Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Inter de Milão’

Coreia do Norte 0 X 3 Costa do Marfim

Os marfinenses chegaram ao Mundial como uma das melhores seleções africanas, mas caíram num grupo difícil com Portugal e Brasil. Com dois resultados negativos nas rodadas iniciais, a Costa do Marfim chegou à última rodada precisando de um milagre para obter a classificação. Como isso não aconteceu, os marfinenses fizeram sua parte, venceram a Coreia do Norte por 3 a 0 com ampla superioridade e pelo menos se despediram da Copa do Mundo de cabeça erguida.

A qualidade dos africanos era tão evidente que com menos de um minuto de jogo já surgiu a primeira chance. Keita recebeu a bola, invadiu a área e, sozinho, chutou em cima do goleiro Ri Myong Guk. Outras oportunidades foram criadas e, aos 10, Gervinho avançou pela esquerda e bateu cruzado. A bola caprichosamente rolou pela linha e saiu. Com 13 minutos, enfim, saiu o gol. Boka cruzou rasteiro, Touré dominou e bateu colocado para abrir o placar. Três minutos depois, os marfineses quase ampliaram em chute de longe de Romaric, que triscou na trave norte-coreana.

Porém, o segundo gol saiu aos 19 minutos. Em bola cruzada na área, Drogba dominou bem, girou e fuzilou, mandando a bola no travessão. No rebote, Romaric subiu mais que a zaga adversária e, de cabeça, ampliou o placar. Aos 30 os marfinenses desperdiçaram a chance do terceiro com uma conclusão errada de Keita. O mesmo fez Gervinho um pouco depois, perdendo um gol feito.

A segunda etapa começou como terminou a primeira, num jogo entre ataque e defesa. Aos 22 minutos, Romaric chutou forte de fora da área e obrigou o goleiro norte-coreano a fazer boa defesa. Somente aos 35 a Coreia do Norte conseguiu levar perigo pela primeira vez. Jong Tae-Se, o ‘Rooney Asiático’, recebeu a bola em posição duvidosa, invadiu a área, dividiu com o goleiro Barry e, no rebote, chutou em cima do zagueiro. No minuto seguinte, Boka levantou a bola na área e, de primeira, Kalou marcou o terceiro e deu números finais ao confronto.

Portugal 0 X 0 Brasil

O objetivo da Seleção Brasileira foi atingido. Num grupo difícil, a ideia era terminar na primeira posição e conseguir ficar do lado mais ‘fácil’ da chave nas oitavas de final, evitando fortes equipes como Argentina, Alemanha ou Inglaterra e a própria Seleção Portuguesa. Em um jogo feio, com alto congestionamento no meio de campo e muitas faltas dos dois lados, brasileiros e portugueses empataram em 0 a 0 e ambos conseguiram a classificação para a próxima fase.

Com a escalação de Nilmar no lugar de Robinho, Dunga supreendeu, mas manteve o mesmo esquema de jogo. Daniel Alves substituiu o lesionado Elano e Julio Baptista ficou com a vaga do suspenso Kaká. No início da partida, o Brasil dominava o meio, mas não levava perigo ao gol de Eduardo. Com o nervosismo das equipes, o árbitro começou a distribuir cartões amarelos. Antes dos 25 minutos, três jogadores já haviam sido punidos (Luís Fabiano e Juan para o Brasil e Duda para Portugal).

A grande chance da primeira etapa aconteceu aos 30 minutos. Luís Fabiano deu um despretencioso cruzamento para a área e a zaga lusitana vacilou. Nilmar apareceu e concluiu sem ângulo, obrigando o goleiro Eduardo a fazer boa defesa e a bola ainda bateu na trave antes de sair. O atacante do Villareal se movimentava bastante e era o único que levava perigo aos portugueses. Aos 36, Nilmar deu um chapéu no adversário e concluiu de primeira, isolando a bola. Aos 38, enfim, Luís Fabiano apareceu. Maicon avançou pela direita e cruzou para o Fabuloso, que antecipou o zagueiro e cabeceou com perigo.

O primeiro tempo foi fraco tecnicamente e, para piorar, o nervosismo se transformou em jogadas mais ríspidas que obrigaram o árbitro Benito Archundía a amarelar alguns atletas. Felipe Mello, por exemplo, recebeu dura entrada do luso-brasileiro Pepe e, como era de se esperar, minutos depois deu o revide de forma bruta. Resultado? Ambos levaram o cartão amarelo e Dunga resolveu tirar o brasileiro, já que a expulsão era questão de tempo. Em seu lugar, entrou o volante Josué.

No segundo tempo, a Seleção Brasileira piorou ainda mais seu rendimento e deixou Portugal mandar no jogo. Logo aos dois minutos, Cristiano Ronaldo avançou pela esquerda, mas foi bem interceptado pelo zagueiro Lúcio. Aos seis, o astro do Real Madrid cobrou falta, a bola desviou em Pepe e por pouco não traiu o goleiro Júlio César. Cristiano Ronaldo, que jogava sozinho no ataque por opção de Carlos Queiroz, tentava resolver sozinho a partida. De onde pegava a bola, tentava o chute para se aproveitar do tal ‘efeito Jabulani’.

Com muita posse de bola, os portugueses continuavam insistindo. Aos 14, Cristiano Ronaldo partiu para cima e Lúcio, tentando intervir, tocou a bola cruzada para o meio da área brasileira. Raúl Meirelles ficou sozinho, cara a cara com Júlio César, mas viu o arqueiro da Inter de Milão sair muito bem do gol e evitar que o placar fosse aberto. O Brasil jogava muito mal. Júlio Baptista nada fez no jogo e foi substituido, tardiamente, por Ramires. Luís Fabiano, que também não conseguiu um bom domínio de bola, saiu para a entrada de Grafitte. Nada mudou, a não ser a última boa chance do jogo, em um chute de Ramires que desviou na zaga lusitana e obrigou o goleiro Eduardo a fazer uma bela defesa de mão trocada.

Para o bem do futebol, o juiz terminou a partida. Muito se esperava deste duelo e pouco se viu dentro de campo. Jogo fraco tecnicamente, com duas equipes pouco inspiradas e que jogaram apenas para cumprir tabela, já que Brasil e Portugal já estavam classificados. A Seleção Brasileira terminou na liderança do grupo G com sete pontos (duas vitórias e um empate), enquanto os portugueses ficaram com a segunda vaga, somando cinco pontos (uma vitória e dois empates).

Suíça 0 X 0 Honduras

Os suíços tinham a faca e o queijo na mão. No duelo contra a equipe da América Central, precisavam apenas vencer para avançarem às oitavas de final da Copa do Mundo. Mas num jogo muito fraco tecnicamente, a Suíça mostrou novamente ter um sistema defensivo sólido, mas esbarrou na falta de ofensividade, já demonstrada há um bom tempo, e ficou no 0 a 0, resultado que eliminou as duas seleções.

A falta de qualidade das duas equipes pesou desde o início. O único lance perigoso da primeira etapa aconteceu aos 16 minutos, quando Barnetta cruzou para a área e Derdyiok cabeceou rente a trave. Esse foi o primeiro tempo. Só isso? Sim, apenas isso. Suíços e hondurenhos bem que tentaram, tiveram força de vontade e física, mas a falta de qualidade técnica brecou qualquer iniciativa.

É óbvio que no segundo tempo as coisas pouco mudaram. O único diferencial foi que o jogo ficou mais aberto, já que a Suíça saiu de trás para buscar o gol que lhe daria a classificação e deixou espaços na defesa, chamando os hondurenhos para o contra-golpe. Aos oito, Alvarez fez boa jogada, driblou o adversário e cruzou na medida para David Suazo, que cabeceou para fora, mas a bola passou bem perto. A resposta dos suíços veio aos 16, em jogada de Barnetta e boa defesa de Noel Valladares. Dois minutos depois, o goleiro hondurenho precisou intervir novamente e defendeu um chute rasteiro de Derdyiok.

No contra-ataque, Honduras até levava perigo, como fez aos 26, quando Suazo avançou com a bola e passou com açúcar para Alvarez, que chutou e viu o goleiro Benaglio fazer ótima defesa. Dez minutos depois o atacante Frei cruzou e Derdyiok, no primeiro pau, tentou pegar de primeira e deu uma incrível furada. Nada melhor para definir o jogo. As duas equipes não apresentaram quase nada e se despediram do Mundial.

Chile 1 X 2 Espanha

O confronto de língua espanhola era vida ou morte para espanhóis e chilenos. A Espanha, que chegou muito badalada à África do Sul, decepcionou e precisava realizar uma boa partida para voltar a ter força. O Chile, por sua vez, chegou como mero coadjuvante e se destacou vencendo os dois primeiros confrontos, algo que, mesmo assim, ainda não havia garantido a equipe no mata-mata. Assim, a ‘Fúria‘ venceu os chilenos por 2 a 1 num jogo bem disputado, terminou na liderança do grupo H e, de quebra, levou o adversário para a próxima fase também.

A partida foi bastante corrida desde o início. Com equipes leves, Espanha e Chile tentavam furar o bloqueio adversário com a bola no chão, tocando muito e com alguma velocidade. A primeira chance do jogo foi de ‘La Roja‘. Aos nove, o ex-palmeirense Valdivia começou a jogada, tocou para Beausejour, que cruzou rasteiro para o meio da área e González concluiu de forma bizarra, mandando a bola para muito longe.

Entretanto, os chilenos sofreram o primeiro golpe em um erro cometido por Valdivia, que tentou fazer graça no campo de ataque e perdeu a bola para o zagueiro Piqué. O jogador do Barcelona deu um lançamento em profundidade para Fernando Torres e o goleiro Claudio Bravo saiu desesperado, sem necessidade, na intermediária para tentar tirar a bola de carrinho. David Villa agradeceu e, de primeira, chutou para marcar um belo gol e abrir a contagem.

Com o gol a Espanha cresceu e partiu para cima. O segundo tento aconteceu aos 36 minutos. Iniesta puxou o contra-ataque, trocou passes com Villa e mandou para o gol com categoria, marcando o segundo gol espanhol. Além disso, o lance chamou atenção por outro motivo. Enquanto os espanhóis desenvolviam a jogada, fora do lance o atacante Fernando Torres tropeçou no pé de Estrada, a jogada prosseguiu e o árbitro assinalou o gol. Porém, enquanto os jogadores da ‘Fúria‘ comemoravam, o juiz Marco Rodriguez, do México, foi atrás de Estrada que já tinha amarelo e expulsou o chileno, causando indignação nos jogadores. De fato, o árbitro se equivocou absurdamente.

Com a vantagem no placar, parecia que a Espanha venceria o jogo facilmente com uma goleada. Entretanto, mesmo em desvantagem e com um homem a menos, o Chile surpreendeu no início da segunda etapa. O treinador Marcelo ‘El Loco’ Bielsa tirou o inoperante Valdivia de campo e colocou Rodrigo Millar em seu lugar no intervalo. No primeiro lance efetivo dos últimos 45 minutos, Millar recebeu a bola de Alexís Sánchez e chutou da entrada da área. A bola desviou em Piqué e traiu Casillas, que nada pôde fazer.

Daí para frente, as duas equipes diminuíram o ritmo e pouco fizeram. Ambos pareciam estar satisfeitos com o resultado e assim ficou até o final. A Espanha terminou na liderança do grupo H com seis pontos (duas vitórias e uma derrota) e, dessa forma, enfrentará Portugal nas oitavas de final. O clássico europeu dos países vizinhos, acontecerá na próxima terça-feira (dia 29), na Cidade do Cabo, às 15h30.

O Chile, por sua vez, fez a mesma pontuação que a ‘Fúria‘, mas ficou na segunda posição por ter marcado um gol a menos. Os comandados de ‘El Loco’ Bielsa enfrentarão o Brasil na próxima fase, dia 28 (segunda-feira), no estádio Ellis Park, em Joanesburgo.

Anúncios

Read Full Post »

Por: Erik Rodrigues*

Holanda 1 X 0 Japão

Os dois líderes do grupo E se enfrentaram na cidade de Durban com o objetivo de garantirem a classificação para a próxima fase. A Holanda ainda sem Robben, o principal destaque do time e o Japão com a mesma formação da partida vitoriosa contra Camarões na estreia.

Mas o que parecia uma partida fácil para os europeus acabou se tornando penoso. Com um ataque sem inspiração e com muitos toques de lado, a Holanda pouco ameaçava o gol de Kawashima. Sneijder, Van Persie e Kuyt não se entendiam e as jogadas não saiam. O Japão marcava bem no meio de campo e chegava rápido na frente, sempre com o perigoso Okubo.

Com isso, a Holanda abusava de duas armas: a bola na área e os chutes de longa distância, tentados na maioria das vezes por Sneijder. Mas a marcação dos asiáticos era implacável. Apesar de só terem 31% da posse de bola, os japoneses levavam mais perigo. Em uma boa oportunidade, Honda cabeceou perto do gol e quase fez.

Na segunda etapa, parece que as equipes lembraram que quem ganhasse a partida estaria garantido na próxima fase. A “Laranja Mecânica” voltou mais ligada e começou ameaçando com Van Persie. Os holandeses estavam melhores e pressionavam pelos lados com Kuyt e o atacante do Arsenal. O gol era questão de tempo.

Aos oito minutos, Kuyt cruzou da direita e o brasileiro naturalizado japonês, Marcos Túlio Tanaka, afastou. A bola sobrou no pé de Van Persie, que percebeu a aproximação de Sneijder e ajeitou para o camisa 10, que bateu forte no canto direito. O goleiro Kawashima caiu no canto certo, mas o efeito ‘Jabulani’ entrou em cena e a pelota fez uma curva. O arqueiro japonês ainda espalmou, mas não conseguiu impedir o gol.

Com 1 a 0 no placar, a Holanda parou e privilegiou a marcação ao adversário. O Japão partiu pra cima e deu trabalho para o goleiro Stekelenburg, em dois bons chutes de Okubo. Mas também foi só, pois o time asiático temia os contra-ataques holandeses. O atacante Elia e o meia Affelay entraram no time e deram mais movimentação na frente aos holandeses. Porém, não conseguiram converter em gols as boas oportunidades criadas.

Com o resultado, a Holanda garantiu uma das vagas do grupo E. Na próxima rodada, dia 24, os holandeses encaram Camarões na Cidade do Cabo, enquanto o Japão enfrenta a Dinamarca em Rustemburgo, na briga pela segunda vaga do grupo.

Austrália 1 X 1 Gana

Pelo grupo D do Mundial, Gana e Austrália se enfrentaram na cidade de Rustemburgo. O que tinha tudo para ser um jogo morno e sem atrativos, acabou se tornando uma partida bastante movimentada.

Precisando se recuperar da goleada sofrida na estreia, a Austrália iniciou a partida no ataque. As investidas de Kewell pela esquerda levavam perigo ao gol de Kingson. A pressão deu resultado aos 11 minutos, quando Bresciano bateu falta e o goleiro ganês soltou a bola nos pés de Holman, que empurrou para as redes. Aí, aconteceu o que tem sido rotina nesta Copa do Mundo. Após fazer o gol, os “Socceroos” se firmaram na defesa e esperavam as chances de contra-ataque.

O time de Gana passou a tocar a bola e começou a pressionar. De tanto insistir, aos 25 minutos, Ayew fez o que quis pela direita, aliando técnica e raça no mesmo lance. Após passar por dois adversários, ele cruzou rasteiro para o meio da área e Mensah bateu de primeira. Em cima da linha, Kewell afastou com o braço, o juiz marcou pênalti e expulsou o atacante. Asamoah Gyan, o melhor jogador do time, bateu no canto esquerdo e empatou o jogo.

Os africanos se empolgaram e partiram pra cima dos australianos que, com um homem a menos, ficaram perdidos. Gyan comandava o ataque ganês e por pouco seu time não conseguiu a virada antes do intervalo.

No segundo tempo, a Austrália surpreendeu e equilibrou a partida. Mesmo com mais posse de bola, Gana não criava boas chances de gol e os australianos chegavam com perigo. Em um destes lances, Chipperfield cabeceou na pequena área e mandou pra fora. A jogada despertou os “Black Stars”.

Gyan, sempre ele, conduzia o time ao ataque, com velocidade e ousadia. Mas se ele tocasse mais a bola, talvez a equipe fosse mais beneficiada. Boateng também atacava e aos 25 minutos, os dois tabelaram bonito, mas Gyan chutou pra fora.

A Austrália resolveu então arriscar, e colocou em campo o atacante Kennedy no lugar de Holman. A alteração funcionou e aos 27 minutos, Wilkshire recebeu de frente para o goleiro, mas chutou por cima. A bola ainda sobrou para Kennedy, que bateu fraco e Kingson defendeu.

Nos últimos 15 minutos, os dois times diminuíram o ritmo, apesar de os australianos insistirem na base do desespero, mesmo que sem perigo. Com o resultado, Gana ficou em primeiro no grupo D com quatro pontos. Alemanha e Sérvia têm três, enquanto a Austrália tem um. Na próxima rodada, dia 23, Gana enfrenta a Alemanha no Soccer City, em Joanesburgo, e joga por um empate para seguir no Mundial. Os australianos encaram a Sérvia no mesmo dia, em Nelspruit.

Camarões 1 X 2 Dinamarca

Precisando da vitória para seguir no Mundial, Camarões e Dinamarca entraram em campo pela segunda rodada do grupo E. O time africano sofreu alterações a pedido de seus jogadores, que “conversaram” com o técnico francês Paul Le Guen. Os dinamarqueses também tinham novidade, com a volta do capitão Tomasson, recuperado de lesão.

A partida começou boa, com os camaroneses atacando com sua principal estrela, Samuel Eto’o. O jogador da Inter de Milão arriscou de fora da área, mas a bola foi por cima. Os europeus não deixaram por menos e responderam com Rommedahl. Até que Christian Poulsen saiu jogando errado e entregou a bola de graça para Webo. Ele levou pela esquerda e passou para Eto’o que, livre na área, abriu o placar para os “Leões Indomáveis”.

Com o gol, Camarões cresceu no jogo e permaneceu no ataque por mais dez minutos. Teve boas chances e trocou passes rápidos entre Webo, Eto’o e Emana. Mas o segundo gol não saiu e a Dinamarca voltou para o jogo.

Aos 16 minutos, Gronkjaer arriscou de fora da área, mas Nkoulou tirou de cabeça uma bola que certamente empataria a partida. Insistindo em jogadas rápidas, a Dinamarca alcançou a igualdade aos 33 minutos. O bom Rommedahl recebeu pela direita e cruzou rasteiro para Bendtner marcar.

O empate incendiou os minutos finais do primeiro tempo. Os dois times tiveram a chance de fazer o segundo gol, que não saiu por detalhe. O dinamarquês  Tomasson teve boa oportunidade, mas Nkoulou salvou mais uma vez. No contra-ataque, Eto’o bateu de esquerda e acertou a trave.

O segundo tempo começou mais lento, com as equipes trocando passes na intermediária. Aos 12 minutos, Camarões arriscou e Webo tabelou com Eto’o, mas mandou longe. Na sequência, veio o castigo. Novamente Rommedahl, o melhor jogador da Dinamarca, avançou pelo lado esquerdo da defesa adversaria, driblou Makoun e bateu de esquerda, virando o jogo. A “Dinamáquina” ainda teve a chance de marcar o terceiro, mas o capitão Tomasson perdeu ótima chance.

A derrota eliminaria os africanos, então os camaroneses foram com tudo para o ataque. As entradas de Idrissou e Aboubakar melhoraram o time, que jogava bolas para a área dinamarquesa. Aquela dramaticidade típica de Copa do Mundo entrou em campo. Emana e Eto’o tentaram de fora da área, pelos lados, pelo alto, mas não conseguiram o gol que manteria o time no Mundial. A defesa da Dinamarca trabalhou bem, com destaque para o bom zagueiro Daniel Agger.

Com a vitória, a Dinamarca segue na briga por uma vaga na próxima fase e enfrenta o Japão, em Rustemburgo, no dia 24, na disputa direta pela classificação. Já Camarões está eliminado da Copa do Mundo e só cumpre tabela com a Holanda, na Cidade do Cabo, no mesmo dia.

* Erik Rodrigues é jornalista e são-paulino.

Read Full Post »

Por: Erik Rodrigues*

Coreia do Sul 2 X 0 Grécia

Para falar deste jogo, primeiro é necessário reproduzir o seguinte comentário: senhor, como o time da Grécia é ruim! A diferença técnica entre as equipes ficou clara logo no começo da partida, com o domínio dos sul-coreanos. O time grego se defendia bem, mas tinha um sério problema: quando tinha a bola, não sabia o que fazer com ela.

Com bom toque de bola e velocidade, a equipe asiática partiu para cima e fez o primeiro gol com Li Jung-Soo. O gol animou a Coreia do Sul, que continuou no ataque e por pouco não fez o segundo.

Após o intervalo, com cinco minutos de jogo, os sul-coreanos fizeram 2×0 com Park Ji-Sung e praticamente confirmaram a vitória. Com a vantagem no placar, a Grécia, enfim, decidiu arriscar. Depois de duas substituições, o time europeu finalmente conseguiu algumas conclusões a gol e até melhorou, mas nada ameaçador. A Coreia do Sul esperava o tempo passar e usava sua velocidade nos contra-ataques, mas não fez o terceiro.

Os sul-coreanos mostraram que evoluíram bastante desde que organizaram a Copa de 2002, junto com o Japão. O resultado os credencia como segunda força no grupo B para a disputa de uma das vagas à próxima fase. Já a Grécia pode procurar algum safári e aproveitar o tempo que ficará na África do Sul na primeira fase, pois depois de três jogos certamente voltará para casa. E talvez sem fazer nenhum gol,mantendo assim o tabu de ainda não ter marcado em Mundiais.

A Coreia do Sul volta a campo no próximo dia 17, contra a Argentina, em Joanesburgo. Neste mesmo dia, a Grécia enfrenta a Nigéria em Bloemfontein.

Argentina 1 X 0 Nigéria

Em um jogo fraco tecnicamente, a Argentina venceu a Nigéria e conquistou os primeiros três pontos no grupo B. O gol marcado aos seis minutos pelo zagueiro Heinze deu a impressão de que os Hermanos iriam com tudo para cima. Após o gol, o time argentino se manteve no ataque e teve outras duas boas chances. Lionel Messi, o grande astro da equipe, procurava criar espaços para deixar os companheiros em condições de marcar.

No lado nigeriano, apenas muito esforço. Quando tinha a bola, o time africano até chegava com perigo, mas não concluía a gol. O primeiro tempo acabou com a Argentina tocando a bola e Nigéria observando.

Na segunda etapa, os comandados de Maradona forçaram o jogo pelas pontas, com Messi armando mais de trás e Carlitos Tevez se movimentando bem pela esquerda. O ponto fraco do ataque era Higuain, que não rendia o mesmo que seus companheiros ofensivos. Messi continuava a fim de jogo e chutou duas bolas perigosas, com boas defesas do goleiro Enyeama.

A partida ficou um pouco mais aberta e a Nigéria teve boas oportunidades no contra-ataque. A maior dificuldade era a finalização. Com o espaço oferecido pela defesa argentina do lado direito, Obafemi Martins e Odemwigie atacavam com velocidade. Porém, na hora de fazer o gol, a finalização ficava a desejar.

Maradona percebeu a inoperância de Higuain na frente e colocou Diego Milito em campo, mas apenas aos 32 minutos da segunda etapa. Mesmo com pouco tempo, o atacante da Inter de Milão conseguiu fazer boas jogadas e mostrou bom entrosamento com Messi e Tevez. Em uma delas, Milito deixou o jogador do Barcelona na cara do gol, mas o goleiro nigeriano Enyeama fez ótima defesa. Com o passar do tempo, a Argentina prendeu a bola e esperou o apito final.

Vitória importante do time argentino, apesar das dificuldades. Porém, já é  um time mais organizado do que o aquele que disputou as eliminatórias. Além disso, Messi e Tevez se destacam no ataque e podem dar muitas alegrias à torcida. Já a Nigéria mostrou que dificilmente poderá chegar á próxima fase.

No próximo dia 17, a Argentina enfrenta a Coreia do Sul em Joanesburgo. E a Nigéria encara a Grécia em Bloemfontein.

Inglaterra 1 X 1 Estados Unidos

Inglaterra e Estados Unidos estrearam na Copa cercados sob a preocupação de um ataque terrorista. Felizmente, não houve nenhum incidente e os torcedores puderam acompanhar a partida no estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo.

Dentro de campo, o gol de Steven Gerrard logo aos três minutos demonstrava a força da equipe da Fábio Capello. O English Team manteve o domínio de jogo até a metade do primeiro tempo, mas sem criar chances mais claras. Depois do susto, os Estados Unidos se posicionaram melhor e começaram a arriscar os primeiros ataques.

Trocando bons passes, os norte-americanos se aproximavam da área, especialmente pelo lado esquerdo. Donovan, o principal jogador, chutou uma perigosa bola de fora da área, assustando os súditos da rainha. E quando parecia que a Inglaterra levaria a vantagem para os vestiários, eis que Dempsey gira em cima de Gerrard e chuta de fora da área, sem muita força, o bravo Green se confunde e engole o primeiro frango da Copa 2010.

No segundo tempo, os ingleses partiram pra cima, mas sem muita inspiração. Lampard e Rooney, apagados até então, começaram a aparecer mais no jogo. Destaque também para o lateral Johnson, que buscava a linha de fundo com mais frequência. Nos Estados Unidos, a tática era se defender e apostar na velocidade dos contra ataques. E em um deles, Altidore quase virou, mas Green espalmou a bola na trave, salvando sua equipe.

O grandalhão Peter Crouch entrou no lugar no inócuo Heskey, para tentar o tradicional chuveirinho inglês na área. Mas nem a manjada jogada serviu e o empate permaneceu. O resultado não foi tão ruim, já que Eslovênia e Argélia estão no grupo C ao lado de ingleses e norte-americanos. E dificilmente estes países vão ficar de fora da próxima fase. Mas ambos precisam melhorar, especialmente a Inglaterra, de quem se espera um desempenho melhor.

* Erik Rodrigues é jornalista e são-paulino.

Read Full Post »

Maicon, lateral direito titular da Seleção Brasileira, fez um gol daqueles que enchem os olhos dos amantes do futebol. Em um clássico muito disputado contra a rival Juventus, a Inter de Milão venceu por 2 a 0, o segundo gol foi anotado pelo camaronês Samuel Eto’o, chegou aos 70 pontos no Campeonato Italiano e assumiu provisioriamente a liderança da competição. A Roma pode voltar a liderança amanhã, se vencer o confronto contra a Lazio.

Veja a pintura feita por Maicon:

Read Full Post »

Adriano tinha tudo para ser noticiado pela mídia do mundo inteiro por seu futebol, suas jogadas e seus gols. Mas, infelizmente, a carreira do jogador parece ter, definitivamente, tomado um rumo perigoso. Depois de todos os problemas que teve na Inter de Milão, Adriano passou um período no São Paulo tentando se recuperar, mas também criou confusões. Voltou para a Inter, decidiu abandonar o futebol e em seguida foi repatriado pelo Flamengo, seu time do coração e onde o atleta foi revelado. Parecia que isso seria bom para o atacante, já que ele mesmo disse que sentia falta da família, do carinho dos amigos e até da favela onde nasceu. Adriano retomou a alegria e a vontade de jogar futebol. Ajudou o Flamengo a conquistar o Campeonato Brasileiro, mesmo faltando aos treinos e tendo muitos privilégios com o aval da diretoria rubro-negra. Com isso, o Imperador voltou para a Seleção Brasileira e passou a ser um nome forte para o elenco que disputará a Copa do Mundo desse ano, na África do Sul.

Até esse momento, tudo corria perfeito. Certo? Certo, em partes. Foi só 2010 chegar e Adriano novamente entrou em confusões pessoais. Ora com a namorada, ora com as baladas e bailes funks, ora com a bebida. Não digo isso apenas pelo episódio da última sexta-feira, quando a namorada do jogador surtou, subiu num morro carioca onde Adriano e seus companheiros de Flamengo (Vagner Love, Álvaro, Denis Marques, Bruno, entre outros) curtiam um baile funk e quebrou o carro dos jogadores do Flamengo, causando um enorme tumulto e até mesmo envolvendo os traficantes locais na briga. Seria somente mais um fato isolado, se não fosse relacionado ao Adriano. Somente neste ano, o atacante coleciona ausências nos treinos e jogos do Flamengo. Já foram onze até o momento, pelos mais variados motivos. Aniversário da mãe, Carnaval, reunião de negócios, etc.

Qual o comprometimento do jogador? O que ele almeja para sua vida? Adriano vem, pouco a pouco, manchando de uma forma irrecuperável toda sua fama no meio do futebol. Está certo que tudo isso engloba problemas pessoais e é necessário discerni-los dos problemas profissionais. Mas o Imperador não pensa assim, não age assim. A vida dele se transforma num emaranhado de emoções e sentimentos. Não consegue ser profissional em seu trabalho e não consegue ser feliz em sua vida. Mas qual o motivo para tudo isso? Não se sabe e creio que nem o próprio ‘empresário-pai’ Gilmar Rinaldi consegue responder.

A situação está delicada e Adriano parece não ter forças para conseguir mudá-la. Acima de tudo, o jogador é ser humano e precisa de ajuda. Precisa refletir e colocar na balança tudo isso. Precisa dosar o profissionalismo e sua vida fora do trabalho. Precisa se recuperar dos problemas com o álcool. Precisa dar um jeito em sua vida rapidamente. Estamos a três meses da Copa do Mundo, onde até a semana passada, Adriano tinha certeza que estaria lá e que seria uma das peças fundamentais do Brasil em busca do hexa. Hoje, três dias depois, não se sabe mais se o Imperador estará na África do Sul. E não são por problemas técnicos ou táticos. São por problemas extra-campo que invadem a sua vida de uma forma descontrolada.

O que acontece na vida de Adriano? Qual a solução para todos esses infortúnios? Eu gostaria de ver o Imperador na Copa do Mundo, mas dessa forma, levá-lo à África é um enorme risco para todo o grupo. E vocês leitores, o que acham? Vocês convocariam o atacante para o Mundial? Opinem.

Read Full Post »

Pessoal, primeiramente gostaria de agradecer aos comentários e ao apoio de sempre ao MFC. Aliás, preciso me explicar para vocês. Há 11 dias não atualizo o blog. O motivo por essa ausência é o meu TCC. Como a grande maioria sabe, estou no último ano da faculdade e a correria com o TCC aumentou muito nos últimos meses. Como tirei férias do trabalho por duas semanas, aproveitei para dar uma boa agilizada no trabalho e, por esse motivo, deixei o blog um pouco de lado. Peço desculpas aos meus assíduos leitores e peço um pouco de compreensão, já que ainda ficarei um pouco distante nas próximas semanas. Acredito e sei da importância do blog e dessa interação com vocês, mas no momento estou totalmente focado em meu trabalho de conclusão de curso. O meu futuro também depende desse trabalho. De qualquer forma, tentarei não ficar tão distante como nessa última semana, farei o possível. Afinal, já estava com saudades de escrever aqui.

O futebol realmente é mágico. Quando escrevi meu último post aqui, o planeta bola estava de um jeito e hoje, apenas 11 dias depois, muitas coisas já mudaram. No Brasil, Muricy Ramalho foi contratado pelo Palmeiras e depois da longa novela, o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo novamente deu a ‘notícia’ pelo Twitter. Vanderlei Luxemburgo foi pela quarta vez para o Santos e, para variar, já criou polêmica. Como ele gosta de aparecer né? Precisava ter agido daquela maneira com o Roberto Brum? Enquanto isso, o contestado Tite continua no cargo no Internacional. O polêmico Leão já saiu do Sport e até o discreto Sérgio Guedes deixou o Santo André. Cuca, depois de colocar a cara a tapas e ser humilhado pela diretoria rubro-negra, enfim, pegou seu boné e saiu do Flamengo.

Jogadores também foram notícia nos últimos dias. O Corinthians iniciou um desmanche que ainda não tem prazo para terminar. André Santos e Cristian foram para o Fenerbahçe. Douglas foi vendido para o desconhecido Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos. A maior promessa corintiana da década saiu pelas portas do fundo. Lulinha foi emprestado por dez meses para o Estoril, de Portugal. Otacílio Neto foi para o Barueri. Wellington Saci para o Atlético-MG. Felipe, Elias e Chicão ainda podem sair. No meu último post aqui, o Corinthians estava na melhor das fases, mas o desmanche, a contusão de Ronaldo – ficará fora por pelo menos um mês – e, principalmente, a derrota para o Palmeiras, já mudaram o clima no Parque São Jorge.

Enquanto isso, Obina curte a boa fase. Chegou como piada no Palmeiras e bastaram os três gols contra o rival, para o atacante cair nas graças da torcida. Até quando esse amor durará? O Palmeiras subiu muito na tabela e já divide a liderança com o Galo. Será que Muricy conseguirá seu tetracampeonato nacional? Há 11 dias, o São Paulo vivia seu pior momento nos últimos seis ou sete anos. A crise instaurada depois da eliminação na Libertadores, aliada a demissão do treinador e ao péssimo futebol, deixavam os torcedores desacreditados. Com o dinamismo do futebol, isso já mudou um pouco. E agora, os mesmo torcedores, até em título já falam. Como pode acontecer isso? Ah, o Santos repatriou o volante Émerson, o mesmo que disputou duas Copas do Mundo pelo Brasil, em 1998 e 2006. Boa contratação. O Guarani perdeu a invencibilidade na série B do Brasileirão e vêm de três resultados ruins.

Fora do Estado de São Paulo, as coisas mudaram muito também. O mágico time do Internacional de dois meses atrás, já evaporou. Além de estar caindo na tabela, Tite parece ter perdido o comando do grupo. D’Alessandro e Taison viraram reservas. O primeiro, inclusive, está afastado por deficiência na parte física. Nilmar foi para o Villareal. O Atlético-MG perdeu em casa para o Goiás e já começaram as incertezas sobre a qualidade do elenco e, principalmente, do técnico Celso Roth. O Cruzeiro está tentando se reerguer depois da Libertadores e para isso contratou o lateral esquerdo Gilberto e o equatoriano Guerrón. O Vitória continua somando seus pontinhos e se mantém no G4. Fluminense, Náutico, Sport, Botafogo e Atlético-PR estão ainda mais ameaçados e demonstram não terem forças para saírem da parte debaixo da tabela.

No exterior, os milhões de euros continuam passando por cima da crise financeira. Samuel Eto’o deixou o Barcelona e foi para a Inter de Milão. O sueco Ibrahimovic fez o caminho inverso. Keirrison foi emprestado para o Benfica e deverá jogar a temporada inteira no futebol português. Os times europeus, diferente dos brasileiros, continuam fazendo suas pré-temporadas. Mesmo que os torneios disputados não valham nada, o treinamento é importante.

Resumindo, citei apenas as coisas que lembrei no momento, mas vocês já viram como o futebol é dinâmico né? Em pouco mais de uma semana, tudo pode mudar. Jogadores e treinadores trocam de clubes como trocam de roupas. O termo ‘crise’ no futebol não é uma coisa para ser levada tão a sério também. Hoje um time está em crise. Amanhã não está mais e vice-versa. Como é fantástico esse Planeta Bola. Mesmo com tantas coisas erradas, consigo me apaixonar cada vez mais pelo esporte.

Um grande abraço a todos!
Continuem sempre acessando o MFC.
Até logo!

Read Full Post »

– Com a venda do volante Ramires para o Benfica, de Portugal, a diretoria do Cruzeiro agiu rápido e contratou o também volante Fabinho, que estava no Corinthians, mas que tinha seus direitos federativos ligados ao Toulouse, da França. O jogador foi apresentado nesta terça-feira na Toca da Raposa II e em sua entrevista coletiva, fez questão de deixar bem claro que não é substituo de Ramires, mas sim um atleta experiente que se junta ao grupo.

– Como o MFC havia informado ontem, o lateral direito Fabinho Capixaba está bem próximo de deixar o Palmeiras, mas ainda não foi dessa vez. O Santos tentou contratar o jogador hoje e a diretoria alviverde pediu R$400 mil pelo empréstimo do atleta. Por achar caro demais, o negócio não foi fechado, já que a diretoria santista se propôs a pagar apenas a metade desse valor.

– A Portuguesa contratou a revelação do Campeonato Paulista da Série A2. O atacante Fabrício se destacou na vitoriosa campanha do Monte Azul e foi muito importante no acesso da equipe, anotando 15 gols na competição. Aos 22 anos, Fabrício chega para suprir a carência de jogadores ofensivos, já que Edno e Christian estão lesionados.

– O selecionável volante Felipe Mello, da Fiorentina, está perto de acertar sua transferência para a Inter de Milão. O próprio jogador confirmou a possível transação e a imprensa italiana noticiou que a Inter ofereceu € 18 milhões e mais o zagueiro Burdisso em troca do brasileiro. O único empecilho é que Felipe ainda tem mais quatro anos de contrato com a Fiorentina.

– Duas notícias agitaram o futebol mexicano nesta terça-feira. A primeira foi  a confirmação da Conmebol de que a edição de 2010 da Taça Libertadores da América terá cinco times do país. As três vagas oficiais e mais o Chivas Guadalajara e o San Luís, que entrarão já na fase de oitavas-de-final, em recompensa a eliminação das equipes nesta Libertadores, devido à gripe suína. Dessa forma, Conmebol e Federação Mexicana de Futebol fizeram as pazes. A outra novidade também foi divulgada pela Conmebol, que confirmou o México como principal candidato para receber a Copa América de 2015.

– Antônio Carlos Zago, ex-jogador de futebol e diretor do Corinthians, foi apresentado nesta terça-feira como novo técnico do São Caetano para o restante da temporada. Em sua primeira oportunidade no comando de uma equipe, Antônio Carlos disse que se espelhará em Telê Santana, Vanderlei Luxemburgo e Fábio Capello para ter sucesso na nova função.

– O Vitória, vice-líder do Campeonato Brasileiro, perdeu um de seus principais atletas para os próximos jogos. O atacante Neto Baiano foi denunciado pelo STJD nos artigos 251 (reclamar, por gestos ou palavras, contra as decisões da arbitragem ou desrespeitar o árbitro e seus auxiliares) e 253 (praticar agressão física contra o árbitro ou seus auxiliares, ou contra qualquer outro participante do evento desportivo). O atleta, que deu uma cusparada em Ramon, do Vasco, foi punido em oito jogos e desfalcará o time baiano até o final de julho.

– Com o clima triste e de luto, após a queda do avião da Air France no oceano Atlântico, a Seleção Francesa jogou um amistoso hoje contra a Nigéria, em Saint Etienne, na França, e perdeu por 1X0. Os visitantes africanos fizeram o gol aos 32 minutos do primeiro tempo com Joseph Akpala.

– O Corinthians continua atrás de um volante para se precaver com as possíveis saídas de Cristian e Elias no meio do ano. O nome da vez no Parque São Jorge é o de Tinga, jogador do Borussia Dortmund, da Alemanha. Agindo nos bastidores, a diretoria corintiana não confirma a negociação, mas o site alemão “Revier Sport” confirmou o interesse do Timão pelo atleta.

– O atacante Kléber vem se destacando com a camisa do Cruzeiro. Em 21 partidas, o jogador já marcou 19 gols e sua vontade dentro de campo tem chamado atenção de clubes europeus. A bola da vez é o Liverpool, que teria oferecido € 7 milhões para contar com o jogador já no meio do ano. Porém, a diretoria cruzeirense parece nem pensar na hipótese de negociá-lo por menos de € 15 milhões e se mostra irredutível. Muita coisa deve rolar nos próximos dias, mas o fato consumado é que Kléber está voltando a ter mercado na Europa.

– A notícia bombástica do dia é a confirmação da transferência de Kaká para o Real Madrid. O jogador que estava no Milan desde 2003 e conquistou diversos títulos pelo clube italiano, foi negociado com o time merengue por exorbitantes € 65 milhões (cerca de R$188 milhões). Com a negociação confirmada, Kaká, que está concentrado com a Seleção Brasileira para as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, deverá render R$7 milhões aos cofres do São Paulo, que, como clube formador, tem direito a 4% na negociação do atleta.

Read Full Post »