Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Bastian Schweinsteinger’

Com o término da Copa do Mundo da África do Sul, a Fifa divulgou hoje, em seu site oficial, a seleção com os melhores jogadores do Mundial. O “Time dos Sonhos” foi escolhido através dos votos dos internautas na página da entidade na internet. Como era provável, a campeã Espanha colocou seis jogadores na lista final, o maior número entre todas as seleções, além do técnico Vicente del Bosque. Em contrapartida, o lateral-direito Maicon foi o único representante do Brasil na eleição.

O goleiro eleito foi o espanhol Iker Casillas, que obteve 41% dos votos. A curiosidade da lista ficou por conta do setor defensivo. Como no site da Fifa a distinção é feita por defensores e não por laterais ou zagueiros, três laterais-direitos foram escolhidos: o espanhol Sérgio Ramos (30,21%), o alemão Philipp Lahm (43,81%) e o brasileiro Maicon (31,45%). O único zagueiro de origem foi o espanhol Carles Puyol, escolhido por ser um dos jogadores de referência da ‘Fúria‘.

No meio de campo, o “Time dos Sonhos” conta com o holandês Wesley Sneijder (60,60%), o alemão Bastian Schweinsteiger (39,96%) e os espanhóis Xavi Hernández (36,96%) e Andrés Iniesta, eleito por ter feito o gol na decisão do Mundial contra a Holanda.

A dupla de ataque foi formada pelo uruguaio Diego Forlán (vencedor do prêmio ‘Bola de Ouro’ de melhor jogador da Copa do Mundo) e o espanhol David Villa (61,33%), atleta mais bem votado na eleição e, talvez, o mais decisivo da trajetória da Seleção Espanhola rumo ao título.

Abaixo, veja os resumos de cada jogador retirados do site oficial da Fifa:

Iker Casillas: O erro do goleiro na partida de estreia contra a Suíça — que acabou com a derrota da Espanha — deu mais argumentos aos seus críticos. Porém, seis atuações impecáveis na sequência mudaram por completo essa impressão inicial. Casillas defendeu um pênalti e fez mais duas grandes defesas na vitória das quartas de final sobre o Paraguai. O seu reflexo rápido também foi fundamental para que os espanhóis superassem a Holanda na final, garantindo o quarto triunfo consecutivo por 1 a 0. Por isso, ele levou a Luva de Ouro com 41% dos votos — 29 pontos a mais que o segundo colocado.

Philipp Lahm: O jogo impecável do lateral-direito e a sua influência como capitão substituto foram fundamentais para a inesperada campanha da Alemanha rumo ao terceiro lugar. O atleta de 26 anos pode até não intimidar os adversários com o seu 1,70m de altura, mas exibe grande habilidade para roubar a bola com categoria, sem precisar recorrer à força. Além disso, Lahm dá passes sempre com inteligência e, por tudo isso, recebeu 43,81% dos votos, tornando-o o único integrante do último Time dos Sonhos da Copa do Mundo da FIFA a ser reeleito neste ano.

Carles Puyol: O zagueiro de 32 anos talvez não estivesse na sua melhor fase durante a primeira etapa do Mundial, mas logo conseguiu recuperar a grande forma que exibiu nas campanhas vitoriosas do Barcelona e da Espanha nos últimos anos. Puyol marcou o gol da vitória na semifinal contra a Alemanha, superando a zaga e acertando uma cabeçada indefensável para o goleiro Manuel Neuer. Ao mesmo tempo, o seu incansável trabalho na defesa foi fundamental para que ninguém vazasse o gol espanhol em cinco dos sete jogos na campanha do título.

Maicon: Em dificuldades na sua estreia no Mundial, o Brasil precisava de algo especial para dobrar a Coreia do Norte. Foi exatamente o que o camisa dois da Seleção fez: marcou um gol com um chute de um ângulo impossível e ajudou os brasileiros a começarem a sua campanha com o pé direito. As rápidas subidas do lateral pela direita deram muita dor de cabeça aos adversários. Mas o bom trabalho de Maicon na marcação também lhe garantiu 31,45% dos votos.

Sérgio Ramos: Defensor inflexível, mas também muito criativo no ataque, o número 15 da Espanha conseguiu segurar craques como Cristiano Ronaldo e Lukas Podolski e criou um importante corredor pela direita na saída de bola da seleção de Vicente del Bosque. Por isso, recebeu 30,21% dos votos dos usuários.

Wesley Sneijder: Os 60,60% dos votos e a segunda posição no quadro geral desta eleição são um indicativo do que o meia-atacante holandês apresentou na África do Sul. O jogador de 26 anos buscou a bola constantemente e, quando a recebia, tentava sempre abrir espaços. Além disso, foi o artilheiro da sua seleção com cinco gols, incluindo ambos da vitória por 2 a 1 sobre o Brasil nas quartas. O atleta da Inter de Milão também deu um passe excepcional para deixar Arjen Robben na cara do gol na decisão. O seu companheiro de seleção pode até ter perdido a chance, mas Sneijder não deixou passar a oportunidade de brilhar na Copa do Mundo da FIFA.

Bastian Schweinsteiger: O atleta de 25 anos alcançou a sua maturidade futebolística na África do Sul. Ele correu 79,8 km em campo — distância só superada pelo espanhol Xavi —, fez cortes decisivos e confirmou a sua grande qualidade no passe. Além disso, oferecia orientação e ânimo à equipe desde a sua posição no setor defensivo, fazendo as vezes de capitão informal do conjunto alemão. Teve atuações excelentes nas vitórias sobre a Austrália, a Inglaterra e a Argentina e, assim, ficou com 39,96% dos votos.

Andrés Iniesta: O homem certo aparece na hora certa. Quando a decisão da Copa do Mundo da FIFA chegava ao final da prorrogação sem que o placar tivesse sido aberto, o craque espanhol dominou a bola com perfeição dentro da área e tocou para o fundo da rede, na saída do goleiro holandês Maarten Stekelenburg. Iniesta também se sobressaiu no caminho da Espanha rumo à final, mostrando a sua grande habilidade e dando passes inteligentes.

Xavi: Cérebro da Espanha, ele correu mais e deu mais passes (alguns deles, extraordinários) que qualquer outro jogador na África do Sul. Por isso, a peça-chave da seleção espanhola recebeu 36,96% dos votos.

David Villa: O atacante do Barcelona esteve sob pressão durante todo o torneio, mas mesmo assim brilhou. Foi um dos artilheiros da competição, com cinco gols — entre eles os decisivos contra Portugal, nas oitavas, e Paraguai, nas quartas. O fato de ter conseguido a mais alta porcentagem de votos (61,33%) já diz tudo sobre a sua atuação na África do Sul.

Diego Forlán: Ficar entre os quatro melhores colocados era uma tarefa hercúlea para o Uruguai. Mas, aos 31 anos, Forlán assumiu esse necessário papel de herói da sua seleção. Marcou cinco gols e a sua dedicação ao grupo (de quem foi fonte constante de motivação) lhe valeu a Bola de Ouro e uma vaga garantida neste Time dos Sonhos.

Vicente del Bosque (técnico): Algumas das suas decisões foram questionadas. Mas todas acabaram sendo justificadas pela conquista do troféu mais cobiçado do futebol mundial.

Anúncios

Read Full Post »

PAÍS: Alemanha
NOME DA CONFEDERAÇÃO: Deutscher Fussball-Bund
ANO DE FUNDAÇÃO: 1900
APELIDO: Die Nationalelf
PARTICIPAÇÕES EM COPAS DO MUNDO:
16 (1934, 1938, 1954, 1958, 1962, 1966, 1970, 1974, 1978, 1982, 1986, 1990, 1994, 1998, 2002 e 2006)
RESULTADOS: Os alemães são tricampeões mundiais (1954, 1974 e 1990). Além disso, ficaram com o vice-campeonato em outras quatro oportunidades (1966, 1982, 1986 e 2002).
COMO SE CLASSIFICOU PARA 2010: A vaga no mundial de 2010 foi facilmente conquistada, já que a Alemanha liderou de ponta a ponta o grupo 4 das eliminatórias europeias.
DESTAQUE DO TIME: Michael Ballack (meia do Chelsea, da Inglaterra)
TREINADOR ATUAL: Joachim Löw (Alemanha)
PERSPECTIVAS PARA O MUNDIAL:

– Uma seleção que disputou sete finais de Copa do Mundo jamais deve ser preterida. A Alemanha não tem atualmente a mesma força de outros tempos,  mas através de alguns jogadores acima da média se torna obviamente forte candidata no mundial. Regido pelo experiente Ballack e sustentado pela categoria de Lucas Podolski, Bastian Schweinsteinger, Philipp Lahm e, principalmente, do artilheiro Miroslav Klose, a equipe europeia deve passar facilmente na primeira colocação de seu grupo e assim seguir adiante em busca do quarto título em Copas do Mundo.

−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−

PAÍS: Sérvia
NOME DA CONFEDERAÇÃO: Fudbalski Savez Srbije
ANO DE FUNDAÇÃO: 2006
APELIDO: Beli Orlovi
PARTICIPAÇÕES EM COPAS DO MUNDO: 10 (1930, 1950, 1954, 1958, 1962, 1974, 1982 e 1990 como Iugoslávia. 1998 e 2006 como Sérvia e Montenegro)
RESULTADOS: A Sérvia disputará sua primeira Copa do Mundo como uma nação independente. Mas o histórico herdado da Iugoslávia é considerável, já que em 1930 e 1962 os iugoslavos chegaram às semifinais, além de terem disputado as quartas-de-final em três oportunidades (1954, 1958 e 1990).
COMO SE CLASSIFICOU PARA 2010: A classificação para o mundial da África do Sul foi tranquila e, mesmo num grupo difícil, formado por França, Áustria e Romênia, os sérvios garantiram a vaga.
DESTAQUE DO TIME: Nemanja Vidic (zagueiro do Manchester United, da Inglaterra)
TREINADOR ATUAL: Radomir Antic (Sérvia)
PERSPECTIVAS PARA O MUNDIAL:

– A Sérvia tem um bom time e terá como principal concorrente na primeira fase a Seleção Ganesa. A expectativa para fazer um bom papel na África do Sul é grande, afinal, será a primeira vez que os sérvios jogaram um mundial como país independente. E a esperança vem de trás. Com uma zaga boa e um meio-de-campo comandado pelo experiente Dejan Stankovic, os sérvios têm tudo para avançar às oitavas-de-final e até aspirar algo a mais.

−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−

PAÍS: Austrália
NOME DA CONFEDERAÇÃO: Football Federation Australia Ltd
ANO DE FUNDAÇÃO: 1961
APELIDO: Socceroos
PARTICIPAÇÕES EM COPAS DO MUNDO: 2 (1974 e 2006)
RESULTADOS: No primeiro mundial disputado a Austrália nada fez e terminou a competição sem fazer nenhum gol. Já em 2006, os australianos melhoraram o desempenho e conseguiram se classificar na segunda posição, atrás do Brasil. Porém, nas oitavas-de-final a equipe foi eliminada pela Itália.
COMO SE CLASSIFICOU PARA 2010: Mesmo estando geograficamente na Oceania, os australianos disputam as eliminatórias da Ásia. E não fizeram feio no continente vizinho, já que foram uma das primeiras seleções a garantir vaga no mundial de 2010.
DESTAQUE DO TIME: Tim Cahill (meia do Everton, da Inglaterra)
TREINADOR ATUAL: Pim Verbeek (Holanda)
PERSPECTIVAS PARA O MUNDIAL:

– O futebol australiano ainda está em desenvolvimento e a falta de um grande craque é o principal ponto fraco da equipe. Mesmo forte fisicamente, a Seleção Australiana caiu num grupo difícil com três seleções melhores que ela, ao menos no papel. Além do meia Tim Cahill, os outros destaques que tentarão uma façanha na África do Sul são Harry Kewell, Lucas Neil e o goleiro Mark Schwarzer. Tem tudo para ser coadjuvante no mundial.

−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−−

PAÍS: Gana
NOME DA CONFEDERAÇÃO: Ghana Football Association
ANO DE FUNDAÇÃO: 1957
APELIDO: The Black Stars
PARTICIPAÇÕES EM COPAS DO MUNDO: 1 (2006)
RESULTADOS:
Gana é uma das grandes forças do continente africano e na única vez que disputou a Copa do Mundo atingiu as oitavas-de-final, sendo eliminada pelo Brasil.
COMO SE CLASSIFICOU PARA 2010: Demonstrando sua força, os ganeses foram a primeira seleção africana a garantir vaga no mundial.
DESTAQUE DO TIME: Michael Essien (volante do Chelsea, da Inglaterra)
TREINADOR ATUAL: Milovan Rajevac (Sérvia)
PERSPECTIVAS PARA O MUNDIAL:

– A Seleção Ganesa tem talvez o melhor conjunto de todas as equipes africanas deste mundial. O grande fator positivo é o meio campo, formado por jogadores experientes e acostumados a decisões como Michael Essien, Sulley Muntari e Stephen Appiah. A zaga não é das melhores e o ataque deixa a desejar, mas com a força física e a ordem tática dos volantes e meias, Gana pode surpreender os adversários e lutar pela segunda posição do grupo. O objetivo é melhorar o rendimento da Copa passada.

Read Full Post »