Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Copa do Mundo de 2014’

Por: Erik Rodrigues*

Logo após a escolha do Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014, o país começou a pensar nos estádios que sediarão os jogos da competição. Naturalmente, o Maracanã foi indicado como palco da grande final, assim como ocorreu em 1950. E a partida de abertura, na teoria, ficou com a cidade de São Paulo.

Desde então, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, tem se mostrado contra o jogo inicial no estádio do São Paulo Futebol Clube, o Morumbi. Apesar de ser comedido publicamente, informações de bastidores contam que o dirigente trabalha pela construção de uma nova arena na capital paulista. Há duas explicações para isso: a primeira é unicamente política, pois o São Paulo tem um histórico de oposição a Teixeira; já a segunda é econômica, pois para construir um estádio é necessário mais dinheiro para os amigos empreiteiros do cartola do que uma reforma em algo já erguido.

Apesar de tudo isso, Juvenal Juvêncio, presidente do clube do Morumbi, vem trabalhando arduamente para que a abertura da Copa 2014 seja no Cícero Pompeu de Toledo. E concordo com seus motivos, pois uma reforma para deixar o estádio nos padrões da FIFA seria muito benéfica para o clube.

No entanto, o preço para conseguir isso é muito alto. Passa pela bajulação total e irrestrita ao Sr. Teixeira, que hoje tem status de “Rei do Brasil”, sendo cortejado por políticos e empresários de todo o país, até a submissão total às exigências da FIFA.

Se for para ter a abertura da Copa de 2014 nestas condições Juvenal, gostaria de te pedir para desistir da Copa. Como são-paulino, entendo que os benefícios para o patrimônio do clube seriam muito bons. Mas não gostaria de ver o presidente do meu time se envolvendo com este tipo de gente.

Deixe-os construírem outro estádio em São Paulo, para depois ficar mais um elefante branco como o Engenhão. Deixe que as obras atrasem e a abertura fique ameaçada. Deixe que sejam liberados recursos públicos aos milhões, como aconteceu no Pan. Mas não se iguale a este tipo de gente, que fica com ameaças veladas e que está acostumada a ser irresponsável com o futebol brasileiro.

* Erik Rodrigues é jornalista e são-paulino.

Read Full Post »

O Brasil é o país do futebol. É também o país de muitos esportes. O povo é apaixonado por esporte, essa é a nossa cultura. Mas isso não nos tapa os olhos para tantas coisas erradas que por aqui acontecem. A política é uma grande vergonha nacional. Políticos mandam e desmandam, fazem de tudo para se beneficiarem, não pensam em um só instante nos quase 200 milhões de habitantes que por aqui vivem. Vivemos no país da desigualdade, da impunidade, da roubalheira e da mentira. Infelizmente, infelizmente!

O esporte, diga-se de passagem, é uma das poucas coisas que fazem muitos brasileiros esquecerem os problemas diários e constantes. Muita gente gostou quando o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Entretanto, grande parte do povo também foi contra e acredita que existem tantas outras prioridades. Mesmo acreditando que precisamos mudar radicalmente nossa saúde, nossa educação, nosso transporte e, principalmente, nosso governo, vi com bons olhos a escolha do Brasil para sediar as duas maiores competições do esporte.

Essa visão foi criada com base na construção de rodovias melhores, de um transporte público decente, na melhoria dos nossos hospitais e também na criação de inúmeros novos empregos. Mas, pouco a pouco, minha tese vai perdendo força e começo a pender para o lado da população que não apóia nosso país como sede.

Somente em 2010, os brasileiros de todos os cantos sofreram demais com as chuvas. Em São Paulo, no Sul, na Bahia e em Sergipe e a pior das situações aconteceu no Rio de Janeiro. Mais de 200 mortos, morros desapareceram, famílias inteiras morreram e os que não foram carregados pela lama, não têm a mínima perspectiva daqui pra frente. Uma tristeza sem fim. Uma dor no coração de todos nós, compatriotas que amam nossa nação.

Ah, vale lembrar que a sede dos Jogos Olímpicos de 2016 será a ‘Cidade Maravilhosa’. As maravilhas naturais da capital fluminense são esquecidas, todos os dias, pelo tráfico, pelas milícias, pela violência descontrolada e, agora, também pela mãe natureza. Crescimento desordenado, misturado com a falta de estrutura e abandono das autoridades. Tudo isso foi visto e revisto por todos nós nos últimos dias.

Enquanto isso, governantes se preocupam com a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. É briga por qual estádio sediará os jogos, discussão irritante sobre coisas fúteis e ridículas. O povo sofre e os políticos nada fazem. Um absurdo, um abuso de autoridade. Infelizmente, somos submissos a eles.

Chega! Ainda há tempo para o Brasil não sediar nenhuma das competições esportivas. O povo precisa de mais atenção, de mais carinho, de mais estrutura, de uma vida melhor. Nem só de belezas naturais sobrevive uma nação.

Escrevi esse texto/desabafo através de um mini-documentário que assisti, feito pelo Rizoma (http://canalrizoma.blogspot.com), um grupo carioca formado por praticantes de esportes radicais que desafiam a rotina urbana. Veja o vídeo que eles produziram na semana passada, na cidade do Rio de Janeiro, em meio ao caos que a população viveu. Calamidade pública na cidade sede dos Jogos Olímpicos e onde será disputada a final da Copa do Mundo.

Rizoma: Enchente de ‘verdade’:

NOTA: Esse texto foi publicado no blog Jornalismo Esportivo: http://esportejornalismo.blogspot.com/2010/04/um-absurdo-chamado-brasil_4332.html

Read Full Post »