Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Brasileirão-09’

Ricardo Gomes é treinador do São Paulo desde o dia 20 de junho de 2009. Chegou ao Tricolor para apagar um incêndio e, mesmo contestado, vem seguindo no cargo. Porém, após uma série de três resultados negativos, o “francês”, como é conhecido, se tornou um dilema para a diretoria do São Paulo. Às vésperas da semifinal da Copa Libertadores da América, que começa a ser decidida a partir da próxima quarta-feira, os cardeais são-paulinos não sabem o que fazer. Muitos querem a cabeça do técnico, outros defendem a permanência por falta de tempo hábil para outro comandante assumir o posto e, o presidente Juvenal Juvêncio, aparentemente faz vistas grossas e não se pronuncia.

O ex-zagueiro do Fluminense e da Seleção Brasileira assumiu o cargo em 2009 num momento caótico, após o Tricolor ter sido eliminado pelo Cruzeiro na Copa Libertadores da América e a diretoria ter rompido o contrato com Muricy Ramalho. Ricardo Gomes pegou a equipe do Morumbi lá embaixo na tabela do Brasileirão-09 e, por muito pouco, não conseguiu o heptacampeonato nacional. Fez uma boa campanha, é verdade, mas desde sempre foi muito criticado pela torcida e também pela imprensa paulista.

Neste ano, mesmo perdendo todos os clássicos que disputou, o treinador conseguiu levar o time às semifinais do Campeonato Paulista (o único grande clube da Capital à chegar nesta fase). Na Copa Libertadores da América, apesar de o São Paulo estar na semifinal, a equipe passou por maus bocados na primeira fase, quase foi eliminada pelo inexpressivo Universitário, do Peru, nas oitavas de final e, só apresentou um futebol convincente nas duas vitórias sobre o Cruzeiro, na fase de quartas de final. No torneio nacional, o São Paulo figura na modestíssima 13ª posição e vem de uma série de três resultados negativos após a parada para a Copa do Mundo.

Tais resultados geraram muita reclamação da torcida são-paulina e também nos corredores do Morumbi, de gente influente que comanda o clube. Que o técnico não é unanimidade não é novidade, mas o caso que acontece desde ontem é muito curioso. Após o frustrante empate contra o Grêmio Prudente, na noite de quarta-feira, alguns membros da diretoria do Tricolor se reuniram e decidiram demitir o treinador. Porém, a divergência de opiniões se arrastou por toda a quinta-feira.

“Eu não tenho nenhuma definição. Pode acontecer uma mudança, uma transformação, mas longe do que estão dizendo”, disse Carlos Augusto de Barros Silva, vice-presidente de futebol e mais conhecido como Leco. Por outro lado, o diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes continuou bancando o treinador: “Eu posso lhe garantir que nada mudará. Conversei pela manhã com o presidente Juvenal Juvêncio, que não está em São Paulo (está em Brasília) e o seguimos dando total respaldo ao trabalho do Ricardo. Estou lhe garantindo que ele comanda o time no próximo domingo, contra o Santos”.

Avesso as manifestações, Ricardo Gomes cumpriu suas obrigações, apareceu logo cedo no CT da Barra Funda e durante a tarde comandou o treino de seus jogadores. Foi embora sem dar entrevistas e, no início da noite, as especulações voltaram com tudo. O repórter da rádio Jovem Pan, Marcello Lima, que havia confirmado durante a tarde que o treinador Ricardo Gomes seria demitido, continuou defendendo sua notícia e ainda colocou mais um adendo. Segundo as fontes do jornalista, Dunga, o ex-técnico da Seleção Brasileira, já está contratado pelo São Paulo e se apresentará na próxima segunda-feira, dois dias antes da decisão com o Internacional. O comentarista Flávio Prado, também da Jovem Pan, confirmou a informação do colega e deu como certa a vinda do novo técnico.

Porém, um pouco depois, o São Paulo, por meio de João Paulo de Jesus Lopes, tratou de desmentir as informações e foi categórico em entrevista concedida ao repórter Alex Müller, da rádio Bandeirantes. “Existem pessoas querendo instaurar crise no clube. O Ricardo está garantido no cargo ao menos até o jogo de volta contra o Inter (dia 5 de agosto, pela Libertadores). O Dunga não tem o perfil do São Paulo. A entidade o respeita por ele ter um perfil vencedor como jogador, mas não tem o perfil para ser treinador do São Paulo”.

Diversos jornais e sites pelo Brasil afora dão como certa a contratação de Dunga e, principalmente, a demissão de Ricardo Gomes num momento crucial da temporada. Independente do que aconteça, o certo é que a diretoria do São Paulo, tão famosa pela organização e planejamento, está pisando na bola. Ricardo Gomes foi contratado às pressas. Já chegou ao clube com a fama de inexperiente e pouco a pouco comprovou isso. Não foi capaz de dar um padrão para o time, mexeu na equipe quando não precisava e, quando era necessário, não o fez.

Entretanto, isso quem teria que ter percebido era o presidente Juvenal Juvêncio e sua trupe. Se fosse para demitir o técnico, isso deveria ter sido feito antes da parada para a Copa do Mundo, já que o novo comandante assumiria o elenco e teria tempo de sobra para treinar e implantar seu estilo. Agora, a cinco dias do jogo mais importante da temporada, a mudança seria péssima. Em todos os aspectos. Dunga ou qualquer outro treinador que venha a assumir o cargo, não terá tempo para fazer nada. Apenas vestirá o agasalho e sentará no banco de reservas. Não terá intimidade com os jogadores e não conseguirá nem decorar o nome de todos. Isso é ruim para os atletas também, que já estão acostumados com o jeito de Ricardo Gomes e não terão o mínimo de abertura com o novato.

Os muitos erros de todas as partes podem custar caro para o São Paulo. O Internacional, adversário da próxima semana, fez o que o Tricolor deveria ter feito. Mudou o comando antes do Mundial, deu tempo para Celso Roth trabalhar e os resultados já começam a aparecer. Em três jogos foram três vitórias. Independente do que aconteça nesta sexta-feira e nos próximos dias no São Paulo, a equipe paulista chegará fragilizada no confronto, enquanto os gaúchos chegarão confiantes e com a faca e o queijo na mão. Aguardemos os novos capítulos.

E você torcedor, o que pensa sobre o assunto? O São Paulo fará certo em demitir Ricardo Gomes? Dunga é um bom nome para substituí-lo? Deixe sua opinião!

Read Full Post »

Borges foi bem marcado e o São Paulo continua em crise

O Galo não precisou se esforçar muito para voltar à liderança do Campeonato Brasileiro e vencer o São Paulo por 2X0. Com um time bem postado dentro de campo, o Atlético-MG começou o jogo pressionando o Tricolor e logo no primeiro minuto da partida, o atacante Diego Tardelli aproveitou o vacilo de Miranda e abriu o placar. Os 54.214 atleticanos que foram ao Mineirão explodiram.

O São Paulo, totalmente apático dentro de campo, não demonstrava forças para buscar o empate. Erros de passes, posicionamento confuso, laterais que não marcam e não apóiam, zagueiros inseguros e volantes lentos. Enquanto isso, o Galo que nada tem a ver com a crise são paulina, foi dominando o jogo. A troca de passes envolvente dos homens de meio campo com os atacantes resultou em pelo menos quatro oportunidades claras de gol. Diego Tardelli poderia ampliar o placar após cruzamento da esquerda, mas o atacante cabeceou para fora.

O tempo foi passando e os mineiros tiraram o pé do acelerador, mas não perderam o domínio da partida. O Tricolor até melhorou um pouco nos últimos minutos da primeira etapa e, enfim, conseguiu finalizar uma jogada. Primeiro, aos 36 minutos, Dagoberto arriscou de fora da área e a bola passou por cima do gol. Depois, Júnior César avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para a área. A zaga atleticana furou e Aranha salvou o gol que seria o empate do São Paulo.

Na segunda etapa, o São Paulo voltou buscando mais o jogo, mas o esquema montado pelo técnico Celso Roth, com três zagueiros, anulou Dagoberto e Borges no jogo. E logo aos sete minutos do segundo tempo, o Atlético-MG ampliou a vantagem. O volante Serginho tabelou com Diego Tardelli, invadiu a área e na cara de Denis marcou o segundo gol. Foi tudo que a equipe mineira desejava. Os gols nos começos das duas etapas deram tranquilidade ao time e acabaram com as esperanças são paulinas de reação no jogo.

O jogo acabou com a torcida atleticana gritando ‘olé’ enquanto os jogadores do Galo colocaram os do São Paulo na roda e tocaram a bola até o final. Com a vitória, o Atlético-MG chegou aos 24 pontos e retomou a liderança do Brasileirão-09. O São Paulo, estacionado nos 11 pontos, namora com a zona do rebaixamento e terminou a 11ª rodada na péssima 15ª colocação. Enquanto o Galo sobra, o São Paulo não consegue reagir. A má fase e a falta de reação da equipe paulista já é preocupante. Ricardo Gomes não consegue encontrar um padrão tático ideal, a consistência de outrora acabou e fica nítido que os jogadores estão abatidos e desunidos.

Na próxima rodada, o Atlético-MG irá até a Bahia e jogará contra o Vitória, 4º colocado no campeonato. O São Paulo recebe o Santos, no Morumbi, e fará o clássico dos times em crise.

E você torcedor, acha que o Atlético-MG conseguirá manter o mesmo ritmo até o final do Brasileirão-09? E o São Paulo, conseguirá se recuperar? O que deve ser mudado no Tricolor? Opine!

Nota: Publicada também no site FutNet.

Read Full Post »

Em má fase no São Paulo, Hernanes pode se transferir para o Milan

O ano de 2008 foi mágico na carreira de Hernanes. Além de deixar de ser considerado uma promessa e se tornar realidade no futebol nacional, o volante foi campeão do Campeonato Brasileiro e ainda foi eleito o melhor jogador da competição. Após um ano brilhante, Hernanes acreditava que 2009 seria melhor ainda.

Mas o desejo do jogador ainda não se concretizou. O primeiro semestre não foi nada bom para o São Paulo e, principalmente, para Hernanes. As eliminações no Campeonato Paulista e na Taça Libertadores da América e a má campanha no Brasileirão-09 custaram a titularidade do jogador e acenderam o sinal de alerta na diretoria do clube. Mas mesmo com essa situação atípica para o Tricolor nos últimos anos e a má fase do volante, Hernanes ainda tem mercado na Europa.

Segundo o site italiano Mediaset, alguns dirigentes do Milan estão no Brasil para contratar Hernanes. Em tempos de crise, a proposta é tentadora. A informação é que o São Paulo receberia € 20 milhões (cerca de R$ 55 milhões) caso a negociação se concretize. A diretoria rossonera quer contar com o atleta já em agosto e Hernanes chegaria para substituir o experiente volante Andrea Pirlo, que possivelmente será negociado com o Chelsea.

Vale lembrar que no ano passado o São Paulo recusou € 13 milhões oferecidos pelo Barcelona e ainda aumentou a multa rescisória do atleta para € 40 milhões. Nos próximos dias saberemos se Hernanes irá ou não para o Milan. Enquanto isso, o camisa 10 são paulino continua frequentando o banco de reservas e não consegue encontrar o futebol apresentado na última temporada.

Veja a notícia publicada pelo site Mediaset (em italiano): Milan: Pirlo va, Hernanes arriva

E você torcedor, acha que a má fase vivida pelo volante é passageira?  A diretoria são paulina deve aceitar a proposta do Milan? Caso a negociação se concretize, Hernanes terá sucesso na Itália? Opine!

Nota: Publicada também no site FutNet.

Read Full Post »

Mancini, Bittencourt e Parreira: demitidos após a 10ª rodada

Ano a ano a rotineira mudança de treinadores no futebol brasileiro aumenta consideravelmente. No Campeonato Brasileiro de 2009, em apenas dez rodadas disputadas, nada menos do que oito clubes já trocaram seus comandantes. Destaque para o Náutico, que somente nesse período, já está com seu terceiro treinador diferente.

Atlético-PR (Waldemar Lemos no lugar de Geninho), Fluminense (Vinicius Eutrópio ‘interino’ no lugar de Carlos Alberto Parreira), Grêmio (Paulo Autuori no lugar do ‘interino’ Marcelo Rospide), Náutico (Márcio Bittencourt no lugar de Waldemar Lemos e Geninho no lugar de Márcio Bittencourt), Palmeiras (Jorginho ‘interino’ no lugar de Vanderlei Luxemburgo), São Paulo (Ricardo Gomes no lugar de Muricy Ramalho) e Sport (Leão no lugar de Nelsinho Baptista) são os times que deram início a dança dos técnicos no Brasileirão-09. Isso sem contar o Santos, que demitiu Vagner Mancini e ainda não definiu seu substituto. Vale ressaltar que desses oito clubes que mudaram a comissão técnica, somente o Palmeiras figura entre os quatro primeiros do campeonato. Alguma coincidência?

A 10ª rodada foi determinante para o aumento desses números. O Náutico foi goleado pelo Palmeiras em São Paulo e Márcio Bittencourt foi demitido. A diretoria do Timbu agiu rapidamente e confirmou  Geninho como o terceiro técnico do clube na competição. A goleada sofrida pelo Santos na Bahia custou o cargo de Vagner Mancini. As desavenças no grupo e sina de procurar o ‘cagueta’ dentro do clube contribuíram para a demissão. E o experiente Carlos Alberto Parreira foi o outro treinador demitido nessa rodada. A derrota para o Santo André no Rio de Janeiro, a horrível 18ª colocação e a pressão da torcida do Fluminense tornaram a situação insustentável.

O problema dessa constante troca de treinadores é maior do que os dirigentes imaginam. Assim como em todas as profissões, existem profissionais mais e menos capacitados. Mas como diz o ditado futebolístico: “Futebol é resultado”, e esse realmente é o pensamento da grande parte dos cartolas. A bomba sempre estoura nas mãos dos treinadores, mas os dirigentes se esquecem de avaliar um fator muito importante antes das demissões. Os elencos fracos que eles mesmos deram para os treinadores fazerem milagres. Não estou defendendo a categoria dos treinadores de futebol, mas isso fica cada vez mais implícito. E a mudança constante não soma nada na evolução de uma equipe, ao contrário do que os cartolas pensam.

Muricy Ramalho e Vanderlei Luxemburgo estão disponíveis no mercado e figuram como ‘a bola da vez’. Possivelmente ainda treinarão alguma equipe nesse Campeonato Brasileiro. Resta deixar as especulações de lado e saber qual será o paradeiro deles. Vagner Mancini corre por fora, mas é um nome que agrada a grande maioria dos dirigentes. Vamos esperar os próximos capítulos e, obviamente, as próximas demissões.

E você torcedor, o que pensa sobre o ritmo acelerado de demissões de treinadores no futebol brasileiro? É a melhor opção?  Ou só atrapalha o planejamento das equipes? Opine!

Read Full Post »

Atlético-MG

Aos 101 anos, o Atlético-MG é um dos principais clubes do país. Detentor de títulos, grandes jogadores e técnicos e, principalmente, de uma torcida apaixonada pelo time. Com toda certeza é um dos gigantes do futebol tupiniquim. Mas poderia ser maior e ter uma história mais repleta de conquistas. É o primeiro campeão brasileiro, título conquistado em 1971, com o genial Dadá Maravilha em campo e o Mestre Telê Santana no comando da equipe. De la para cá, nunca mais o Galo venceu a principal competição nacional. Nunca conquistou a Copa do Brasil e nem a Taça Libertadores da América. As outras principais conquistas são os 39 títulos estaduais e os dois troféus da extinta Copa Conmebol, em 1992 e 1997.

Escrevi esse breve histórico do Atlético-MG para tentar responder a pergunta que é mais enfatizada por jornalistas e torcedores nos últimos dias. Diante do ótimo começo no Campeonato Brasileiro, o Galo lidera a competição com 17 pontos. Venceu cinco vezes, empatou duas e ainda não perdeu. Tem 80% de aproveitamento nas sete primeiras rodadas. Além disso, está três pontos na frente do segundo colocado, o Internacional, apontado por muitos como o principal candidato ao troféu nesse ano. Mas a dúvida que paira no ar é: será que o Galo será forte e vingador – como é rotulado em seu hino – e, enfim, conseguirá voltar ao caminho das glórias? Com essa equipe e com um ótimo começo, o Atlético-MG conseguirá se manter na ponta até dezembro? Essa realmente é uma grande dúvida.

O presidente atleticano, Alexandre Kalil, contratou o contestado técnico Celso Roth no início de maio. O treinador tinha como principal objetivo mudar o clima no grupo, após perder mais um campeonato estadual por goleada para o principal rival, o Cruzeiro. A segunda meta era não passar sufoco no Brasileirão-09 e tentar uma vaga na Copa Sul-Americana. Isso mostra que nem mesmo o presidente do Galo imaginava que o time faria uma campanha tão boa nas primeiras rodadas da competição. Mas Celso Roth trabalhou quieto com seu grupo. Montou seu esquema e fez do experiente Júnior o alicerce da equipe. Em segundo plano apostou no criticado Diego Tardelli como referência no ataque e, principalmente, no grupo.

No gol o recém contratado Aranha, que veio da Ponte Preta, chegou e logo virou titular na posição. Deu a segurança que a defesa tanto precisava. A zaga formada por Wélton Felipe e Werlei ou Leandro Almeida e Marcos, mostra solidez e não compromete. O volante Carlos Alberto vem jogando improvisado na lateral direita, enquanto a ala esquerda é representada por Thiago Feltri, revelado nas categorias de base do clube. O experiente meio campo faz a equipe funcionar e municiar com eficiência o ataque. O ex-são paulino Renan e o ex-vascaíno Jonílson atuam como volantes. Márcio Araújo e o veterano Júnior são os meias da equipe. Aliás, assim como o ex-técnico Émerson Leão vinha fazendo, Celso Roth manteve Júnior jogando no meio do campo. O ataque é formado por dois jogadores rápidos e goleadores. Éder Luís, também revelado no clube, é rápido e se doa pelo time. Tardelli tem a função de matador. Os dois vêm cumprindo bem suas funções, cada um marcou quatro vezes no Brasileirão-09 e o ataque do Galo é o mais eficiente, com 17 gols até agora.

Sem dúvidas o torcedor atleticano tem tudo para ficar confiante e empolgado com esse começo da equipe. Mas vale lembrar que nos últimos anos quem saiu na frente no campeonato de pontos corridos, não conseguiu se manter bem até o final e não conquistou o título. Acho que o Atlético-MG não terá forças para se manter no topo até o final, mas creio que se a equipe atual for mantida,  as chances de beliscar uma vaga na Libertadores de 2010 são grandes. Competição, aliás, que o Galo não tem tradição nenhuma e disputou somente quatro vezes na história. Mesmo com a empolgação que gira em torno da equipe mineira, acho que falta muito para que o Galo possa ser apontado como favorito ao título. Mas que é uma (boa) surpresa, isso não se pode negar.

E você torcedor, apontaria o Atlético-MG como favorito ao título? Ou apenas para uma vaga na Libertadores? O Galo será forte e vingador em 2009? Opine!

Read Full Post »

Victor Simões disputa bola com Léo (3) e Fabiano Eller

O técnico Ney Franco abandonou de vez o esquema 3-5-2 e mandou a equipe para o campo no 4-4-2, seu estilo preferido. Mas a mudança demorou para surtir efeito. O Glorioso precisou de todo o primeiro tempo e mais da metade da segunda etapa para conseguir os gols. Batista, aos 36 e Laio, aos 41, fizeram os gols que deram a primeira vitória ao Botafogo no Campeonato Brasileiro. Além disso, a vitória da equipe carioca acabou com a invencibilidade do Santos na competição.

O Botafogo não fez um grande jogo, mas a mudança de postura tática rendeu uma boa marcação no meio campo e muitas chances desperdiçadas, principalmente no primeiro tempo. A primeira chance de gol real saiu dos pés do atacante Tony. Após passe de Lúcio Flávio, Tony chutou forte, mas a bola foi para fora. Aos 25, foi a vez de Victor Simões girar, bater forte na bola e levar perigo ao gol santista. Fahel teve a melhor chance do Botafogo para abrir o placar. O volante recebeu passe dentro da área e tocou de cobertura na saída de Fábio Costa, mas Fabiano Eller tirou em cima da linha e evitou o gol. Mesmo com mais posse bola, o Glorioso não conseguiu abrir o placar e o primeiro tempo terminou.

Na segunda etapa o Santos tentou equilibrar o jogo e Vagner Mancini colocou Neymar no lugar do Molina. E realmente o Santos melhorou um pouco, mais nada que assustasse o Botafogo. Ney Franco, por sua vez, tirou Tony e colocou Laio, mostrando que confiava na primeira vitória. E realmente deu certo. Demorou, mas os gols saíram. Aos 36, Thiaguinho rolou a bola para o meia Batista, que bateu forte e ainda contou com desvio na zaga santista para abrir o marcador. O gol animou a equipe carioca, que continuou partindo para cima do Santos. E aos 41 saiu o gol que definiu a partida. O zagueiro Fabão tentou cortar a bola na intermediária e errou. A bola foi para trás e deixou Laio no mano a mano com o goleiro Fábio Costa. Esperto, Laio driblou o goleiro e fez o segundo gol.

Mesmo com o resultado positivo dentro de casa, o Botafogo não fez grande partida e precisa melhorar para continuar ascendendo na competição. Com 53% de posse de bola, o Glorioso finalizou sete vezes durante o jogo contra uma do Santos, mostrando a diferença entre as duas equipes no jogo. O técnico Vagner Mancini terá muito trabalho para arrumar a defesa de sua equipe. O grande problema do Santos é no setor defensivo, que em seis jogos tomou 11 gols, quase dois por partida.

Com a vitória, o Botafogo chegou aos seis pontos e está na 15ª colocação. O Santos parou nos nove pontos e continua na 4ª posição, pelo menos até amanha, quando haverá o complemento da rodada. No próximo sábado, o Glorioso viaja até a Bahia e enfrentará o Vitória, no Barradão, pela 7ª rodada do Brasileirão. O Santos jogará na Vila Belmiro contra o Atlético-MG, no próximo domingo.

Nota: Publicada também no site FutNet.

Read Full Post »

– Depois de ser goleado pelo Atlético-MG em casa na última rodada do Brasileirão-09, o técnico Geninho pediu demissão e deixou o comando do Atlético-PR. Hoje, o Furacão anunciou seu novo treinador para o restante da temporada. Trata-se de Waldemar Lemos, ex-técnico do Náutico. Irmão de Oswaldo de Oliveira, Waldemar é experiente e bastante rodado na profissão. Treinador desde 1984, Waldemar já dirigiu equipes como Mesquita-RJ, Flamengo, Figueirense, Cabofriense-RJ, Joinville, Paulista, Harbour View (Jamaica) e por último o Náutico.

– E Adriano continua colocando seu império em risco. A última encrenca que o jogador se meteu foi hoje, após pedir liberação dos dois treinos que a equipe do Flamengo teve com o técnico Cuca, alegando que precisaria participar de uma audiência na Vara da Família. Até aí tudo tranquilo. Porém, fotógrafos do Rio de Janeiro flagraram o Imperador na praia da Barra da Tijuca logo pela manhã, de bermuda e chinelo, comprando uma água de coco num quiosque. A diretoria rubro-negra colocou panos quentes na situação, mas é evidente que algo de estranho aconteceu.

– O Sport anunciou nesta terça-feira a contratação de três jogadores para o restante da temporada. A pedido do técnico Émerson Leão, a diretoria rubro-negra oficializou a contratação do trio formado pelo lateral direito Élder Granja e os meias Fabiano e Hugo, todos vindos do Atlético-MG. Os reforços devem ser apresentados nessa quarta-feira e, em seguida, já farão o primeiro treinamento na nova casa.

– O Fluminense está muito próximo da contratação do volante Tinga. O anúncio, que deve ser oficializado amanhã, depende apenas de uma reunião entre os dirigentes do clube, Celso Barros, presidente da Unimed e representantes do jogador do Borussia Dortmund. Esse encontro selará os últimos detalhes da transferência e o salário que Tinga receberá nas Laranjeiras. Caso a negociação seja concretizada, será um ótimo reforço para o Tricolor Carioca.

– Um dos jogadores mais injustiçados na Seleção Brasileira nos últimos anos é, sem dúvidas, o meia Alex, do Fenerbahçe, da Turquia. O jogador que não foi chamado por Luis Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira, nas Copas do Mundo de 2002 e 2006, respectivamente, está de férias no Brasil e hoje acompanhou o treino do Palmeiras na Academia de Futebol. Após o treino, Alex concedeu uma entrevista coletiva, informou que renovou seu contrato com a equipe turca por mais dois anos e que, quando acabar seu vínculo com a equipe, pensa em voltar para o Brasil. O habilidoso meia deixou claro que, em caso de retorno ao país, atuará somente em três equipes: Coritiba, Cruzeiro ou Palmeiras.

– Uma das favoritas aos títulos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo de 2010, a Espanha, atual campeã européia, continua mostrando um futebol vistoso e convincente. A vítima da vez foi a fraca seleção do Azerbaijão, que jogando em casa, tomou uma goleada de 6X0 em amistoso nesta terça-feira. Os gols da Fúria foram marcados por Riera, Guiza, Fernando Torres e Villa (3).

Read Full Post »

Older Posts »