Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Glorioso’

Paulo César Lima, 60 anos.

No mundo do futebol, Paulo César Caju.

Nascido em 1949 no Rio de Janeiro, o ex-jogador foi revelado pelo Botafogo em 1967 e jogou pelo Glorioso até 1971, vencendo dois Campeonatos Cariocas (1967 e 1968), além da Taça Brasil de 1968. Ainda muito jovem, mas já demonstrando grande qualidade com a bola nos pés, o ex-ponta esquerda foi convocado para a Seleção Brasileira que disputou e venceu a Copa do Mundo de 1970. Nesse mundial, Caju foi reserva de Rivellino. Quatro anos mais tarde, na Copa do Mundo de 1974, Paulo César Caju foi titular da equipe brasileira que terminou o mundial na quarta posição.

Depois que saiu de General Severiano, Paulo César Caju se transferiu para o Flamengo. Na Gávea, o ex-jogador atuou entre 1972 e 1974, jogando 105 partidas e marcando 19 gols. Caju também jogou pelo Olympique de Marseille, da França, Fluminense, Vasco, Corinthians e Grêmio. Pela equipe gaúcha, o ex-ponta esquerda foi titular no título Mundial de 1983 vencendo o Hamburgo, da Alemanha.

Ídolo do futebol nos anos 70 e 80, Caju viveu sua pior fase da vida após abandonar os gramados, quando passou a conviver com as drogas e a bebida, vícios que quase o tiraram a vida. Depois de 15 anos usando drogas, o ex-jogador se recuperou da dependência química há dez anos e atualmente faz palestras para crianças e jovens por todo o Brasil, contando sua história com o objetivo de livrar os jovens dos vícios. Em entrevista exclusiva para o MFC, o ex-jogador relatou como começou o vício, como se livrou e de que forma instrui os jovens.

MFC: Caju, qual foi seu envolvimento com as drogas? Já as usava durante sua carreira como jogador?
PC Caju: Eu nunca fui usuário, fui atleta. Comecei a jogar bola profissionalmente com 16 anos e parei com 36, quer dizer, 20 anos de carreira. Nunca fumei, nunca bebi, nunca cheirei. E quando eu parei de jogar, não tinha que dar satisfações para mais ninguém e estava um pouco chateado com o final da minha carreira, aí por livre e espontânea vontade minha, com alguns amigos, eu experimentei a cocaína, depois experimentei a birita e fui viciado nisso durante 15 anos. Então, o que eu tenho a dizer é o seguinte: quem nunca experimentou, atleta ou não, que não experimente, pois é algo muito ruim, destruidor.

MFC: Você acha que o esporte é algo que livra as crianças do mundo das drogas?
PC Caju: Ah, não tenha dúvidas. Eu vim de uma favela, a favela dos Tabajaras, em Botafogo, no Rio de Janeiro. Estou com 60 anos e morei no morro até os 10 anos. Naquela época não tinha tráfico, não tinha bandidos, não tinha armamento pesado, não tinha drogas dentro do morro. As favelas também não eram escondidas, então não tinha a grandeza que tem hoje. Eu tive essa sorte e por isso não tinha como se encaminhar para o rumo errado. Eu já era bom de bola desde garoto, sabia que era bom, mas não tinha maus elementos dentro do morro para seguir. Diferente de hoje, que as crianças não têm opção. Em qualquer parte do Brasil onde tenha periferia, além do grave problema com o crime, tem as favelas, tem as drogas e a criança que está dentro de um lugar desses não tem como fugir. Elas não têm uma possibilidade de um estudo melhor, acesso a cultura e ao esporte, pois dentro da comunidade elas são induzidas a trabalhar no tráfico. Começa como olheiro, depois passa a ser gerente, chefe e o fim é a morte. Então quer dizer, hoje é até difícil falar para a criança não experimentar, os caras (traficantes) forçam, como é que faz? A droga está infiltrada em todas as camadas sociais, no pobre, no rico, no milionário, no preto, no branco, em todos os lugares.

MFC: Um caso recente de jogador envolvido com as drogas foi o Jóbson, do Botafogo. Por ser um rapaz novo, que passou por todos esses problemas e pode até ser banido do futebol, você acha que o banimento dele do futebol é a melhor medida para se tomar?
PC Caju: Não. Você tem que ver o seguinte: o Jóbson vem de onde? Do Pará. Dentro da Amazônia. Então você vai por aí. A cultura e a educação dele são diferentes. Ele saiu de lá do interior do Brasil e foi parar aonde? Em Brasília. Quer dizer, com 16 anos já estava jogando futebol profissional no Brasiliense e desde essa época já tinha problemas com o álcool e depois com as drogas, que só apareceram após aquelas duas vitórias que salvaram o Botafogo do rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2009. Depois veio à tona o exame antidoping e ele mesmo declarou que era viciado em crack. Quer dizer, você tira pela educação, pela cultura, é um garoto que saiu de dentro da Amazônia e de repente está em Brasília, em outra realidade. Depois vai para o Rio de Janeiro e estoura no Botafogo. Um dos problemas que podem ter afetado o Jóbson foi estar sozinho em duas cidades grandes como Brasília e o Rio. Não sei se ele teve a família morando com ele nesses lugares. E é normal um cara tomar uma birita não tendo acompanhamento e estrutura. Com a fama, começou o deslumbramento, bons bichos (premiação paga aos jogadores após resultados positivos), companhias. Isso é normal, você viaja. O Rio é uma cidade sedutora, tranquilamente se você não tiver estrutura, se não tiver equilíbrio e boas companhias ao lado, dança.

MFC: Como funcionam suas palestras sobre as drogas?
PC Caju: Eu faço há quase 10 anos palestras sobre esse assunto. Eu sempre sou convidado, já fiz em vários estados do Brasil, algumas vezes até com psiquiatras ao meu lado também. É um negócio que eu alerto as crianças e os jovens. Como eu fui um ídolo do futebol, os mais velhos, os pais desses jovens que acompanharam a minha carreira, logicamente têm como chegar aos filhos e dizerem: Ele chegou ao auge e depois faltou equilíbrio e estrutura e ele foi pelo caminho errado. Minha história serve como exemplo.

NOTA: Como ídolo do Botafogo e torcedor apaixonado do clube, Paulo César Caju deve estar muito feliz com o título do Glorioso no Campeonato Carioca, algo que há duas semanas, no dia da entrevista, ele achava pouco provável de acontecer.

Read Full Post »

O Botafogo começou o Campeonato Carioca de 2010 desacreditado. Depois de sagrar-se campeão em 2006, o Glorioso vinha de três vices-campeonato, sempre perdendo a decisão para o rival Flamengo. Porém, depois de ser goleado pelo Vasco no início da competição, a diretoria alvinegra repatriou o técnico Joel Santana e as coisas começaram a melhorar. Primeiro veio o título da Taça Guanabara e hoje foi a vez do Botafogo conquistar a Taça Rio, vencendo seu algoz dos últimos anos, o Flamengo, por 2 a 1, gols de Herrera e ‘Loco’ Abreu. Como venceu os dois turnos, o alvinegro ganhou o título de forma direta, sem precisar disputar a decisão, algo que não acontecia desde 1998, quando o Vasco também venceu os dois turnos e levantou o troféu.

O time da estrela solitária venceu o campeonato através de alguns destaques individuais. A dupla de ataque estrangeira, formada por Herrera e ‘Loco’ Abreu, teve papel importante na caminhada até o título. O argentino Herrera anotou nove gols, enquanto o uruguaio Abreu marcou 11 tentos, ofuscando jogadores de renome como Adriano, Fred e Dodô. O flamenguista Vágner Love terminou o torneio na artilharia com 15 gols.

Outro destaque do Botafogo foi o jovem Caio. Utilizado como uma espécie de coringa, o atacante de 19 anos entrou em quase todas as partidas na segunda etapa e resolveu muitos jogos para o Glorioso, fazendo sete gols.

Entretanto, um dos principais responsáveis pela campanha alvinegra foi o técnico Joel Santana. Após ter treinado o Flamengo, o ‘Homem da Prancheta’ foi contratado para treinar a seleção da África do Sul com o objetivo de preparar a equipe anfitriã para a Copa do Mundo de 2010. Porém, meses antes do mundial, Joel foi demitido após perder oito partidas consecutivas. O Botafogo apostou no treinador para o estadual e Joel respondeu positivamente.

Além disso, Joel aumentou suas estatísticas no Rio de Janeiro. Com o título conquistado hoje, o técnico chegou à sua sétima conquista no Campeonato Carioca (2 títulos com o Vasco, 2 com o Flamengo, 2 com o Botafogo e 1 com o Fluminense), ficando a apenas uma conquista do maior recordista, o ex-treinador Flávio Costa, que venceu o torneio em oito oportunidades, cinco com o Flamengo e três com o Vasco.

Como o Glorioso está eliminado da Copa do Brasil, a equipe só volta a campo na estreia do Campeonato Brasileiro de 2010, quando jogará contra o Santos, no dia 8 de maio.

Parabéns ao Botafogo pelo 19º título carioca.

Read Full Post »

Victor Simões disputa bola com Léo (3) e Fabiano Eller

O técnico Ney Franco abandonou de vez o esquema 3-5-2 e mandou a equipe para o campo no 4-4-2, seu estilo preferido. Mas a mudança demorou para surtir efeito. O Glorioso precisou de todo o primeiro tempo e mais da metade da segunda etapa para conseguir os gols. Batista, aos 36 e Laio, aos 41, fizeram os gols que deram a primeira vitória ao Botafogo no Campeonato Brasileiro. Além disso, a vitória da equipe carioca acabou com a invencibilidade do Santos na competição.

O Botafogo não fez um grande jogo, mas a mudança de postura tática rendeu uma boa marcação no meio campo e muitas chances desperdiçadas, principalmente no primeiro tempo. A primeira chance de gol real saiu dos pés do atacante Tony. Após passe de Lúcio Flávio, Tony chutou forte, mas a bola foi para fora. Aos 25, foi a vez de Victor Simões girar, bater forte na bola e levar perigo ao gol santista. Fahel teve a melhor chance do Botafogo para abrir o placar. O volante recebeu passe dentro da área e tocou de cobertura na saída de Fábio Costa, mas Fabiano Eller tirou em cima da linha e evitou o gol. Mesmo com mais posse bola, o Glorioso não conseguiu abrir o placar e o primeiro tempo terminou.

Na segunda etapa o Santos tentou equilibrar o jogo e Vagner Mancini colocou Neymar no lugar do Molina. E realmente o Santos melhorou um pouco, mais nada que assustasse o Botafogo. Ney Franco, por sua vez, tirou Tony e colocou Laio, mostrando que confiava na primeira vitória. E realmente deu certo. Demorou, mas os gols saíram. Aos 36, Thiaguinho rolou a bola para o meia Batista, que bateu forte e ainda contou com desvio na zaga santista para abrir o marcador. O gol animou a equipe carioca, que continuou partindo para cima do Santos. E aos 41 saiu o gol que definiu a partida. O zagueiro Fabão tentou cortar a bola na intermediária e errou. A bola foi para trás e deixou Laio no mano a mano com o goleiro Fábio Costa. Esperto, Laio driblou o goleiro e fez o segundo gol.

Mesmo com o resultado positivo dentro de casa, o Botafogo não fez grande partida e precisa melhorar para continuar ascendendo na competição. Com 53% de posse de bola, o Glorioso finalizou sete vezes durante o jogo contra uma do Santos, mostrando a diferença entre as duas equipes no jogo. O técnico Vagner Mancini terá muito trabalho para arrumar a defesa de sua equipe. O grande problema do Santos é no setor defensivo, que em seis jogos tomou 11 gols, quase dois por partida.

Com a vitória, o Botafogo chegou aos seis pontos e está na 15ª colocação. O Santos parou nos nove pontos e continua na 4ª posição, pelo menos até amanha, quando haverá o complemento da rodada. No próximo sábado, o Glorioso viaja até a Bahia e enfrentará o Vitória, no Barradão, pela 7ª rodada do Brasileirão. O Santos jogará na Vila Belmiro contra o Atlético-MG, no próximo domingo.

Nota: Publicada também no site FutNet.

Read Full Post »

– O São Paulo está com sérios problemas no setor defensivo. Não que os jogadores estejam em má fase, mas o problema principal são as contusões. Rodrigo está fora por um bom tempo. Aislan se machucou e ainda segue em tratamento. Renato Silva e André Dias também estiveram no departamento médico nos últimos dias e acabaram de retornar. O único que não sofreu lesão foi Miranda. Porém, o zagueiro foi convocado para a Seleção Brasileira e desfalcará o Tricolor nos próximos 20 dias. A saída da diretoria são paulina foi contratar um novo zagueiro. O São Paulo confirmou na noite desta segunda-feira o acordo com Jean, que estava na Ponte Preta. Com 28 anos, o jogador se destacou no último Campeonato Paulista por ser acusado pela diretoria da Portuguesa de ter contribuído para a classificação do Santos na última rodada. A negociação rendeu R$70 mil aos cofres da Macaca.

– Mais uma vez o Corinthians esteve em pauta no STJD. Depois de Cristian, Dentinho e Ronaldo, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva julgou e absolveu o clube nesta segunda-feira. O foco do julgamento foi a invasão de campo de um torcedor corintiano no jogo das quartas-de-final contra o Fluminense, no Maracanã. Caso fosse punido, o Timão poderia perder o mando de campo de um a dez jogos e teria que arcar com uma multa estipulada em até R$200 mil.

– Depois de perder Ramires para a seleção e possivelmente Wagner e Thiago Ribeiro, ambos contundidos, para o confronto do próximo dia 17 pela Taça Libertadores da América, o Cruzeiro conheceu mais um desfalque para a decisão. O experiente lateral esquerdo Athirson sofreu uma lesão no ligamento colateral medial do joelho esquerdo e desfalcará a equipe Celeste por pelo menos 30 dias. Mais problemas para o técnico Adilson Batista.

– A Portuguesa também sofre com as lesões de seus atletas. O atacante Christian, um dos mais importantes jogadores do elenco, sofreu uma lesão no menisco medial do joelho direito no jogo contra o Bahia, válido pela série B do Campeonato Brasileiro e será operado amanhã em São Paulo. Mesmo não sendo uma lesão tão grave, o experiente jogador ficará fora por pelo menos um mês. A boa notícia é que o meia Edno, que passou por uma cirurgia no joelho esquerdo, já começou a fisioterapia e possivelmente voltará ao time no final de junho.

– O Flamengo parece estar nadando em dinheiro. Depois de repatriar Adriano, contratar o velho Petkovic e demonstrar que pretende renovar o empréstimo de Ibson, a diretoria rubro-negra quer mais reforços. Hoje, o vice-presidente de futebol do clube, Kleber Leite, confirmou interesse nos meias Valdívia, do Al Ain, dos Emirados Árabes e Morais, atualmente jogador do Corinthians. Por enquanto não passa de especulação, mas de qualquer forma, caso esses negócios se confirmem, o Flamengo precisará desembolsar altos valores para contar com os atletas.

– Nelsinho Baptista deixou o Sport no último final de semana e abriu espaço para treinadores ‘desempregados’. Os nomes mais cotados para assumir o comando do Leão da Ilha são os polêmicos Renato Gaúcho e Emerson Leão. Possivelmente a definição aconteça já nesta terça-feira, já que representantes do Sport se reunirão com os dois técnicos na capital pernambucana.

– A onda de repatriar medalhões das equipes brasileiras pode ter mais um capítulo. O nome da vez é do veterano Denílson. Depois de ter uma passagem discreta pelo Palmeiras e jogar pelo Itumbiara-GO no primeiro semestre, o Botafogo pode ser o próximo destino do pentacampeão mundial. A informação foi confirmada pelo vice-presidente de futebol, André Silva, que corre atrás de reforços para o Glorioso.

– O Palmeiras continua atrás do lateral direito Figueroa, do Colo Colo. O jogador se destacou nos confrontos contra o Verdão na primeira fase da Libertadores e o técnico Vanderlei Luxemburgo sugeriu a contratação, já que a equipe está carente nesta posição. Fabinho Capixaba não agrada o treinador e muito menos a torcida e está próximo de deixar o Palmeiras. O diretor de futebol do clube, Genaro Marino, confirmou que a vinda do chileno será definida até o final do mês.

Read Full Post »

Clube de Regatas do Flamengo: Campeão Carioca 2009

O torcedor rubro-negro é acostumado a decisões e títulos. É ainda mais acostumado aos títulos estaduais. Hoje, pela 31ª vez na história, o Flamengo conquistou o Campeonato Carioca e agora, é o maior campeão do Rio de Janeiro, superando o Fluminense, que tem 30 conquistas.

Assim como nos dois últimos anos, o Flamengo encontrou o rival Botafogo na decisão do estadual. E assim como em 2007 e 2008, o time da Gávea levou a melhor e se tornou tricampeão carioca. Com o Maracanã lotado (84.027 torcedores), os rubro-negros saíram na frente do Glorioso. Kléberson fez dois gols, um aos 19 e outro aos 38 minutos do primeiro tempo.

Parecia que o Botafogo estava entregue. Mas o lateral esquerdo Juan tocou a mão na bola dentro da área e o árbitro Péricles Cortez marcou o pênalti. O ‘pantera’ Victor Simões, revelado na Gávea, cobrou bem o pênalti, mas o goleiro Bruno fez grande defesa, enlouquecendo a maioria dos torcedores no Maracanã. Seria o fim da decisão e a confirmação do título rubro-negro? Não, ainda não.

O Botafogo ressurgiu das cinzas e em dois minutos mudou a partida. O zagueiro Juninho cobrou falta aos 16 minutos da etapa complementar e diminuiu o marcador. Na sequência, o botafoguense Túlio Souza empatou o jogo. Parecia que os ‘deuses do futebol’ não deixariam o Botafogo ser vice pela terceira vez seguida e passariam esse desprazer ao técnico Cuca, agora no Flamengo, mas vice com o Glorioso nos últimos dois estaduais.

Como a primeira partida terminou empatada por 2X2, o resultado de hoje levou a decisão à disputa de pênaltis. O clima de agonia tomou conta das duas torcidas. Os flamenguistas imaginavam como seria perder a chance de pela quinta vez na história conquistar o tricampeonato carioca com um jogo praticamente ganho. Os botafoguenses, ainda extasiados pela rápida recuperação, não queriam nem pensar em serem derrotados nos pênaltis de novo, assim como em 2007. Mas foi isso que aconteceu.

Como em 2007, o goleiro Bruno foi decisivo, defendeu as cobranças de Juninho e Leandro Guerreiro e garantiu o título para o Flamengo. A disputa terminou 4X2. Kléberson, Juan, Airton e Leonardo Moura fizeram para o time da Gávea. Léo Silva e Gabriel descontaram para a equipe de General Severiano.

O Flamengo manteve sua hegemonia no cenário estadual e com o título de hoje, confirmou a sexta conquista na década (00, 01, 04, 07, 08 e 09). Parabéns ao Mengão e à maior torcida do Brasil, que está festejando muito a conquista por todo o país.

Read Full Post »