceu 44 anos atrás, na final da Copa de 1966 entre os dois países. A partida estava empatada em 2×2 quando, na prorrogação, o inglês Hurst bateu pro gol, a bola tocou no travessão e depois em cima da linha. Mas naquela ocasião, a arbitragem deu o gol para os ingleses.

No segundo tempo, a Inglaterra partiu para o ataque. E a Alemanha apostou no contra-ataque, uma de suas principais armas neste Mundial. Logo aos seis minutos, Lampard acertou o travessão, em cobrança de falta. Os ingleses vinham com tudo e o gol parecia questão de tempo.

Mas o futebol tem seus caprichos e eles apareceram mais uma vez. Após cobrança de falta de Lampard parar na barreira, Müller lançou para Podolski e seguiu para o ataque. Podolski avançou pela esquerda e devolveu para Müller, que bateu forte para ampliar o placar. Apesar disso, os ingleses continuaram em busca do segundo gol. Mas outro contra-ataque alemão, aos 25, cravou de vez a faca no coração do ‘English Team’. Klose, ajudando a defesa, recuperou a bola e fez ótimo lançamento para Özil, que ganhou de Johnson na corrida e rolou para o meio. Müller, sempre ele, apareceu livre e definiu a vaga para a Alemanha.

Aí sim a Inglaterra sentiu o golpe. Os jogadores esperavam apenas o fim da partida, pois não havia mais o que fazer. Fim de jogo e classificação alemã garantida para a próxima fase. O time de Joachim Löw fez uma partida sensacional e passou por um rival difícil.

Já a Inglaterra decepcionou. Seus principais jogadores (Lampard, Gerrard e Rooney) não corresponderam à expectativa em torno de seu futebol. A Alemanha avança com um futebol bonito e eficiente e se credencia como um dos favoritos ao título. O gol inglês não marcado favoreceu os alemães, pois o empate naquele momento deixaria o jogo totalmente aberto. Mas a qualidade técnica superior da Alemanha ficou evidente e não pode ser ignorada, pois o melhor time venceu.

Argentina 3 X 1 México

Argentina e México se enfrentaram no estádio Soccer City, para definir quem encararia a Alemanha. Os argentinos venceram o grupo B com facilidade. Já os mexicanos conquistaram a vaga com o segundo lugar no grupo A.

A partida começou melhor para o time do técnico Javier Aguirre, que apostava na velocidade de Giovanni dos Santos, Bautista e Hernandez. Aos sete minutos, Salcido soltou uma bomba de longe, mas acertou a trave. Na sequência, Guardado fez boa jogada e chutou com efeito, mas a bola caprichosamente raspou a trave e foi pra fora.

As investidas mexicanas despertaram o craque argentino Lionel Messi, que apostava em sua velocidade para tentar o gol. Ele tentou encobrir o goleiro Pérez, sem sucesso. O México tinha o controle da partida e conseguia impedir os avanços de Messi e Tevez. Mas aí o apito amigo apareceu para alegrar os argentinos.

Messi lançou Tevez, que dividiu com o goleiro Pérez, e bola foi afastada. No rebote, o jogador do Barcelona bateu por cima e Tevez, impedido, tocou de cabeça e abriu o placar. O telão do estádio mostrou o lance e deixou clara a posição irregular do ex-corintiano. Os mexicanos partiram pra cima do árbitro, mas ele validou o gol.

E o domingo era mesmo dia de presente para a Argentina. Desta vez foi o zagueiro Osório que errou na entrada da área. A bola sobrou limpa para Higuaín driblar Pérez e marcar o segundo. O atacante é agora o artilheiro isolado da Copa do Mundo, com quatro gols.

A vantagem deu tranquilidade aos comandados de Maradona e deixou os mexicanos abatidos. A Argentina percebeu que poderia definir o confronto ainda no primeiro tempo e atacou ainda mais. Di Maria, aos 36, bateu cruzado e Pérez fez ótima defesa. Aos 40, Higuaín subiu livre e por pouco não marcou o terceiro.

Na volta do intervalo, Javier Aguirre tirou Bautista e colocou o atacante Pablo Barrera, na tentativa de diminuir o prejuízo. Mas a tática foi por água a baixo logo aos sete minutos, quando Tevez tentou o passe e Maza dividiu com ele. O argentino ficou com a sobra e soltou uma pancada da entrada da área. Golaço para definir a classificação da ‘Albiceleste’.

Com a vaga praticamente garantida, o México tentou ao menos fazer o gol de honra. Aos 24, Barrera chutou, mas Heinze tirou em cima da linha. Logo em seguida, o bom Hernandez recebeu na entrada da área, fez o giro e saiu na cara de Romero. O mexicano encheu o pé e diminuiu o placar.

Apesar do gol sofrido, a Argentina não se abalou. Messi, em partida apenas regular, tentava marcar o seu. E no final do jogo quase conseguiu. Ele recebeu pela direita e fez sua jogada mais típica: driblou em diagonal para a entrada da área e chutou forte, mas Pérez salvou.

Vitória boa do time de Maradona, que mostra deficiências na defesa, mas tem um ótimo ataque. Messi, Tevez e Higuaín podem dar ainda muito trabalho neste Mundial. Resta saber se a defesa argentina vai conseguir parar Klose, Podolski, Özil e Müller.

O México de despede com uma boa participação, como sempre, e mantém a média de chegar ao menos nas oitavas de final, algo que faz continuamente desde 1994. Assim como em 2006, Argentina e Alemanha jogam nas quartas de final da Copa do Mundo. Este grande duelo será no próximo sábado (3/7), na Cidade do Cabo, às 11h. Imperdível!

Anúncios

Read Full Post »

Com a primeira fase da Copa do Mundo concluída, restaram apenas 16 seleções em busca do título mais cobiçado do futebol mundial. Dessa forma, saiba quanto as federações pagarão de premiação para seus atletas em caso de conquista. Antes de qualquer coisa, é fácil afirmar que os atletas que se sagrarem campeões deste Mundial, voltarão para casa com o bolso cheio de dinheiro, cheio mesmo.

Por incrível que pareça, uma equipe coadjuvante já é campeã no quesito premiação. Os Estados Unidos, donos da maior economia mundial, disponibilizarão um prêmio de € 730 mil (R$1,6 milhão) para cada jogador em caso de título na África do Sul. Os norte-americanos já disputaram oito mundiais na história e, curiosamente, a melhor colocação foi obtida em 1930, ano de estreia do torneio, quando alcançaram o terceiro lugar. Mesmo não sendo cotada como uma das favoritas ao título, o time comandando pelo técnico Bob Bradley recebeu um generoso incentivo.   
 
A segunda colocada no ranking das premiações é a seleção que chegou mais confiante à África: a Espanha. Dos considerados ‘grandes do futebol mundial’, os espanhóis são os únicos que jamais conquistaram a Copa do Mundo. Depois de fracassar nas 12 oportunidades que teve, a ‘Fúria‘ confia muito em quebrar a escrita e se tornar campeã mundial neste ano. Caso isso aconteça, cada atleta receberá a quantia de  € 600 mil (R$1,3 milhão), oferecida pela entidade que rege o futebol no país. A Argentina, por sua vez, confia tanto na atual equipe comandada por Lionel Messi que, se conquistarem o tricampeonato em solo sul-africano, os companheiros do melhor jogador do mundo receberão € 520 mil (R$1,1 milhão) cada, valores esses que colocam os argentinos no terceiro lugar das premiações.
 
Quase cinco décadas depois de conquistar o primeiro e único Mundial, a Inglaterra figura na quarta posição do ranking. Forte economicamente, os ingleses prometeram € 450 mil (R$998 mil) para Terry, Lampard, Rooney e companhia levarem a taça de volta para a terra da rainha. O quinto colocado é o Brasil, maior vencedor de Copas do Mundo com cinco conquistas. Buscando o hexacampeonato, a CBF ofereceu € 448 mil (R$993 mil) para cada atleta do grupo, comprovando que dinheiro não é problema na entidade que comanda o futebol brasileiro. Com dez patrocinadores fixos, estima-se que a organização arrecade atualmente R$220 milhões por ano.
 
Na lista dos mais endinherados do futebol, ainda aparece outra seleção europeia postulante ao título: Alemanha. A sexta posição do ranking de premiações não significa que, caso seja tetracampeã do mundo, os atletas alemães não serão bem pagos. A entidade do país ofereceu € 250 mil (R$553 mil) para Lahm, Schweinsteiger, Podolski, Klose e todos os outros companheiros para buscar a taça na África do Sul.

Read Full Post »

Por: Erik Rodrigues*

Coreia do Sul 2 X 0 Grécia

Para falar deste jogo, primeiro é necessário reproduzir o seguinte comentário: senhor, como o time da Grécia é ruim! A diferença técnica entre as equipes ficou clara logo no começo da partida, com o domínio dos sul-coreanos. O time grego se defendia bem, mas tinha um sério problema: quando tinha a bola, não sabia o que fazer com ela.

Com bom toque de bola e velocidade, a equipe asiática partiu para cima e fez o primeiro gol com Li Jung-Soo. O gol animou a Coreia do Sul, que continuou no ataque e por pouco não fez o segundo.

Após o intervalo, com cinco minutos de jogo, os sul-coreanos fizeram 2×0 com Park Ji-Sung e praticamente confirmaram a vitória. Com a vantagem no placar, a Grécia, enfim, decidiu arriscar. Depois de duas substituições, o time europeu finalmente conseguiu algumas conclusões a gol e até melhorou, mas nada ameaçador. A Coreia do Sul esperava o tempo passar e usava sua velocidade nos contra-ataques, mas não fez o terceiro.

Os sul-coreanos mostraram que evoluíram bastante desde que organizaram a Copa de 2002, junto com o Japão. O resultado os credencia como segunda força no grupo B para a disputa de uma das vagas à próxima fase. Já a Grécia pode procurar algum safári e aproveitar o tempo que ficará na África do Sul na primeira fase, pois depois de três jogos certamente voltará para casa. E talvez sem fazer nenhum gol,mantendo assim o tabu de ainda não ter marcado em Mundiais.

A Coreia do Sul volta a campo no próximo dia 17, contra a Argentina, em Joanesburgo. Neste mesmo dia, a Grécia enfrenta a Nigéria em Bloemfontein.

Argentina 1 X 0 Nigéria

Em um jogo fraco tecnicamente, a Argentina venceu a Nigéria e conquistou os primeiros três pontos no grupo B. O gol marcado aos seis minutos pelo zagueiro Heinze deu a impressão de que os Hermanos iriam com tudo para cima. Após o gol, o time argentino se manteve no ataque e teve outras duas boas chances. Lionel Messi, o grande astro da equipe, procurava criar espaços para deixar os companheiros em condições de marcar.

No lado nigeriano, apenas muito esforço. Quando tinha a bola, o time africano até chegava com perigo, mas não concluía a gol. O primeiro tempo acabou com a Argentina tocando a bola e Nigéria observando.

Na segunda etapa, os comandados de Maradona forçaram o jogo pelas pontas, com Messi armando mais de trás e Carlitos Tevez se movimentando bem pela esquerda. O ponto fraco do ataque era Higuain, que não rendia o mesmo que seus companheiros ofensivos. Messi continuava a fim de jogo e chutou duas bolas perigosas, com boas defesas do goleiro Enyeama.

A partida ficou um pouco mais aberta e a Nigéria teve boas oportunidades no contra-ataque. A maior dificuldade era a finalização. Com o espaço oferecido pela defesa argentina do lado direito, Obafemi Martins e Odemwigie atacavam com velocidade. Porém, na hora de fazer o gol, a finalização ficava a desejar.

Maradona percebeu a inoperância de Higuain na frente e colocou Diego Milito em campo, mas apenas aos 32 minutos da segunda etapa. Mesmo com pouco tempo, o atacante da Inter de Milão conseguiu fazer boas jogadas e mostrou bom entrosamento com Messi e Tevez. Em uma delas, Milito deixou o jogador do Barcelona na cara do gol, mas o goleiro nigeriano Enyeama fez ótima defesa. Com o passar do tempo, a Argentina prendeu a bola e esperou o apito final.

Vitória importante do time argentino, apesar das dificuldades. Porém, já é  um time mais organizado do que o aquele que disputou as eliminatórias. Além disso, Messi e Tevez se destacam no ataque e podem dar muitas alegrias à torcida. Já a Nigéria mostrou que dificilmente poderá chegar á próxima fase.

No próximo dia 17, a Argentina enfrenta a Coreia do Sul em Joanesburgo. E a Nigéria encara a Grécia em Bloemfontein.

Inglaterra 1 X 1 Estados Unidos

Inglaterra e Estados Unidos estrearam na Copa cercados sob a preocupação de um ataque terrorista. Felizmente, não houve nenhum incidente e os torcedores puderam acompanhar a partida no estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo.

Dentro de campo, o gol de Steven Gerrard logo aos três minutos demonstrava a força da equipe da Fábio Capello. O English Team manteve o domínio de jogo até a metade do primeiro tempo, mas sem criar chances mais claras. Depois do susto, os Estados Unidos se posicionaram melhor e começaram a arriscar os primeiros ataques.

Trocando bons passes, os norte-americanos se aproximavam da área, especialmente pelo lado esquerdo. Donovan, o principal jogador, chutou uma perigosa bola de fora da área, assustando os súditos da rainha. E quando parecia que a Inglaterra levaria a vantagem para os vestiários, eis que Dempsey gira em cima de Gerrard e chuta de fora da área, sem muita força, o bravo Green se confunde e engole o primeiro frango da Copa 2010.

No segundo tempo, os ingleses partiram pra cima, mas sem muita inspiração. Lampard e Rooney, apagados até então, começaram a aparecer mais no jogo. Destaque também para o lateral Johnson, que buscava a linha de fundo com mais frequência. Nos Estados Unidos, a tática era se defender e apostar na velocidade dos contra ataques. E em um deles, Altidore quase virou, mas Green espalmou a bola na trave, salvando sua equipe.

O grandalhão Peter Crouch entrou no lugar no inócuo Heskey, para tentar o tradicional chuveirinho inglês na área. Mas nem a manjada jogada serviu e o empate permaneceu. O resultado não foi tão ruim, já que Eslovênia e Argélia estão no grupo C ao lado de ingleses e norte-americanos. E dificilmente estes países vão ficar de fora da próxima fase. Mas ambos precisam melhorar, especialmente a Inglaterra, de quem se espera um desempenho melhor.

* Erik Rodrigues é jornalista e são-paulino.

Read Full Post »

Iniesta

Emocionante e dramático. Essas são as melhores definições para o jogo de volta das semifinais da Champions League entre Chelsea e Barcelona, no Stamford Bridge, em Londres. Após o empate sem gols no Camp Nou, as duas equipes precisavam da vitória para chegar à final. O Chelsea saiu na frente e nos acréscimos do segundo tempo, Iniesta empatou o jogo e confirmou a vaga na decisão da competição européia.

O jogo começou muito disputado e logo aos oito minutos, os Blues apresentaram o cartão de visitas aos espanhóis. Lampard iniciou a jogada e a bola sobrou para Essien, que encheu o pé e fez um golaço. O Barcelona não se intimidou e continuou partindo para cima. Em um jogo franco, o Chelsea também chegava à meta de Valdés com perigo. Em uma dessas oportunidades, Drogba quase ampliou o placar. O marfinense bateu falta e Valdés fez boa defesa. O primeiro tempo acabou e o grande erro dos espanhóis foi a falta de pontaria nas chances criadas.

O Chelsea voltou para a segunda etapa procurando o segundo gol para complicar a vida do Barça. E chances não faltaram. Drogba e Malouda perderam boas oportunidades. Os espanhóis sentiam a pressão dos Blues e em uma das investidas dos ingleses, o lateral esquerdo Abidal fez falta em Anelka e foi expulso. As coisas se complicaram para o Barcelona que continuava disperso em campo, longe das brilhantes atuações no campeonato espanhol e na própria Champions League. 

O juiz norueguês Tom Henning informou o auxiliar que daria quatro minutos de acréscimo. O Barcelona parecia entregue enquanto a torcida do Chelsea cantava e vibrava com a vitória e a possível vaga na decisão. Mas os minutos de acréscimos reservavam algo para a equipe de Pep Guardiola.

Aos 47 minutos, após um bate-rebate dentro da área, a bola sobrou para Eto’o no lado esquerdo da grande área. O camaronês não conseguiu dominar, a bola espirrou e chegou aos pés de Messi, que ergueu a cabeça e encontrou Iniesta na entrada da área. Iniesta encheu o pé e colocou a bola no ângulo de Cech, calando o estádio e deixando a equipe de Guus Hiddink desnorteada.

Foi um grande jogo. O Chelsea perdeu a chance de chegar a segunda final de Champions League seguida e tentar dar o troco no rival Manchester United, que venceu a competição nos pênaltis na temporada passada. Com o empate, o Barcelona confirma presença na grande decisão e enfrentará os Diabos Vermelhos em busca do tricampeonato do maior campeonato de clubes do Mundo.

O jogo entre espanhóis e ingleses acontece no próximo dia 27, em Roma, na Itália. Certamente será mais uma final sensacional e não vejo favorito. Independente de quem seja o vencedor, a única certeza é que o título estará em boas mãos. No momento, Manchester e Barcelona são as melhores equipes do mundo e mereceram chegar à final.

Read Full Post »

Drogba

O futebol inglês se destaca a algum tempo nas fases finais da Champions League. Em 2009 não é diferente. Liverpool e Chelsea, duas das equipes mais fortes e tradicionais da Europa, mais uma vez tiveram seus destinos cruzados na competição continental, foi a quarta vez em cinco anos que os dois times se enfrentaram em fases de mata-mata na Champions League.

 

No primeiro jogo no Anfield Road, em Liverpool, os donos da casa perderam por 3X1 para os Blues. Hoje aconteceu a partida de volta das quartas-de-final em Londres, no Stamford Bridge, casa do Chelsea. E foi um jogo emocionante do começo ao fim, digno de um grande campeonato de clubes e que entrará para a história da Champions pela disputa, raça e reviravoltas.

 

O confronto começou emocionante e aos 30 minutos do primeiro tempo o Liverpool já vencia por 2X0 e mostrava seu poder de reação. Aos 19 minutos, Fábio Aurélio fez de falta o primeiro gol da partida, surpreendendo Cech. Pouco tempo depois, o brasileiro bateu falta para a área do Chelsea e o zagueiro Ivanovic cometeu pênalti em Xabi Alonso. Ele mesmo bateu e fez o segundo gol do Liverpool, calando o Stamford Bridge.

 

Os reds ainda tiveram tempo de aumentar o placar no primeiro tempo, mas esbarraram em Cech. Depois do intervalo, o Chelsea acordou e voltou melhor para a segunda etapa. E a equipe de Guus Hiddink diminuiu logo aos 5 minutos. Após boa jogada de Anelka, o francês cruzou para a área e encontrou Drogba que com um leve desvio fez o gol, contando com a falha primorosa de Pepe Reina.

 

Com o gol, o Liverpool se encolheu e aos 10 minutos tomou o gol de empate. E que golaço. O ex-santista Alex cobrou falta de muito longe, mesclou força com categoria e não deu chances para Reina. Não demorou muito para o Chelsea de maneira incrível virar o placar.

 

Aos 31 minutos do segundo tempo, Ballack deu linda enfiada para Drogba, que deixou os zagueiros para trás e tocou para Lampard apenas empurrar a bola para as redes. Com o placar em 3X2, os blues pareciam ter liquidado a fatura e selado a vaga para as semifinais. Mas o copeiro Liverpool resolveu colocar mais emoção no jogo.

 

Dois minutos foi o tempo necessário para os reds virarem a partida novamente. Aos 36 minutos, Lucas em um chute despretensioso, contou com o desvio de Essien e enganou Cech, empatando a partida. Logo em seguida, o holandês Kuyt de cabeça, virou o jogo para 4X3 e deixou o Liverpool a um gol de garantir a vaga.

 

Os reds partiram com tudo para cima e pressionaram muito em busca do gol da classificação. Mas no contra-ataque, aos 44 minutos, o Chelsea fez o gol de empate e acabou com as esperanças do Liverpool. Anelka que começou o jogo no banco de reservas e entrou no final do primeiro tempo, deu mais uma assistência, dessa vez para Lampard marcar o seu segundo gol no jogo e sacramentar a classificação do Chelsea para as semifinais da Champions League. Com o empate em 4X4, essa partida não será esquecida tão cedo. Que jogo!  

 

NOTA: O Barcelona será o próximo adversário do Chelsea nas semifinais da competição. Após a goleada por 4X0 no primeiro duelo contra o Bayern de Munique, os espanhóis jogaram para o gasto em empataram em 1X1 na partida de volta, na Alemanha, e também continuam sonhando com o título. Os gols da partida foram marcados por Ribery para os alemães e por Keita para o Barcelona.

Read Full Post »