Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Chicão’

O sonho de conquistar a Copa Libertadores da América de 2010 acabou para o Corinthians. Depois de se planejar desde 2009 para alcançar o sonho no ano do centenário, o Timão venceu o Flamengo por 2 a 1, no Pacaembu, mas não foi suficiente para avançar na competição.

A partida teve dois tempos distintos. Na primeira etapa, o Corinthians mandou no jogo, se impôs e buscou o resultado. Mesmo não mostrando um futebol brilhante, os alvinegros foram eficientes e prenderam o Flamengo no campo de defesa. Isso era evidente, tanto que o Mengão chegou ao campo adversário apenas duas vezes na primeira etapa, ambas sem perigo.

O Timão precisava do resultado e com o apoio da torcida foi para cima. As primeiras tentativas corintianas pararam nas defesas do goleiro Bruno. Porém, aos 27 minutos, depois de muito pressionar, o gol saiu. Danilo cruzou a bola para a área, o zagueiro David tentou cortar e mandou a bola para a rede. O Pacaembu explodiu em festa. O resultado momentâneo levava a decisão para os pênaltis. Mas o Corinthians queria mais.

Roberto Carlos quase marcou o segundo em cobrança de falta, mas Bruno fez outra boa defesa. Se Jorge Henrique pouco produzia por um lado do campo, do outro Dentinho partia para cima com dribles insinuantes e, em uma dessas investidas, o jovem atacante cruzou para a área e a bola foi na cabeça de Ronaldo, que marcou o segundo tento alvinegro.  Era uma vitória merecida. Dois gols no primeiro tempo contra um Flamengo tímido e recuado. Faltavam apenas 45 minutos para o Corinthians conquistar o objetivo e seguir forte rumo ao título.

Mas o técnico Rogério Lourenço, sabedor da qualidade do time da Gávea, tratou de cobrá-los no intervalo e até promoveu uma alteração. Tirou Vinicius Pacheco e colocou Kleberson em campo. Os 15 minutos de descanso foram positivos para o Flamengo, pois o time voltou totalmente diferente para a segunda etapa. Saiu de trás e começou a se arriscar mais. Logo aos quatro minutos, Kleberson deu um precioso passe para Vagner Love marcar o gol rubro-negro. O gol fora de casa dava a classificação para os cariocas.

Alheio a vantagem obtida logo no começo, o Flamengo pôs a bola no chão e dominou o adversário. Com uma postura completamente diferente da primeira etapa, o Mengão melhorou seu setor defensivo e usava seus rápidos laterais para puxar os contragolpes. Vagner Love era o melhor jogador da partida. Além de voltar para ajudar na marcação, o atacante conduzia a bola e cadenciava o jogo. O Corinthians sentiu o baque do gol.

Enquanto o Timão tentava se organizar novamente, o Flamengo chegava com perigo constantemente. Teve, ao menos, umas quatro chances para empatar o jogo e selar de vez a classificação. Kleberson perdeu gol incrível. Adriano fez o mesmo. O tempo foi passando e o Corinthians não conseguia levar perigo. Mano Menezes promoveu três alterações na segunda etapa. Sacou o apagado Jorge Henrique e deu lugar para Iarley que também pouco pegou na bola. Tirou o bom volante Elias, estranhamente, diga-se de passagem, e colocou Jucilei. A outra substituição foi a saída de Alessandro e a entrada do novato Paulinho. Tudo em vão. O Corinthians parecia não ter forças para retomar o controle do jogo.

Nos minutos finais a equipe alvinegra ensaiou uma pressão e partiu para o tudo ou nada. A única chance real aconteceu somente aos 47 minutos, quando Chicão cobrou com maestria uma falta e o goleiro Bruno fez uma defesa espetacular, evitando o gol e consolidando de vez a classificação flamenguista.

O jogo foi muito bom, teve bastante movimentação e luta das duas partes. O Corinthians venceu, mas quem se classificou foi o Flamengo. O primeiro colocado geral na primeira fase da Libertadores foi eliminado pelo último, coisas que acontecem no futebol. A torcida corintiana reconheceu o empenho do time e aplaudiu ao final do jogo. É óbvio que a eliminação precoce foi um grande baque, tendo em vista todo o projeto realizado pela diretoria, as contratações de peso e a grande esperança do torcedor. Mas o futebol é assim mesmo. O Flamengo foi melhor hoje e conseguiu a classificação. Não é o fim do mundo ser eliminado da competição sul-americana.

O Rubro Negro aguarda o confronto entre Universidad do Chile e Alianza Lima para conhecer o adversário das quartas-de-final. No jogo de ida, os chilenos venceram o duelo fora de casa por 1 a 0.

CRUZEIRO E ESTUDIANTES AVANÇAM
As duas equipes que disputaram o título da Libertadores no ano passado continuam firmes no torneio em 2010. O Cruzeiro foi até Montevidéu, não tomou conhecimento do Nacional e venceu por 3 a 0 com gols Thiago Ribeiro, Diego Renan e Gilberto. Com a vitória, os mineiros vão enfrentar o São Paulo nas quartas-de-final, repetindo o confronto do ano passado.

O Estudiantes, atual campeão, venceu o fraco San Luís por 3 a 1 e também carimbou vaga nas quartas-de-final. Os argentinos encaram na próxima fase o vencedor do confronto entre Internacional e Banfield. Os gols do jogo foram anotados por González e Benitez (2) para o Estudiantes, enquanto De La Torre descontou para os mexicanos.

Anúncios

Read Full Post »

Pessoal, primeiramente gostaria de agradecer aos comentários e ao apoio de sempre ao MFC. Aliás, preciso me explicar para vocês. Há 11 dias não atualizo o blog. O motivo por essa ausência é o meu TCC. Como a grande maioria sabe, estou no último ano da faculdade e a correria com o TCC aumentou muito nos últimos meses. Como tirei férias do trabalho por duas semanas, aproveitei para dar uma boa agilizada no trabalho e, por esse motivo, deixei o blog um pouco de lado. Peço desculpas aos meus assíduos leitores e peço um pouco de compreensão, já que ainda ficarei um pouco distante nas próximas semanas. Acredito e sei da importância do blog e dessa interação com vocês, mas no momento estou totalmente focado em meu trabalho de conclusão de curso. O meu futuro também depende desse trabalho. De qualquer forma, tentarei não ficar tão distante como nessa última semana, farei o possível. Afinal, já estava com saudades de escrever aqui.

O futebol realmente é mágico. Quando escrevi meu último post aqui, o planeta bola estava de um jeito e hoje, apenas 11 dias depois, muitas coisas já mudaram. No Brasil, Muricy Ramalho foi contratado pelo Palmeiras e depois da longa novela, o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo novamente deu a ‘notícia’ pelo Twitter. Vanderlei Luxemburgo foi pela quarta vez para o Santos e, para variar, já criou polêmica. Como ele gosta de aparecer né? Precisava ter agido daquela maneira com o Roberto Brum? Enquanto isso, o contestado Tite continua no cargo no Internacional. O polêmico Leão já saiu do Sport e até o discreto Sérgio Guedes deixou o Santo André. Cuca, depois de colocar a cara a tapas e ser humilhado pela diretoria rubro-negra, enfim, pegou seu boné e saiu do Flamengo.

Jogadores também foram notícia nos últimos dias. O Corinthians iniciou um desmanche que ainda não tem prazo para terminar. André Santos e Cristian foram para o Fenerbahçe. Douglas foi vendido para o desconhecido Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos. A maior promessa corintiana da década saiu pelas portas do fundo. Lulinha foi emprestado por dez meses para o Estoril, de Portugal. Otacílio Neto foi para o Barueri. Wellington Saci para o Atlético-MG. Felipe, Elias e Chicão ainda podem sair. No meu último post aqui, o Corinthians estava na melhor das fases, mas o desmanche, a contusão de Ronaldo – ficará fora por pelo menos um mês – e, principalmente, a derrota para o Palmeiras, já mudaram o clima no Parque São Jorge.

Enquanto isso, Obina curte a boa fase. Chegou como piada no Palmeiras e bastaram os três gols contra o rival, para o atacante cair nas graças da torcida. Até quando esse amor durará? O Palmeiras subiu muito na tabela e já divide a liderança com o Galo. Será que Muricy conseguirá seu tetracampeonato nacional? Há 11 dias, o São Paulo vivia seu pior momento nos últimos seis ou sete anos. A crise instaurada depois da eliminação na Libertadores, aliada a demissão do treinador e ao péssimo futebol, deixavam os torcedores desacreditados. Com o dinamismo do futebol, isso já mudou um pouco. E agora, os mesmo torcedores, até em título já falam. Como pode acontecer isso? Ah, o Santos repatriou o volante Émerson, o mesmo que disputou duas Copas do Mundo pelo Brasil, em 1998 e 2006. Boa contratação. O Guarani perdeu a invencibilidade na série B do Brasileirão e vêm de três resultados ruins.

Fora do Estado de São Paulo, as coisas mudaram muito também. O mágico time do Internacional de dois meses atrás, já evaporou. Além de estar caindo na tabela, Tite parece ter perdido o comando do grupo. D’Alessandro e Taison viraram reservas. O primeiro, inclusive, está afastado por deficiência na parte física. Nilmar foi para o Villareal. O Atlético-MG perdeu em casa para o Goiás e já começaram as incertezas sobre a qualidade do elenco e, principalmente, do técnico Celso Roth. O Cruzeiro está tentando se reerguer depois da Libertadores e para isso contratou o lateral esquerdo Gilberto e o equatoriano Guerrón. O Vitória continua somando seus pontinhos e se mantém no G4. Fluminense, Náutico, Sport, Botafogo e Atlético-PR estão ainda mais ameaçados e demonstram não terem forças para saírem da parte debaixo da tabela.

No exterior, os milhões de euros continuam passando por cima da crise financeira. Samuel Eto’o deixou o Barcelona e foi para a Inter de Milão. O sueco Ibrahimovic fez o caminho inverso. Keirrison foi emprestado para o Benfica e deverá jogar a temporada inteira no futebol português. Os times europeus, diferente dos brasileiros, continuam fazendo suas pré-temporadas. Mesmo que os torneios disputados não valham nada, o treinamento é importante.

Resumindo, citei apenas as coisas que lembrei no momento, mas vocês já viram como o futebol é dinâmico né? Em pouco mais de uma semana, tudo pode mudar. Jogadores e treinadores trocam de clubes como trocam de roupas. O termo ‘crise’ no futebol não é uma coisa para ser levada tão a sério também. Hoje um time está em crise. Amanhã não está mais e vice-versa. Como é fantástico esse Planeta Bola. Mesmo com tantas coisas erradas, consigo me apaixonar cada vez mais pelo esporte.

Um grande abraço a todos!
Continuem sempre acessando o MFC.
Até logo!

Read Full Post »

Corinthians é tricampeão da Copa do Brasil

No primeiro dia do segundo semestre de 2009, o Corinthians já alcançou seu principal objetivo na temporada. Depois do título invicto no Campeonato Paulista, o Timão é o campeão da Copa do Brasil 2009 e está garantido na Taça Libertadores da América de 2010, ano do centenário alvinegro.

Mais uma vez o Corinthians demonstrou o tamanho de sua grandeza e de sua história. Sem se intimidar com a pressão do caldeirão colorado com mais de 50 mil torcedores, o alvinegro fez o que o Internacional mais temia. Antes dos 30 minutos do primeiro tempo já vencia o jogo por 2X0, em pleno Beira-Rio. Mesmo placar feito na partida de ida, no Pacaembu. O Colorado ainda conseguiu empatar o jogo, mas não foi suficiente. O Corinthians merecidamente conquistou mais uma vez o título da Copa do Brasil, assim como em 1995 e 2002.

A boa vantagem conquistada no primeiro jogo deu segurança para Mano Menezes e seus comandados nos últimos dias. O Inter não se abalou com a derrota em São Paulo e depositou todas as suas fichas na força da torcida colorada e, principalmente, nos retornos de seus principais jogadores (Nilmar e D’Alessandro). Mas como já havia dito e é evidente, o Corinthians conseguiu fazer uma coisa difícil no futebol atual. Montou um grupo e não apenas um time. A força do conjunto alvinegro superou as estrelas e o ótimo time gaúcho.

O Inter começou o jogo pressionando o Corinthians. A posse de bola era totalmente colorada, mas a equipe gaúcha não conseguiu abrir o placar nos minutos iniciais como desejava. E o grande diferencial do Timão nessa edição da Copa do Brasil foi fazer gols fora de casa e isso aconteceu novamente. Aos 20 minutos, o selecionável André Santos cruzou na área e Jorge Henrique subiu mais que o zagueiro Danny Morais para abrir o placar e calar o Gigante da Beira-Rio. Era tudo que Mano Menezes queria. Era tudo que Tite não queria.

E oito minutos depois o Corinthians fez o gol do título. André Santos avançou pela esquerda, saiu na cara de Lauro e encheu o pé para ampliar o placar. A segunda maior torcida do Brasil se emocionou em todos os cantos do país. O Inter desmoronou. A torcida sentiu o baque. A missão de fazer cinco gols e não tomar nenhum era praticamente impossível. E realmente foi. Mas o Colorado não deixou de lutar. Conseguiu se encontrar ainda no primeiro tempo e esbarrou novamente no paredão chamado Felipe. Aos 33 minutos, Nilmar teve a principal chance do Inter no primeiro tempo, mas Felipe operou outro milagre.

Para o segundo tempo o Inter voltou modificado. Alecsandro entrou no lugar de Glaydson e expressou o sentimento da torcida colorada. Disse que ao menos tentaria empatar o jogo, já que o título era improvável. E Alecsandro cumpriu com a sua palavra. Aos 25 e aos 29 minutos o atacante marcou dois gols, empatou o jogo e deu novo ânimo em busca de uma histórica vitória. Isso não aconteceu, mas o Inter perdeu de cabeça erguida e lutou até o final. Mas do outro lado o adversário fez a sua parte muito bem feita e impediu a reação colorada. Os tumultos, expulsões e os  muitos cartões amarelos que aconteceram na partida não valem ser ressaltados. Isso é uma coisa normal em uma final de campeonato entre duas equipes altamente capacitadas. A única coisa que vale lembrar é que não houve violência e o Inter não perdeu a cabeça. Para o bem do futebol e do espetáculo.

Felipe, Alessandro, Chicão, William, André Santos, Cristian, Elias, Douglas, Jorge Henrique, Ronaldo e Dentinho formaram um grande time e fizeram do Corinthians um grande campeão. Tudo sob a batuta do técnico Mano Menezes. Felipe, que foi contestado no pior momento da história corintiana, foi o jogador mais importante dessa conquista. Suas defesas e seus milagres salvaram o Timão em várias partidas e deram a segurança necessária para a equipe conseguir as vitórias. André Santos e Ronaldo também se destacaram um pouco mais que os outros.

A vaga na Libertadores no ano do centenário era o grande desejo de todos os corintianos. E agora o planejamento será totalmente focado na competição sul-americana. Andrés Sanches terá muito trabalho para segurar seus jogadores, em especial o goleiro Felipe, o lateral esquerdo André Santos, os volantes Elias e Cristian e o atacante Dentinho. Os clubes europeus já estão de olho nos campeões da Copa do Brasil.

O Corinthians merece ser parabenizado. Pela conquista, pelos jogadores, pelo grupo e pelo retorno fulminante à elite do futebol nacional. O Timão realmente é fenomenal em 2009. E como a torcida entoa nas arquibancadas, definitivamente ‘o Coringão voltou’.

E você torcedor, concorda que o Corinthians é o melhor time do Brasil no momento? Quem foi o melhor jogador na campanha? Mano Menezes realmente teve um papel importante na conquista? Opine! 

Read Full Post »

Corinthians

Foi um jogo digno de uma final. Os 37.438 torcedores que estiveram esta noite no Pacaembu viram o melhor jogo do ano no futebol brasileiro. O Corinthians venceu o Internacional por 2X0 na primeira partida decisiva da Copa do Brasil 2009 e está com uma mão na taça.

Os alvinegros entraram em campo sem André Santos, que está servindo a seleção brasileira e Mano Menezes optou por colocar o jovem Marcelo Oliveira na lateral esquerda. Já o clube gaúcho jogou mais fragilizado, sem suas duas principais estrelas – D’Alessandro e Nilmar – e os titulares Bolívar e Kléber. Para quem pensou que o jogo seria mais fraco pelos desfalques das duas equipes, muito se enganou. O Timão venceu merecidamente, mas o Inter provou que realmente é uma grande equipe. Mesmo com os ‘reservas’ Andrezinho e Alecsandro, o Colorado jogou muito bem e poderia até ter vencido o Corinthians, não fosse mais uma bela atuação do goleiro Felipe.

O Corinthians aproveitou a pressão a favor vinda das arquibancadas e logo no primeiro minuto mostrou seu cartão de visitas. Douglas cobrou falta para a área, Lauro saiu errado e Chicão quase abriu o placar, mas Marcelo Cordeiro evitou o gol. Mas após o erro, Lauro se recuperou e fez grande defesa aos 22 minutos, em chute de Ronaldo. Até esse momento Guiñazu, pelo lado Colorado e Elias e Jorge Henrique, pelo Timão, eram os destaques da partida. É impressionante a vitalidade, a força, a vontade e a garra de Guiñazu. O argentino é um leão no meio campo do Inter, mas nem ele conseguiu evitar o gol corintiano. Aos 26 minutos o reserva Marcelo Oliveira fez grande jogada pela esquerda, driblou Danilo Silva, levantou a cabeça e deixou Jorge Henrique na cara do gol. O atacante só completou para as redes e fez o Pacaembu explodir de emoção. 

O primeiro tempo acabou e evidenciou algumas coisas. Além de estar com um grupo muito forte, com jogadores sincronizados na defesa, no meio e no ataque, o Corinthians realmente é um adversário indigesto dentro do Pacaembu. A Fiel Torcida empurra o time e os jogadores sentem o clima. O Inter foi uma equipe guerreira e pouco antes de tomar o gol, por pouco não abriu o placar. Após sofrer o gol, continuou atuando da mesma forma, partindo para cima, buscando o gol como todo grande time deveria fazer. Não foi medroso e não se intimidou.

A segunda etapa prometia mais emoções e não deixou a desejar. Os dois times voltaram com as mesmas equipes. O Corinthians voltou com o intuito de aumentar o placar e o Inter buscando ao menos o empate. Mas logo aos oito minutos as coisas ficaram melhores ainda para os alvinegros. Ele, sempre ele. Gordo e visivelmente fora de forma, Ronaldo é um gênio da bola. Pouco tinha aparecido na partida até então, mas bastou Elias fazer um ótimo lançamento em profundidade pelo lado esquerdo da defesa gaúcha para o Fenômeno disparar em velocidade, dar um drible seco no zagueiro Índio e chutar no canto esquerdo de Lauro. 2X0 no placar. Gol de Ronaldo. Festa no Pacaembu.

O gol certamente desestabilizaria o Inter, mas mais uma vez dando mostras de ser uma ótima equipe, não foi isso que aconteceu. O Colorado cresceu no jogo e foi com tudo pra cima. Daí até o final da partida só deu Inter. Aos 11, Taison levou perigo, mas se desequilibrou na hora H e facilitou as coisas para Felipe. Cinco minutos depois foi a vez de Andrezinho cobrar uma falta e Felipe fazer bela defesa. O Corinthians amenizou seu ímpeto e, dessa forma, chamava o Inter para cima. A principal chance de gol colorada saiu novamente dos pés de Taison. O jovem atacante puxou um contra-ataque com muita velocidade, tabelou com Andrezinho e ficou cara a cara com Felipe. Em ótima fase, o goleiro corintiano fez mais uma importante defesa, mesmo caído. Aos 31 foi a vez de Guiñazu entrar na área e bater cruzado para Felipe espalmar para escanteio. 

Ainda deu tempo de os dois técnicos cometerem seus únicos erros na partida. Tite sacou Alecsandro, que estava sumido em campo e colocou o estranho Leandrão. Não deu outra. No primeiro lance o atacante deu uma entrada criminosa por trás em Cristian e poderia ser expulso, mas o juiz Heber Roberto Lopes o puniu apenas com o cartão amarelo. Na segunda vez que a bola chegou perto de Leandrão, ele deu outra entrada ridícula, digna de quem não conhece nada de futebol e, enfim, foi expulso. Dois lances e dois carrinhos desleais em pouco mais de 10 minutos de ‘apresentação’ de Leandrão. O segundo equívoco foi corintiano. Mano Menezes colocou Souza no lugar de Jorge Henrique. No primeiro segundo em campo, mesmo sem encostar na bola, o atacante conseguiu tomar um cartão amarelo que o deixará fora da decisão no Beira-Rio. A ausência dele é mais reforço do que desfalque para o Timão.

O segundo round dessa grande final acontecerá daqui 15 dias. No dia 1º de julho, o Inter receberá o Corinthians no Beira-Rio e precisará devolver o mesmo placar para levar a decisão para os pênaltis ou ganhar por uma diferença de três gols para conquistar seu segundo título na Copa do Brasil. A situação do Corinthians é confortável, mas não será nada fácil. Todo cuidado é pouco. Além dos reforços de D’Alessandro e Nilmar, a torcida colorada não deixa a desejar e promove uma pressão e uma festa semelhante às ocorridas no Pacaembu. O Timão está com uma mão na taça e, se não vacilar, erguerá seu terceiro troféu da competição nacional. Uma coisa é certa para o próximo jogo. Com certeza veremos outra grande partida, dessas que deixam qualquer amante do futebol emocionado.  

Read Full Post »

Felipe

Não seria fácil para nenhuma das quatro equipes. E, de fato, não foi. Mas como era previsto desde o começo da Copa do Brasil 2009, Corinthians e Internacional lutaram muito e no sufoco garantiram vaga para decidir o título. O frio intenso em São Paulo (7°C) e Curitiba (2°C) na noite desta quarta-feira, pouco atrapalhou as torcidas do Corinthians e Coritiba. Fazendo muito bem o papel de mandantes, as duas torcidas empurraram suas equipes durante os 90 minutos. Corintianos saíram empolgados com o empate em 0X0 com Vasco e a possibilidade de conquistar o terceiro título da Copa do Brasil. No Couto Pereira, a minoria fez festa. Os pouco mais de três mil colorados, mesmo ofuscados pela pressão da torcida adversária, lutaram junto com o Inter e comemoraram muito a vaga na decisão, mesmo com a derrota por 1X0.

Não tirando os méritos dos classificados que mereceram chegar à final pelos resultados obtidos nas partidas de ida, mas nas partidas de hoje, Vasco e Coritiba foram melhores e até mereceram sorte maior. Mas alvinegros e colorados foram mais eficientes, seguraram os ímpetos adversários, souberam se defender com perfeição na maior parte do tempo e agora se enfrentarão num grande duelo em busca do título e, principalmente, da vaga na Taça Libertadores da América de 2010.

Durante a semana o técnico Mano Menezes e seus comandados afirmaram que não jogariam pelo empate e partiriam para cima do Vasco em busca da vitória. Porém, na prática, não foi isso que se viu. Muito recuado, o Corinthians chamava o adversário para cima e preocupava a torcida. Quando saía de trás, os inúmeros erros de passes não faziam a bola chegar redonda para Ronaldo, a maior aposta alvinegra. A chance mais clara de gol do primeiro tempo foi do Vasco. Aos 23 minutos, após uma cobrança de escanteio, o atacante Élton subiu mais que a zaga do Timão e cabeceou forte, mas Felipe operou um milagre e salvou o gol vascaíno e, possivelmente, a classificação corintiana.

 D'Alessandro

Enquanto isso, o frio e calculista time do Internacional aguentava uma enorme pressão do Coritiba. Os quatro principais lances da primeira etapa foram da equipe da casa. Aos dois minutos, Marcelinho Paraíba soltou uma bomba e Lauro fez boa defesa. Onze minutos depois, o lateral direito Márcio Gabriel driblou o adversário e chutou forte, mas a bola foi para fora. Aos 16, Lauro salvou o Colorado de novo, com uma importante defesa no chute de Carlinhos Paraíba. Depois foi a vez do zagueiro Felipe levar perigo à meta do Inter. Após cobrança de escanteio de Marcelinho, Lauro interceptou a bola, que caiu no pé de Felipe, mas o defensor não conseguiu abrir o placar.

O Vasco voltou ainda melhor no segundo tempo, mas não conseguia chances reais de gol no Pacaembu. Com mais posse de bola e atuando no campo corintiano na maior parte do tempo, o Vasco se mostrava disposto a calar a Fiel. O Corinthians se defendia como podia e a dupla de zaga do Timão interceptava todas as investidas vascaínas. Em uma dessas investidas, Chicão puxou a camisa de Élton e derrubou o atacante, mas o juiz Leonardo Gaciba não marcou o pênalti, que, com o recurso da TV, realmente aconteceu.

Mas o Corinthians, enfim, conseguiu sair do seu campo de defesa depois dos 25 minutos e teve três chances para matar o jogo. Primeiro Douglas bateu forte e o goleiro Fernando Prass fez boa defesa. Depois, Boquita arriscou de fora da área e levou perigo. E por último, Ronaldo recebeu lançamento do jeito que gosta, avançou com a bola, driblou o goleiro, mas perdeu o pique e deu tempo de Fernando Prass se recuperar e evitar o gol. Sem tática nenhuma e na base da raça, o Vasco tentava fazer o gol de qualquer jeito. Edgar ainda teve a derradeira chance, mas Felipe, de novo, fez milagre e aliviou o perigo. Final de jogo no Pacaembu e o Corinthians está na final.

No Couto Pereira a pressão Coxa Branca continuou no segundo tempo. Logo no primeiro minuto, o zagueiro Pereira subiu no primeiro pau e por pouco não fez o gol. Mas Ariel fez a torcida alviverde explodir aos 30 minutos. Após assistência de Marcelinho Paraíba, o atacante argentino dominou, girou e de esquerda fez um belo gol. Faltava apenas um gol para a classificação do Coritiba, mas mesmo com a expulsão do colorado Bolívar, o gol não saiu e o Inter enfrentará o Corinthians na final da Copa do Brasil.

Como o MFC havia previsto, a decisão será entre Inter e Corinthians, dias 17 de junho e 1º de julho. Os mandos de campo das duas decisões serão definidos amanhã pela CBF. Sem dúvidas serão dois grandes espetáculos de duas equipes muito fortes e que, além de terem um forte poderio ofensivo, demonstraram mais uma vez que sabem se defender e aguentar a pressão. O título está em aberto e quem quer que seja o campeão, será merecido. Dessa vez ficarei em cima do muro e não apostarei em ninguém. Gaúchos e paulistas tem totais condições de levantarem o troféu.

E para você torcedor, quem será o campeão da Copa do Brasil 2009? Faça sua aposta!

Read Full Post »

Jorge Henrique

O Corinthians não se abalou com a pressão da torcida do Fluminense e precisou de apenas 16 minutos para garantir a classificação para a semifinal da Copa do Brasil. Com o Maracanã lotado, o Timão começou arrasador com gols de Chicão e Jorge Henrique, tomou um susto no segundo tempo, mas o empate em 2X2 deu a vaga aos comandados do técnico Mano Menezes.

Depois de perder por 1X0 no Pacaembu na partida de ida na semana passada, o Fluminense não desanimou e acreditou que a torcida seria decisiva no jogo de volta. Os torcedores não decepcionaram, lotaram o estádio e cumpriram a promessa de fazer uma bonita festa para empurrar o Tricolor Carioca.

Mas os cariocas só esqueceram de avisar o zagueiro Chicão e o atacante Jorge Henrique. No primeiro lance da partida, Chicão bateu uma falta com muita categoria a abriu o placar logo aos seis minutos. Dez minutos depois, Dentinho avançou pela direita e cruzou para a área. O atacante Jorge Henrique chegou primeiro que o goleiro Fernando Henrique e de joelho, ampliou a vantagem alvinegra.

O Maracanã se calou. As esperanças foram por água abaixo e só um milagre daria a classificação para o Fluminense. Com a enorme vantagem, o Corinthians recuou e o Tricolor não soube aproveitar. A equipe de Carlos Alberto Parreira não acertava o passe final e não levava perigo à meta de Felipe. De resto, o único lance expressivo do primeiro tempo foi uma maldosa entrada de Fred no zagueiro Willian. Digna de expulsão, mas não no conceito de Carlos Eugênio Simon que deu apenas o cartão amarelo para o atacante.

O Fluminense precisava fazer alguma coisa para mudar o panorama da partida. Parreira percebeu que essa era a única chance e ousou. Colocou em campo os jovens Alan e Dieguinho e os dois mudaram o jogo. Aos 16 minutos da etapa complementar, o atacante Alan chutou a bola no gol e Felipe defendeu parcialmente. Dois minutos depois as mudanças surtiram efeito. Conca chutou de fora da área e o goleiro corintiano rebateu de novo. Alan pegou o rebote e de cabeça diminuiu o placar.

Mais cinco minutos se passaram e de novo Conca fez ótima jogada, lançou para Thiago Neves e o camisa 10 empatou a partida, inflamando o Maracanã. O Fluminense tinha pouco mais de 20 minutos para fazer mais dois gols e o Corinthians para se defender. O gol baqueou o time de Mano Menezes que quase tomou o terceiro aos 27 minutos, após boa cabeçada de Fred e ótima defesa de Felipe.

Daí para frente, o Timão conseguiu conter o ímpeto dos cariocas e encaixou os contra-ataques novamente. Em um desses lances, Ronaldo quase fez o gol corintiano, mas Fernando Henrique defendeu com o pé. O Fluminense bem que tentou, mostrou valentia e lutou muito na segunda etapa, mas a vaga ficou com o time paulista. Nos dois confrontos, o Corinthians foi melhor no geral e mereceu a classificação. O próximo adversário é o Vasco e o Corinthians está perto de conquistar o tricampeonato da Copa do Brasil.

Read Full Post »

Federação Paulista de Futebol

Na noite dessa segunda-feira, a Federação Paulista de Futebol promoveu a festa de encerramento do Campeonato Paulista de 2009 numa casa noturna de São Paulo. Como era de se esperar, o campeão Corinthians dominou a lista de premiações com sete atletas entre os 11 melhores da competição.

A eleição é feita pelo jornal “Diário de São Paulo”, que em cada rodada do campeonato, elegeu os 11 melhores e hoje divulgou os vencedores.

Ronaldo foi eleito o craque do Paulistão-09. Neymar venceu a categoria revelação. O goleiro Fábio, da Portuguesa, foi o menos vazado, com média de 0,76 gols sofridos por partida. O jovem atacante Danilo Neco, da Ponte Preta, foi eleito o destaque do interior. Já o volante Jean, do São Paulo, venceu o prêmio de jogador mais disciplinado do Campeonato Paulista. O troféu de artilheiro da competição ficou com o atacante Pedrão, do Barueri, autor de 16 gols nessa edição do torneio. 

A seleção dos melhores jogadores do torneio foi dominada pelos quatro grandes clubes do Estado. O Corinthians, campeão invicto do Paulistão-09, teve sete atletas na lista e mais o técnico Mano Menezes. O vice-campeão Santos teve um atleta premiado. O Palmeiras teve um representante na eleição e o São Paulo teve dois jogadores indicados.

Veja a lista da Seleção do Paulistão-09:

– Goleiro: Felipe (Corinthians)
– Lateral direito: Alessandro (Corinthians)
– Zagueiros: André Dias (São Paulo) e Chicão (Corinthians)
– Lateral esquerdo: André Santos (Corinthians)
– Volantes: Cristian e Elias (Corinthians)
– Meio-campistas: Mádson (Santos) e Diego Souza (Palmeiras)
– Atacantes: Ronaldo (Corinthians) e Washington (São Paulo)
– Técnico: Mano Menezes (Corinthians)

Read Full Post »

Older Posts »