Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Johnson’

Alemanha 4 X 1 Inglaterra

Alemanha e Inglaterra se enfrentaram na cidade de Bloemfontein, no primeiro duelo de grandes da Copa do Mundo, valendo uma vaga para as quartas de final. O time do técnico Joachim Löw classificou-se em primeiro no grupo D. Já os comandados de Fabio Capello ficaram em segundo no grupo C, atrás dos Estados Unidos.

O jogo começou cadenciado, com as duas equipes tocando a bola e se estudando. O meio campo alemão trocava passes rápidos entre Schweinsteiger, Özil e Müller. Os ingleses se movimentavam bastante com Lampard, Gerrard e Rooney, que voltava para buscar o jogo. Mas nenhum dos times tinha ainda levado perigo ao gol adversário.

A situação mudou aos 20 minutos, quando o goleiro Neuer deu um chutão pra frente. A bola passou por todo o time inglês e chegou até Klose, que protegeu bem e se esticou todo para mandar, com a ponta do pé direito, para o fundo do gol de James. O gol deu confiança aos alemães, que partiram para o ataque. O segundo tento foi questão de tempo. Em uma ótima troca de passes pelo meio, Müller passou para Klose e avançou. O atacante devolveu perfeitamente e Müller cruzou para Podolski na esquerda. Ele ajeitou e bateu rasteiro, sem chances para o goleiro James. A impressão era que a Alemanha iria atropelar os ingleses.

No entanto, os súditos da rainha enfim reagiram. Lampard e Gerrard começaram a participar mais da partida e criavam mais opções de ataque. E aos 37, em cobrança de falta de Gerrard, o goleiro Neuer saiu mal e o zagueiro Upson tocou de cabeça para o gol vazio.

O gol fez bem aos ingleses, que passaram a pressionar. Gerrard avançava pela esquerda e Lampard trocava passes com Johnson pela direita. A Alemanha recuou e esperava o intervalo. Aí veio o lance mais emblemático do Mundial até aqui. Defoe dividiu uma bola na entrada da área e ela sobrou para Lampard que, com categoria, bateu por cima de Neuer e encobriu o goleiro. A bola acertou o travessão e caiu dentro do gol, para sair em seguida. O árbitro uruguaio Jorge Larrionda e o assistente Mauricio Espinosa não marcaram.

Este lance merece destaque devido ao que aconteceu 44 anos atrás, na final da Copa de 1966 entre os dois países. A partida estava empatada em 2×2 quando, na prorrogação, o inglês Hurst bateu pro gol, a bola tocou no travessão e depois em cima da linha. Mas naquela ocasião, a arbitragem deu o gol para os ingleses.

No segundo tempo, a Inglaterra partiu para o ataque. E a Alemanha apostou no contra-ataque, uma de suas principais armas neste Mundial. Logo aos seis minutos, Lampard acertou o travessão, em cobrança de falta. Os ingleses vinham com tudo e o gol parecia questão de tempo.

Mas o futebol tem seus caprichos e eles apareceram mais uma vez. Após cobrança de falta de Lampard parar na barreira, Müller lançou para Podolski e seguiu para o ataque. Podolski avançou pela esquerda e devolveu para Müller, que bateu forte para ampliar o placar. Apesar disso, os ingleses continuaram em busca do segundo gol. Mas outro contra-ataque alemão, aos 25, cravou de vez a faca no coração do ‘English Team’. Klose, ajudando a defesa, recuperou a bola e fez ótimo lançamento para Özil, que ganhou de Johnson na corrida e rolou para o meio. Müller, sempre ele, apareceu livre e definiu a vaga para a Alemanha.

Aí sim a Inglaterra sentiu o golpe. Os jogadores esperavam apenas o fim da partida, pois não havia mais o que fazer. Fim de jogo e classificação alemã garantida para a próxima fase. O time de Joachim Löw fez uma partida sensacional e passou por um rival difícil.

Já a Inglaterra decepcionou. Seus principais jogadores (Lampard, Gerrard e Rooney) não corresponderam à expectativa em torno de seu futebol. A Alemanha avança com um futebol bonito e eficiente e se credencia como um dos favoritos ao título. O gol inglês não marcado favoreceu os alemães, pois o empate naquele momento deixaria o jogo totalmente aberto. Mas a qualidade técnica superior da Alemanha ficou evidente e não pode ser ignorada, pois o melhor time venceu.

Argentina 3 X 1 México

Argentina e México se enfrentaram no estádio Soccer City, para definir quem encararia a Alemanha. Os argentinos venceram o grupo B com facilidade. Já os mexicanos conquistaram a vaga com o segundo lugar no grupo A.

A partida começou melhor para o time do técnico Javier Aguirre, que apostava na velocidade de Giovanni dos Santos, Bautista e Hernandez. Aos sete minutos, Salcido soltou uma bomba de longe, mas acertou a trave. Na sequência, Guardado fez boa jogada e chutou com efeito, mas a bola caprichosamente raspou a trave e foi pra fora.

As investidas mexicanas despertaram o craque argentino Lionel Messi, que apostava em sua velocidade para tentar o gol. Ele tentou encobrir o goleiro Pérez, sem sucesso. O México tinha o controle da partida e conseguia impedir os avanços de Messi e Tevez. Mas aí o apito amigo apareceu para alegrar os argentinos.

Messi lançou Tevez, que dividiu com o goleiro Pérez, e bola foi afastada. No rebote, o jogador do Barcelona bateu por cima e Tevez, impedido, tocou de cabeça e abriu o placar. O telão do estádio mostrou o lance e deixou clara a posição irregular do ex-corintiano. Os mexicanos partiram pra cima do árbitro, mas ele validou o gol.

E o domingo era mesmo dia de presente para a Argentina. Desta vez foi o zagueiro Osório que errou na entrada da área. A bola sobrou limpa para Higuaín driblar Pérez e marcar o segundo. O atacante é agora o artilheiro isolado da Copa do Mundo, com quatro gols.

A vantagem deu tranquilidade aos comandados de Maradona e deixou os mexicanos abatidos. A Argentina percebeu que poderia definir o confronto ainda no primeiro tempo e atacou ainda mais. Di Maria, aos 36, bateu cruzado e Pérez fez ótima defesa. Aos 40, Higuaín subiu livre e por pouco não marcou o terceiro.

Na volta do intervalo, Javier Aguirre tirou Bautista e colocou o atacante Pablo Barrera, na tentativa de diminuir o prejuízo. Mas a tática foi por água a baixo logo aos sete minutos, quando Tevez tentou o passe e Maza dividiu com ele. O argentino ficou com a sobra e soltou uma pancada da entrada da área. Golaço para definir a classificação da ‘Albiceleste’.

Com a vaga praticamente garantida, o México tentou ao menos fazer o gol de honra. Aos 24, Barrera chutou, mas Heinze tirou em cima da linha. Logo em seguida, o bom Hernandez recebeu na entrada da área, fez o giro e saiu na cara de Romero. O mexicano encheu o pé e diminuiu o placar.

Apesar do gol sofrido, a Argentina não se abalou. Messi, em partida apenas regular, tentava marcar o seu. E no final do jogo quase conseguiu. Ele recebeu pela direita e fez sua jogada mais típica: driblou em diagonal para a entrada da área e chutou forte, mas Pérez salvou.

Vitória boa do time de Maradona, que mostra deficiências na defesa, mas tem um ótimo ataque. Messi, Tevez e Higuaín podem dar ainda muito trabalho neste Mundial. Resta saber se a defesa argentina vai conseguir parar Klose, Podolski, Özil e Müller.

O México de despede com uma boa participação, como sempre, e mantém a média de chegar ao menos nas oitavas de final, algo que faz continuamente desde 1994. Assim como em 2006, Argentina e Alemanha jogam nas quartas de final da Copa do Mundo. Este grande duelo será no próximo sábado (3/7), na Cidade do Cabo, às 11h. Imperdível!

Anúncios

Read Full Post »

Por: Erik Rodrigues*

Coreia do Sul 2 X 0 Grécia

Para falar deste jogo, primeiro é necessário reproduzir o seguinte comentário: senhor, como o time da Grécia é ruim! A diferença técnica entre as equipes ficou clara logo no começo da partida, com o domínio dos sul-coreanos. O time grego se defendia bem, mas tinha um sério problema: quando tinha a bola, não sabia o que fazer com ela.

Com bom toque de bola e velocidade, a equipe asiática partiu para cima e fez o primeiro gol com Li Jung-Soo. O gol animou a Coreia do Sul, que continuou no ataque e por pouco não fez o segundo.

Após o intervalo, com cinco minutos de jogo, os sul-coreanos fizeram 2×0 com Park Ji-Sung e praticamente confirmaram a vitória. Com a vantagem no placar, a Grécia, enfim, decidiu arriscar. Depois de duas substituições, o time europeu finalmente conseguiu algumas conclusões a gol e até melhorou, mas nada ameaçador. A Coreia do Sul esperava o tempo passar e usava sua velocidade nos contra-ataques, mas não fez o terceiro.

Os sul-coreanos mostraram que evoluíram bastante desde que organizaram a Copa de 2002, junto com o Japão. O resultado os credencia como segunda força no grupo B para a disputa de uma das vagas à próxima fase. Já a Grécia pode procurar algum safári e aproveitar o tempo que ficará na África do Sul na primeira fase, pois depois de três jogos certamente voltará para casa. E talvez sem fazer nenhum gol,mantendo assim o tabu de ainda não ter marcado em Mundiais.

A Coreia do Sul volta a campo no próximo dia 17, contra a Argentina, em Joanesburgo. Neste mesmo dia, a Grécia enfrenta a Nigéria em Bloemfontein.

Argentina 1 X 0 Nigéria

Em um jogo fraco tecnicamente, a Argentina venceu a Nigéria e conquistou os primeiros três pontos no grupo B. O gol marcado aos seis minutos pelo zagueiro Heinze deu a impressão de que os Hermanos iriam com tudo para cima. Após o gol, o time argentino se manteve no ataque e teve outras duas boas chances. Lionel Messi, o grande astro da equipe, procurava criar espaços para deixar os companheiros em condições de marcar.

No lado nigeriano, apenas muito esforço. Quando tinha a bola, o time africano até chegava com perigo, mas não concluía a gol. O primeiro tempo acabou com a Argentina tocando a bola e Nigéria observando.

Na segunda etapa, os comandados de Maradona forçaram o jogo pelas pontas, com Messi armando mais de trás e Carlitos Tevez se movimentando bem pela esquerda. O ponto fraco do ataque era Higuain, que não rendia o mesmo que seus companheiros ofensivos. Messi continuava a fim de jogo e chutou duas bolas perigosas, com boas defesas do goleiro Enyeama.

A partida ficou um pouco mais aberta e a Nigéria teve boas oportunidades no contra-ataque. A maior dificuldade era a finalização. Com o espaço oferecido pela defesa argentina do lado direito, Obafemi Martins e Odemwigie atacavam com velocidade. Porém, na hora de fazer o gol, a finalização ficava a desejar.

Maradona percebeu a inoperância de Higuain na frente e colocou Diego Milito em campo, mas apenas aos 32 minutos da segunda etapa. Mesmo com pouco tempo, o atacante da Inter de Milão conseguiu fazer boas jogadas e mostrou bom entrosamento com Messi e Tevez. Em uma delas, Milito deixou o jogador do Barcelona na cara do gol, mas o goleiro nigeriano Enyeama fez ótima defesa. Com o passar do tempo, a Argentina prendeu a bola e esperou o apito final.

Vitória importante do time argentino, apesar das dificuldades. Porém, já é  um time mais organizado do que o aquele que disputou as eliminatórias. Além disso, Messi e Tevez se destacam no ataque e podem dar muitas alegrias à torcida. Já a Nigéria mostrou que dificilmente poderá chegar á próxima fase.

No próximo dia 17, a Argentina enfrenta a Coreia do Sul em Joanesburgo. E a Nigéria encara a Grécia em Bloemfontein.

Inglaterra 1 X 1 Estados Unidos

Inglaterra e Estados Unidos estrearam na Copa cercados sob a preocupação de um ataque terrorista. Felizmente, não houve nenhum incidente e os torcedores puderam acompanhar a partida no estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo.

Dentro de campo, o gol de Steven Gerrard logo aos três minutos demonstrava a força da equipe da Fábio Capello. O English Team manteve o domínio de jogo até a metade do primeiro tempo, mas sem criar chances mais claras. Depois do susto, os Estados Unidos se posicionaram melhor e começaram a arriscar os primeiros ataques.

Trocando bons passes, os norte-americanos se aproximavam da área, especialmente pelo lado esquerdo. Donovan, o principal jogador, chutou uma perigosa bola de fora da área, assustando os súditos da rainha. E quando parecia que a Inglaterra levaria a vantagem para os vestiários, eis que Dempsey gira em cima de Gerrard e chuta de fora da área, sem muita força, o bravo Green se confunde e engole o primeiro frango da Copa 2010.

No segundo tempo, os ingleses partiram pra cima, mas sem muita inspiração. Lampard e Rooney, apagados até então, começaram a aparecer mais no jogo. Destaque também para o lateral Johnson, que buscava a linha de fundo com mais frequência. Nos Estados Unidos, a tática era se defender e apostar na velocidade dos contra ataques. E em um deles, Altidore quase virou, mas Green espalmou a bola na trave, salvando sua equipe.

O grandalhão Peter Crouch entrou no lugar no inócuo Heskey, para tentar o tradicional chuveirinho inglês na área. Mas nem a manjada jogada serviu e o empate permaneceu. O resultado não foi tão ruim, já que Eslovênia e Argélia estão no grupo C ao lado de ingleses e norte-americanos. E dificilmente estes países vão ficar de fora da próxima fase. Mas ambos precisam melhorar, especialmente a Inglaterra, de quem se espera um desempenho melhor.

* Erik Rodrigues é jornalista e são-paulino.

Read Full Post »